Prof. Murillo Marx – Artigo da Folha de S. Paulo

São Paulo, terça-feira, 19 de abril de 2011 – caderno Cotidiano

MURILLO DE AZEVEDO MARX (1945-2011) 

Professor de arquitetura da USP

ESTÊVÃO BERTONI
DE SÃO PAULO

Murillo de Azevedo Marx, professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, tinha um bordão capaz de resumir sua personalidade, segundo a família. Era a frase “Vamos comemorar!”.
Metódico e acostumado a trabalhar cerca de 14 horas por dia, era também cordial e de postura positiva com a vida, lembra o irmão, Arturo.
Toda a formação acadêmica de Murillo foi feita na USP, onde seu avô teve papel importante. Ele era neto de Fernando de Azevedo (1894-1974), educador, diretor da Faculdade de Filosofia da USP e membro da ABL (Academia Brasileira de Letras).
Filho de um militar da FAB que foi também comandante da Panair, Murillo nasceu no Rio e logo veio a São Paulo.
Formou-se em arquitetura em 1968. Fez ainda mestrado (1980), doutorado (1984) e pós-doutorado (1991). A tese de livre-docência, “Nosso Chão: Do Sagrado Ao Profano”, de 1987, virou livro.
A também professora da FAU Maria Cecília França Lourenço lembra que o amigo conseguiu criar uma carreira em torno das instituições preservacionistas sem deixar de lecionar na USP.
Murillo foi diretor do IEB (Instituto de Estudos Brasileiros), do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP, do DPH (Departamento do Patrimônio Histórico), vice-presidente do Condephaat e conselheiro da Pinacoteca.
Aos 65, dava aulas para a graduação e a pós. Muito ativo, participou de mais de 300 bancas -o último seminário que abriu foi na terça. Na sexta, morreu após se engasgar com a comida, no almoço em que comemorava a tese de um aluno. Não teve filhos.

coluna.obituario@uol.com.br

Anúncios

Curso de Difusão no CPC – Veredas. A saudade e a cidade em suas representações fotográficas

[Clique na imagem para ampliá-la]

 

Nuevo Portal de Revistas Académicas Universidad de Chile

Universidad de Chile presenta nuevo Portal de Revistas Académicas

 

La Universidad de Chile lanzó recientemente su nuevo Portal de Revistas Académicas http://www.revistas.uchile.cl que reúne las principales publicaciones editadas por esta casa de estudios, incluyendo las indexadas en ISI, Scielo y otras redes internacionales– y permite el acceso libre a sus artículos en texto completo.

Este nuevo recurso de información, cuenta con un robusto sistema de gestión y publicación de revistas académicas en formato electrónico (adaptación del software Open Journals System) que permite un manejo eficiente y unificado de todo el proceso editorial, desde su redacción hasta su indexación, y el control en línea. Opera con todos los estándares de publicación científica internacionales, normas de citas y protocolos de interoperabilidad, que garantizan su visibilidad y posicionamiento en la web y buscadores especializados.

De este modo, ya se han desarrollado 17 sitios web independientes para siguientes revistas:

  • Acta Bioethica
  • Anales de la Universidad de Chile
  • Avances en Ciencias Veterinarias
  • Boletín de Filología
  • Byzantion Nea Hellás
  • Comunicación y Medios
  • Derecho y Humanidades
  • Revista Chilena de Historia del Derecho
  • Revista Chilena de Salud Pública
  • Revista Chilena de Terapia Ocupacional
  • Revista Chilena de Literatura
  • Revista de Filosofía
  • Revista de Urbanismo
  • Revista INVI
  • Revista Musical Chilena
  • Anales Facultad Cs. Jurídicas y Sociales
  • Claridad

El Portal de Revistas Académicas fue desarrollado por el Sistema de Servicios de Información y Bibliotecas (SISIB), con el apoyo del Plan de Modernización de la Gestión Institucional (Convenio de Desempeño U. de Chile – Mecesup).

Los invitamos a visitar http://www.revistas.uchile.cl

 

Sistema de Servicios de Información y Bibliotecas (SISIB)

UNIVERSIDAD DE CHILE

Nota de falecimento

A diretoria da FAUUSP tem o pesar de comunicar o falecimento do nosso querido colega professor Murillo Marx.

O velório será realizado a partir das 12 horas no edifício da FAUUSP, na Rua Maranhão no 88 e o enterro sairá as 16 horas para o cemitério da Consolação.

São Paulo, 16 de abril de 2011.

Marcelo de Andrade Romero
Maria Cristina da Silva Leme

Ditados Populares – Versão Acadêmica

 

1. Amigos, amigos, bolsas à parte.

2. É melhor um artigo publicado do que dois no prelo.

3. Antes só do que mal orientado.

4. A pressa é inimiga da pesquisa-ação.

5. A recurso aprovado não se olha a fonte.

6. Diga-me qual teu grupo de pesquisa e te direi quem és.

7. Para bom pesquisador meia referência basta.

8. Não adianta chorar sobre o edital vencido.

9. Em terra de mestres quem tem doutorado é rei.

10. As capas das teses enganam.

11. A ocasião faz a comissão.

12. O laboratório do vizinho é sempre melhor equipado.

13. O protocolo é o pai de todos os vícios.

14. Antes tarde do que perder o edital.

15. As más noticias chegam via protocolo.

16. Azar no CNPq, sorte na FAPESP.

17. Projeto fraco em editais duros tanto se envia até que é aprovado.

18. Artigos passados não movem o Lattes.
 
(Autor desconhecido)

Novo periódico com acesso online

Está disponível para acesso eletrônico o seguinte periódico:

URBAN MORPHOLOGY (ISSN: 1027-4278)

Para acessar, entre em http://www.usp.br./sibi
Clique em Revistas Eletrônicas.
Busque a revista pelo título.

Obs.: Para ter acesso ao conteúdo assinado pela USP, faça seu cadastro no VPN (informações da barra lateral esquerda do blog).

Uma viagem pela história do mundo em 3 mil cartazes

Fonte: Jornal da USP

INTERNET

A história gráfica de 50 países é disponibilizada em material de alta resolução sendo uma referência para designers, publicitários, historiadores e sociólogos. O site “Poster Gallery – Construções Utópicas” entra no ar apresentando as principais mudanças sociais e políticas do século 19 até 2010. A iniciativa é da Nanyang Technological University, de Cingapura, com a participação de uma equipe interdisciplinar de pesquisadores brasileiros.

LEILA KIYOMURA

Entre os milhares de sites no cyberespaço, o “Poster Gallery – Construções Utópicas” está no ar, desde o final de março, e vem surpreendendo pelo conteúdo, layout e capacidade de navegação. Disponibiliza um material visual inédito de pesquisa para artistas gráficos, fotógrafos, designers e também para os historiadores, sociólogos e antropólogos, entre outros pesquisadores. E o mais interessante: foi elaborado como um motor de busca eficiente e sóbrio, capaz de ótimas filtragens e grande capacidade de navegação. E tudo isso oferecendo imagens de alta resolução, por volta de 10 a 40 megas, dificilmente encontradas nos acervos da internet.

A seleção de 3 mil cartazes de 50 países, do século 19 até 2010, é o resultado de um projeto da Nanyang Technological Univesity (NTU), com a participação de uma equipe interdisciplinar de pesquisadores brasileiros. Sediada em Cingapura, a NTU é a primeira universidade federal chinesa fora da China e uma das mais importantes da Ásia especializada em tecnologia.

“O site ‘Poster Gallery’ é um dos resultados da pesquisa Construções Utópicas da Nanyang Technological University”, explica Heitor Capuzzo, professor titular da NTU, que está coordenando o programa.  “São projetos que procuram refletir como a mídia representou, principalmente no decorrer do século 20, as mudanças sociais que tiveram como proposta a criação de novas sociedades.”

O professor explica que o site é quase uma história ilustrada da propaganda política, portanto, com forte viés ideológico. “Estamos disponibilizando um material gráfico que acompanhou e interferiu nas mudanças ocorridas principalmente no século 20.”

Capuzzo fez mestrado e doutorado na Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, orientado pela professora Dilma de Mello Silva. Atuou como professor na Universidade Federal de Minas Gerais por mais de 20 anos e desde 2009 trabalha em Cingapura, na Escola de Artes, Desenho e Mídia.

Através dessa iniciativa, Capuzzo trava o desafio de apresentar o site e inserir a própria NTU no planeta. Embora o projeto surpreenda pelo conteúdo pontuado pela reflexão e pesquisa em diversas áreas do conhecimento, o professor contou com uma equipe pequena, mas competente, que durante um ano investigou publicações, documentos e coleções privadas e públicas de todo o mundo.  A professora Marília Lyra Bérgamo foi responsável pela criação, design e produção de ferramenta de busca e o professor Carlos Falci fez o cadastramento dos cartazes, tradução de legendas, análise e edição de textos. Ambos são da Universidade Federal de Minas Gerais. A seleção, restauração e tratamento gráfico ficaram sob a responsabilidade de Manuel Reis, artista gráfico e professor da Universidade de São Paulo.

“O desafio foi apresentar um material em alta resolução e com uma amostragem significativa”, explica Capuzzo.  “Acredito que transcende o interesse imediato dos artistas e pesquisadores, tanto da área gráfica como de propaganda. Por isso mesmo foi criada uma ferramenta de busca capaz de oferecer aos pesquisadores e estudiosos um acesso dinâmico que atendesse não apenas àqueles que já sabem o que procuram, mas que pudesse também induzir novas pesquisas, permitindo cruzamentos ainda não explorados.”

Oceano de papéis – Quando o visitante acessar  http://webposters.adm.ntu.edu.sg, certamente vai se surpreender com a sobriedade da página, que está dentro de uma configuração maior que é o site da Nanyang Technological University. Porém, o fundo amarelo já remete o visitante para a ideia de que vai mergulhar num oceano de papéis. Um oceano que se abre quando o internauta se dirigir para a direita, em categories. Aí a viagem começa no link country. São 3.077 cartazes divididos em 50 países.

Você começa entrando na Argentina e se depara com Evita anunciando “Ha terminado la era de los privilegios y de las minorias selectas porque ha lhegado la hora de los pueblos”. Depois, vê Che Guevara com o olhar guerrilheiro.  Aí vai para o Brasil e vê os cartazes anunciando Macunaíma com a sua preguiça e a 1ª Bienal Internacional de São Paulo. Da China são 374 pôsteres, que trazem a história social e política do país, com a sua natureza, mulheres, os sonhos e a força que garante a sua posição como segunda potência econômica mundial.

Austrália, Bélgica, Chile, França, Itália. O visitante vai navegando nas páginas do próprio site, fazendo os seus cruzamentos, comparações e reflexões. E o mais interessante: não há conexão com nenhum outro site. Por exemplo: se o visitante quiser fazer uma comparação com a história da mulher e os seus valores em diferentes países, tem no próprio site um acervo que permite a referência para uma pesquisa ou os dados para uma contextualização.

A sensação visual é a de estar folheando livros, navegando em páginas de papel. Uma sensação que coincide com as pilhas de livros de design de todo o mundo que estão no estúdio do professor Manuel Reis, responsável pela digitalização das imagens. “Cada cartaz foi classificado de acordo com seus elementos visuais, prioritariamente, mas também em função do contexto social, político e cultural relativo ao conteúdo do cartaz e a época de sua criação”, explica. “Esses elementos foram organizados em palavras-chave que, por sua vez, estão dentro de categorias mais gerais. Assim, a busca pode ser realizada dentro de uma categoria mais ampla, ou de forma mais refinada, usando palavras-chave mais específicas. Há quatro tipos de busca no site: através de image notes, notas visuais indexadas diretamente nas imagens; através do menu de categorias; através de uma busca textual livre e através de uma busca avançada.”

A busca por image notes é, segundo Reis, uma criação específica para o projeto, uma vez que ela permite combinar a visualização dos elementos que se deseja buscar com as características de uma busca textual. “Através dessa forma de busca, o usuário pode visualizar, em um cartaz, elementos visuais que destacamos como importantes. Cada elemento é destacado e funciona como uma image notes no cartaz. Através da busca, o usuário pode escolher, visualmente, elementos que o interessam, diretamente na imagem. Ao fazer a escolha, os elementos vão para uma caixa de busca abaixo do cartaz e se tornam parâmetros para a pesquisa. Dessa maneira, os usuários podem navegar e, ao descobrir um ou mais elementos visuais que estão indexados, pode solicitar a busca através desses elementos, para verificar todos os cartazes que estão relacionados a eles.

Reis esclarece que, ao escolher mais de um elemento, a busca é feita por associação. “Por exemplo, se o usuário escolhe o elemento visual flag e o elemento visual emblem/logotype, o sistema irá retornar aos cartazes que possuem uma combinação desses elementos. Cartazes que possuam somente um deles não serão retornados como resultado da busca. A busca por image notes é particularmente interessante no caso do projeto, uma vez que vários conjuntos de cartazes apresentam padrões visuais similares e usos também muito semelhantes dos elementos visuais escolhidos.”

Há também a busca textual livre.  Reis orienta: “O usuário utiliza a caixa de texto e digita nessa caixa quaisquer palavras que deseje. Se essas palavras não são palavras-chave, o sistema não retornará nenhum resultado. Desse modo, o primeiro passo é compreender que devem ser utilizadas palavras que já existem no sistema, as quais podem ser encontradas no menu. Aqui a busca ocorre por adição das palavras. Por exemplo, se forem digitadas as palavras hand e satisfaction o sistema irá retornar todos os cartazes que estejam associados a uma ou a outra palavra. A busca aqui é a soma dos cartazes que têm uma das duas palavras, ou as duas.”

Na avaliação do coordenador Heitor Capuzzo, o resultado final do projeto foi “bem mais rico e complexo do que a equipe imaginou inicialmente”. O site “Poster Gallery” ainda está em fase de testes. “Serão alguns meses recebendo feedbacks e aperfeiçoando a estrutura existente. Pretendemos incluir novas coleções com textos analíticos e certamente será ampliado o número de cartazes”, afirma. “De qualquer forma a estrutura básica já está disponível e não se assemelha a nada do que hoje pode ser encontrado na web, tanto em quantidade como também em resolução e mecanismo de busca.”

O site “Poster Gallery: Construções Utópicas” pode ser acessado no endereço http://webposters.adm.ntu.edu.sg.

O cinema na web
A Nanyang Tehcnological University já está organizando um outro website com um acervo que vai reunir os cartazes de cinema desde o início de sua história. “Serão focados os principais momentos do cinema russo, alemão, italiano, indiano, mexicano, cubano, polonês, checo, chinês, japonês, entre tantos outros países”, garante o professor Heitor Capuzzo.

Além do cyberespaço, a NTU está ocupando um lugar importante na Ásia com 50% de seu corpo docente vindo de diferentes países. Está instalada num campus que abriga 35 mil estudantes, aloja 10 mil alunos no próprio campus, numa infraestrutura moderna que consome um orçamento anual de manutenção da ordem de US$ 1 bilhão.

“A Escola de Artes, Desenho e Mídia da NTU possui apenas sete anos. Na área de cinema de animação é uma das escolas líderes da Ásia”, observa o professor. “Cingapura é o que se pode chamar de uma país planificado, ou Engineering Society. Este foi um dos motivos básicos de propor à NTU um projeto capaz de analisar as construções utópicas que tanto marcaram o século 20. ”

Capuzzo lembra que hoje, países como a China e a Coreia do Sul estão construindo cidades planificadas que se pretendem auto-suficientes. “Há um certo fascínio tecnógico por essa possibilidade de ensaiar a vida. De certa forma os cartazes do website tocam nessas questões complexas, principalmente no que se refere a educar a população para as novas regras sociais.”