Artista cria retrato de arquitetos com desenhos de suas obras

Notícia da Folha de S. Paulo

15/05/2014 – 07h30 | DE SÃO PAULO

“Cada arquiteto é sua arquitetura”. Foi com esse lema que o arquiteto espanhol Federico Babina criou a série “Archiportraits”. Nela, os rostos de 33 grandes nomes da arquitetura mundial são feitos com elementos de seus respectivos projetos.

“Eu estudei a face e o trabalho de alguns dos mais importantes protagonistas da arquitetura contemporânea para conseguir fazer esses retratos”, conta Babina.

A série utiliza elementos arquitetônicos, como janelas, colunas, escadas e fachadas para compor os rostos. “Um retrato é como o espelho da alma e a ideia era reunir em uma única imagem o arquiteto e sua obra”, diz Babina.

Entre as ilustrações, há a iraniana Zaha Hadid, o francês Le Corbusier, o norte-americano Frank Lloyd Wright e os brasileiros Oscar Niemeyer e o arquiteto e paisagista Roberto Burle Marx.

Os retratos podem ser comprados por US$ 25 (cerca de R$ 55) no site do arquiteto.

[clique nas imagens para ampliá-las]

Anúncios

Edifício que abrigou o Cine Ipiranga em São Paulo é tombado

Notícia da Folha de S. Paulo

DE SÃO PAULO

15/05/2014 18h06

Foi publicada nesta quarta-feira (14) uma resolução da Secretaria de Estado da Cultura tombando o edifício que abrigou o antigo Hotel Excelsior e o Cine Ipiranga, localizado na avenida Ipiranga, 770 e 786, no centro de São Paulo. A Prefeitura pretende abrir um cinema de rua no local.

Segundo o texto do tombamento, o prédio projetado pelo arquiteto Rino Levi (1901-1965), é um exemplo da arquitetura moderna e resultado de uma concepção criativa caracterizada por sobrepor, em um terreno pequeno, “uma grande torre de hotéis e uma monumental sala de cinema, ambos representativos de programas inovadores e característicos de meados do século 20 em São Paulo”.

Formado na Itália, Levi foi um dos maiores expoentes do modernismo brasileiro, conhecido por seus desenhos de ângulos retos e austeros. O Cine Ipiranga foi o quarto cinema que projetou em São Paulo, depois de ter feito outros gigantes como o Ufa-Palácio, o Universo e o Piratininga, todos na região central da cidade.

 Cine IpirangaCine Ipiranga, na avenida Ipiranga com avenida São João, em imagem de 1987

Inspirado no racionalismo italiano, em especial na distribuição em torno de pátios internos, e nas formas geométricas do arquiteto polonês Erich Mendelsohn, por sua vez alinhado aos preceitos racionais do fundador da Bauhaus, Walter Gropius, e do alemão Mies van der Rohe, Levi criou uma fachada quadriculada para o cinema.

Mas abusou das referências ao art déco do lado de dentro. Os detalhes nesse estilo do início do século 20 estão nas luminárias e escadarias do Cine Ipiranga, também famoso por seus balcões e marquises em curva do lado de dentro.

Em suas construções, o arquiteto também fez alusões ao impacto que sentiu ao visitar a Casa Modernista, obra de Gregori Warchavchik, na Vila Mariana, uma das primeiras construções modernas em São Paulo.

Mesmo fascinado pela casa, o arquiteto foi um dos maiores defensores da verticalização da cidade e seu edifício Columbus, de 1934, é considerado o primeiro condomínio de apartamentos na capital paulista.

A sala do Cine Ipiranga, aberta em 1941 e fechado em fevereiro de 2005, ainda conserva grande parte de sua concepção original, incluindo detalhes no corrimão e luminárias. O espaço interno do hotel, por sua vez, sofreu algumas reformulações ao longos dos anos, com renovação dos quartos e dos banheiros.

De acordo com o texto de tombamento, contudo, as fachadas externas “mantêm presença marcante na paisagem, apresentando claramente suas características fundamentais de arranha-céu vinculado à arquitetura moderna”.

Foi determinado que a configuração do saguão, as escadarias e a sala de espetáculos do cinema serão preservados. Para assegurar a manutenção do edifício, podem ser acrescentados a ele alguns elementos de infra-estrutura desde que aprovados pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico).

O Condephaat autorizou o tombamento em reunião realizada em 25 de outubro de 2010.

Oficinas do VI Fórum Mestres e Conselheiros: Agentes Multiplicadores do Patrimônio

VI FÓRUM MESTRES E CONSELHEIROS

 

O VI FÓRUM MESTRES E CONSELHEIROS anuncia suas oficinas, que poderão ser cursadas gratuitamente por todos os inscritos no evento. A presença nas oficinas será considerada pelo IEPHA-MG para fins de pontuação no ICMS-Cultural de 2014.

01.   Legislação Estadual de Incentivo à Cultura

Felipe Rodrigues Amado Leite (Secretaria Estadual de Cultura)

Apresentação introdutória dos mecanismos de acesso ao Fundo Estadual de Cultura (FEC) e à Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Estado de Minas Gerais. Oficina de elaboração de projetos.

Carga horária: 4 horas-aula

Horário: Dia 04 e 05 / 06, das 14h às 18h.

02.   O patrimônio arqueológico brasileiro: conhecer para preservar.

Edithe da Silva Pereira (Ministério da Ciência e Tecnologia, Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, PA)

Introdução à arqueologia brasileira; a destruição do patrimônio arqueológico brasileiro e os aspectos legais da sua proteção; a educação como forma de preservação; o turismo arqueológico como caminho do conhecimento e da preservação; a arqueologia ao alcance de todos – a difusão do conhecimento cientifico.

Carga horária: 4 horas-aula

Horário: Dia 05 / 06, das 14h às 18h.

03.   O Tombamento de Bens Culturais

Maria Cristina Cairo Silva (Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais – IEPHA/MG)

A importância do mérito na eleição dos bens culturais a serem protegidos e as ações que devem ser empreendidas para garantir os efeitos do tombamento.

Carga horária: 4 horas-aula

Horário: Dia 04 / 06, das 14h às 18h.

04.   Patrimônio Cultural – A lei, o bem e o mal!

Telmo Padilha Cesar  e Jorge Luis Stocker Junior (DEFENDER / RS)

A Tutela do Patrimônio Cultural. Organização e empoderamento da sociedade. Compreensão e valoração de nossas heranças no contexto atual. Interesse difuso versus particular. Responsabilidades do Poder Público. Conflitos e soluções. Novas bandeiras de luta. Perspectivas futuras.

Carga horária: 8 horas-aula

Horário: Dias 05 e 06 / 06, das 14h às 18h.

  

05.   Metodologia de Projetos de Educação

Vilmar Pereira de Souza (IEDS / Instituto de Estudos do Desenvolvimento Sustentável)

Breve apresentação de experiências de Educação Patrimonial.  Trabalho com elaboração de projetos em Educação Patrimonial.

Carga horária: 4 horas-aula

Horário: Dia 05 / 06, das 14h às 18h.

 

06.   Fundo Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural

Valéria Fernandes da Silva

Tratar da forma como se institui este Fundo e dos cuidados que se deve ter para a sua gestão.

Carga horária: 4 horas-aula

Horário: a definir

 

07.   Fotografia

Guilherme Felipe Costa (EA/UFMG)

Introdução à fotografia. Uso da fotografia para registro da cidade e do patrimônio. Oficina prática para utilização de câmera digital.

Carga horária: 4 horas-aula

Horário: Dias 05 e 06 / 06, das 14h às 18h.

08.   Mobilidade em cidades históricas

Mariana Verônica de Moura (TECTRAN)

Mobilidade em cidades históricas, abordando o tráfego de veículos pesados, acessibilidade de deficientes, obediência às regras de transito, e formas de solucionar estes problemas.

Carga horária: 4 horas-aula

Horário: Dia 06 / 06, das 14h às 18h.

09.   Uso de Novas Mídias na Educação Patrimonial

Vilmar Pereira de Souza (IEDS / Instituto de Estudos do Desenvolvimento Sustentável)

Apresentação de Novas Mídias e as possibilidades de usos na Educação Patrimonial (site, livros eletrônicos, revistas eletrônicas, mapeamento do patrimônio – Google Maps)

Carga horária: 4 horas-aula

Horário: Dia 06 / 06, das 14h às 18h.

As pré-inscrições podem ser feitas pelo e-mail oficinamestres2014@yahoo.com.br, informando os seguintes dados no corpo do e-mail: nome completo, instituição, e-mail, telefone para contato e o título da oficina desejada.

Palestra: O Novo Museu da Acrópole de Atenas, na FFLCH-USP

[clique na imagem para ampliá-la]

palestra_katerina_thomas

Exposição: cidade vivida | cidade sonhada, na Tenda Cultural Ortega y Gasset

Curadoria_ Eduardo Pimentel Pizarro (arquiteto, aluno de pós-graduação da FAUUSP)
Prêmio Jovem Cientista 2012

Abertura_ 17 maio_ sáb_ 14h
Visitação_ 19 maio a 7 junho_ seg a sáb_ 10h às 19h

Desenhos de crianças de 8 a 11 anos, moradoras da Favela de Paraisópolis, contrapondo a cidade em que vivem à cidade com que sonham, provocam um debate sócio-urbano acerca do presente e do futuro da metrópole de São Paulo.

Rodas de conversas

17 maio_ sáb_ 14h
Marcos Boldarini_ Boldarini Arquitetura e Urbanismo.
Vagner de Alencar_ ex-morador de Paraisópolis e autor do livro Cidade do Paraíso.
Maria Teresa Fedeli_ Coordenadora de Projetos em Paraisópolis, Coordenadora de Pós-Graduação da Escola da Cidade.
Joana Gonçalves_ Labaut-FAUUSP, Architectural Association (2009-2013).
Maria de Lourdes Zuquim_ LabHab-FAUUSP, NAPPLAC, Vice-líder Gepec.
Marcos Rosa_ Coordenador Deutsche Bank Urban Age Award RIO, autor dos livros ‘’Microplanning’’ e ‘’Handmade Urbanism’’.
Patrícia Samora_ LabHab-FAUUSP.

31 maio_ sáb_ 14h
Milton Braga_ MMBB Arquitetos e FAUUSP.
Gilson Rodrigues_ Presidente da União dos Moradores e Comércio de Paraisópolis.
Maria Teresa Diniz_ USP Cidades, Coordenadora do Projeto de Urbanização de Paraisópolis – Sehab (2005-2013).
Roberta Kronka_ Labaut-FAUUSP, Assessora Técnica da Superintendência de Gestão Ambiental da USP.
Catharina Pinheiro_ FAUUSP.
Antônio Cláudio M. L. Moreira_ FAUUSP, PMSP (1990-1992), EMPLASA (1985-1986), EMURB (1973).

Oficina discussão + mão na massa
24 maio_ sáb_ 14h às 17h

E você? O pensa da cidade em que vive e da cidade com sonha? Venha participar de oficina de discussão e desenho na qual poderá expressar o que pensa de uma forma diferente, reproduzindo a atividade realizada pelas crianças de Paraisópolis, agora na Tenda!

Fonte: Tenda Cultural Ortega y Gasset

Exposição de Novas Aquisições – de 12 a 16 de maio de 2014

 

lightbook

LIVROS

 

CONGRESSO INTERNACIONAL EXTRAORDINÁRIO DE CRÍTICOS DE ARTE. Cidade Nova: Síntese das Artes. Rio de Janeiro: UFRJ/FAU, 2009. 170 p. DOCOMOMO RIO.

701.18 / Se52c

 

FARIAS, Agnaldo Arice Calda;  Mauro Restiffe intersection. In: BANDEIRA, João; MEIRELES, Cildo, FARIA, Agnaldo, cur. Exposições: Cildo Meireles, Warchavchik, Mauro Restiffe, Catálogo de Exposição, São Paulo: Centro Universitário Maria Antônia-USP, 2013.

F707.4 / B221e

 

GOTTDIENER, Mark. A produção social do espaço urbano. 2 ed. São Paulo: EDUSP, 1997. 310 p.

301.36 / G712p 2.ed

 

GROSS, Carmela. Escadas, Carmela Gross volume 1. Rio de Janeiro: Fundação Casa França-Brasil, 2013. 116 p.

709.0481 / G914e

 

KEATING, Vallandro; MARANHÃO, Ricardo; SOUSA, Pero Lopes de. Diário de navegação Pero Lopes e a expedição de Martim Afonso de Sousa (1530-1532). São Paulo : Editora Terceiro Nome, c2011. 244 p.

918.1 / K22d

 

LAFER, Betty Mindlin. (Org.). Planejamento no Brasil. 3. ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 1975. 187 p.

338.981/ P693 /3.ed

 

LIMA, Ana Gabriela Godinho; QUIROGA, Fernando Agrasar. PERRONE, Rafael Antonio Cunha. Uma pedra no céu elementos da materialidade brutalista no Museu Brasileiro da Escultura de Paulo Mendes da Rocha (1988-1995). In: SEMINÁRIO DOCOMOMO BRASIL. 10º. 2013, Curitiba. Arquitetura moderna e internacional: conexões brutalistas 1955-75, Curitiba: 2013. p. on line.  Disponível em: <http://xdocomomobrasil.com.br/artigos&gt;. Acesso em: 28/02/2014.

F727.6 / L628p

 

RUFINONI, Manoela Rossinetti. Preservação e restauro urbano: intervenções em sítios industriais. São Paulo: Fap-Unifesp/ Edusp, 2013. 358 p.

725.4 / R839pr

 

SEMINÁRIO INTERNACIONAL INSTRUMENTOS URBANÍSTICOS DE GESTÃO DA VALORIZAÇÃO DA TERRA E DE INDUÇÃO DO DESENVOLVIMENTO URBANO: um diálogo Brasil-Japão-Colômbia. 2009, Brasília, DF.[Anais…] Brasília (DF): Ministério das Cidades, 2010.

711.063 / Se52i e.1-.2

 

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL. FEDERAÇÃO DE ORGÃOS PARA ASSISTÊNCIA SOCIAL E EDUCACIONAL (BRASIL). Globalização, fragmentação e reforma urbana 😮 futuro das cidades brasileiras na crise. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1997. 426 p.

711.40981 / G51 2.ed

 

VARGAS, Heliana Comin ; ARAÚJO, Cristina Pereira de (org). Arquitetura e mercado imobiliário. Barueri: Manole, 2014. 302 p.

333.33 / Ar68

 

 

TESES

 

CAMEIRA, Sandra Ribeiro. O branding e a metodologia de sistemas de identidade visual. São Paulo, 2013. 426 p. Dissertação (Mestrado).

BRAGA, Marcos da Costa (orient).

658.827 C144b FAUPG 043:003.6 / C181b

 

D’ELBOUX, JOSÉ Roberto. Tipografia como elemento arquitetônico no Art Déco paulistano: uma investigação acerca do papel da tipografia como elemento ornamental e comunicativo na arquitetura da cidade de São Paulo entre os anos de 1928 a 1954. São Paulo, 2013. 299 p. Dissertação (Mestrado).

FARIAS, Priscila Lena (orient).

745.6 / D376t  CD2858 Setor Audiovisual FAUPG: 043:72.036.7 / D344t +1 CD-ROM [FAUPG] CD-ROM (anexo)

 

ESQUINCA, Michelle Marie Méndez. Os deslocamentos territoriais dos adultos moradores de rua nos bairros Sé e República. São Paulo, 2013. 236 p. Dissertação (Mestrado).

SAMPAIO, Maria Ruth Amaral de (orient).

362.5 / Es68d FAUPG: 043:304(1-21) / E82d

 

FERRANTE, Isabela Paiva Gomes. Entre a arquitetura experimental e a arquitetura para a experiência: máquinas, corpos e prótese de Lars Spuybroek/NOX. São Paulo, 2013. 281 p. Dissertação (Mestrado).

MAZZILI, Clice de Toledo Sanjar (orient).

720.19 / F411e  FAUPG] 043:159.937.24:72 / F373e

 

FRANCISCO, Rita de Cássia. Construtores anônimos em Campinas(1892-1933): fortuna crítica de suas obras na historiografia e nas políticas de preservação da cidade. São Paulo, 2013. 182 p. Tese (Doutorado).

KUHL, Beatriz Mugayar (orient).

690.98161 / F845c FAUPG: 043:72.03

 

PEZZIN, Olivia Chiavareto. Design de sinalização do metrô de São Paulo: estudo de caso de sua manutenção. São Paulo, 2013. 128 p. Dissertação (Mestrado).

MINAMI, Issao (orient).

001.553 / P469d FAUPG: 043:003.6 / P521d

 

RODRIGUES, Ligia Rocha. Territórios invisíveis da Vila Leopoldina: permanência, ruptura e resistência na cidade. São Paulo, 2013. 240 p.

MEYER, Regina Maria Prosperi (orient).

301.363 / R618t FAUPG: 043:301(1-21) / R696t

 

SANTOS, Demósthenes Magno. A história da construtora Alfredo Mathias 1950-1985. São Paulo, 2013. 285 p.

BRUNA, Paulo Julio Valentino (orient).

724.98161 / Sa59h FAUPG:  043:72.036 / S237h

 

Imagem: We heart it

Simpósio “Domesticidade, Gênero e Cultura Material”, no CPC-USP – inscrições até 15/05/2014

Organização:  

Centro de Preservação Cultural da USP

Programa de Pós-Graduação – FAU-USP

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp

Local:  Casa de Dona Yayá/CPC-USP

             Rua Major Diogo, 353 – Bela Vista – São Paulo – SP

             Centro Universitário Maria Antonia-USP

             Rua Maria Antonia, 294 – Vila Buarque – São Paulo

Inscrições gratuitas até 15 de maio pelo link http://zip.net/bfnjr3

O simpósio Domesticidade, Gênero e Cultura Material objetiva aprofundar o diálogo entre arquitetura, ciências sociais e história partindo de um conceito de habitação como artefato de cultura, de forma a relacionar as permanências e transformações nos modos de morar com processos técnicos, estéticos, urbanos, sociais, econômicos e políticos. A morada é aqui pensada em suas relações com a produção social e cultural, material e simbólica, bem como com a configuração de arranjos domésticos e familiares, relações de gênero e padrões de convívio e sexualidade, formas de satisfação corporal, psíquica e emocional.

Não poderia haver, nesse sentido, lugar mais apropriado para a sua realização: a Casa da Dona Yayá, sede do Centro de Preservação Cultural da USP, bem tombado como patrimônio estadual e municipal justamente pelos testemunhos dramáticos da adaptação de um espaço doméstico a práticas de segregação terapêutica, aplicadas a sua ilustre residente.

O programa trará quatro mesas temáticas comentadas por um mediador que conduzirá os debates, e conferências que apresentarão pesquisas realizadas no Brasil em outros países. Entre os convidados estarão presentes especialistas da França, Argentina e México atuantes em universidades e entidades de preservação do patrimônio. Haverá, ainda, uma visita guiada a Casa da Dona Yayá, ajudando a perceber e problematizar o tema habitação a partir das três visões propostas – domesticidade, gênero e cultura material – permeadas pelo conceito de patrimônio cultural.

O espaço doméstico privilegiado nesse seminário é aquele que se constitui a partir do século XIX em um contexto de modernização e urbanização, e que sofre transformações significativas ao longo do século XX, com rupturas, mas também continuidades. Ao focalizar a habitação em suas múltiplas facetas e possibilidades de leitura, são considerados vários agentes profissionais (como arquitetos, advogados, médicos, engenheiros, decoradores, designers, jornalistas, dramaturgos, artistas, assistentes sociais, religiosos, industriais, empresários); instituições (profissionais, políticas, religiosas, sociais e culturais), representações (escritas, visuais, cênicas) e suportes concretos (leis, regulamentos, periódicos, artefatos, construções exemplares, fotografias, manuais de dona de casa, álbuns de família, relatos orais, diários, anúncios, projetos, escritos literários, políticas de governo).

 

PROGRAMA

 

27 DE MAIO

9h APRESENTAÇÃO

9h30  CONFERÊNCIA 1

Confort, bien-etre, culture

Monique Eleb (École d’Architecture Paris-Malaquais, França)

Nos processos da domesticidade: a superposição de práticas cotidianas no mesmo espaço arquitetônico

Carlos Alberto Cerqueira Lemos (FAU-USP)

Local: Centro Universitário Maria Antonia-USP

14h MESA 1: USOS E CONFIGURAÇÕES DA DOMESTICIDADE

Mediação: Joana Mello de Carvalho e Silva

Um sobrado como mediação: Ana Rosa de Araújo entre a reclusão e a vida social

Paulo Cezar Garcez Marins (Museu Paulista-USP; PPG FAU-USP)

Bexiga, modos de morar, modos de viver

Ana Lúcia Duarte Lanna (FAU-USP/Condephaat)

Nas casas 37, uma personagem e duas formas de morar

Marly Rodrigues (Memórias Assessorias e Projetos)

Local: Casa de Dona Yayá/CPC-USP

18h Ó DE CASA

Visita: Casa de Dona Yayá

Mediadora: Sabrina Studart Fontenele Costa (CPC-USP)

Local: Casa de Dona Yayá/CPC-USP

28 DE MAIO

9h MESA 2: SABERES PROFISSIONAIS E VIVER COLETIVO

Mediação: José Tavares Correia de Lira

O lugar da casa na cidade: Rio de Janeiro na Belle Époque

Luciana Alem Gennari (Fundação Oswaldo Aranha)

Carmen Portinho: o conjunto público e a casa privada

Flávia Brito do Nascimento (FAU-USP)

Sobre modos de morar e modos de administrar a moradia: Edifício Esther, 1939-1962

Fernando Atique (EFLCH-Unifesp)

El multifamilar miguel alemán ¿hogar, dulce hogar? Una mirada  a la domesticidad de la vivienda colectiva moderna: Ciudad de México, 1949-2000

Graciela de Garay (Instituto Mora, México)

Local: Casa de Dona Yayá/CPC-USP

 

14h MESA 3: PAPÉIS DE GÊNERO E AGENCIAMENTOS DO MORAR

Mediação: Silvana Barbosa Rubino

As esculturas de fête galante na sociedade paulistana: um exercício de interpretação das funções domésticas dos objetos decorativos

Vânia Carneiro de Carvalho (MP-USP)

Gênero e materialidade nas vanguardas: o caso de Regina Gomide Graz

Ana Paula Cavalcanti Simioni (IEB-USP)

Domesticidade erótica na Casa Capuava de Flávio de Carvalho

José Tavares Correia de Lira (FAU-USP)

Georgia Hauner, Silvia, Claudia: mulheres e design moderno no fim dos anos 1960

Mina Warchavchik Hugerth (FAU-USP)

Local: Casa de Dona Yayá/CPC-USP

 19h  CONFERÊNCIA 2

La casa y la multitud: vivienda, política y cultura en la Argentina moderna

Jorge Francisco Liernur (Escola de Arquitetura e Estudos Urbanos Universidade Torcuato Di Tella, Argentina)

Local: Centro Universitário Maria Antonia-USP

 

29 DE MAIO

9h MESA 4: REPRESENTAÇÕES FEMININAS DO HABITAR

Mediação: Flávia Brito do Nascimento

Intérpretes da metrópole e a casa encenada

Heloísa Pontes (IFCH-Unicamp)

“Entre mulheres”: o universo feminino e o ambiente doméstico dos anos 1950 e 1960 pelas colunas femininas de Clarice Lispector

Joana Mello de Carvalho e Silva (FAU-USP)

Claudia, Casa y Mujer: imágenes de la modernización del hogar de los sectores medios en la Argentina de los años 1960 y 1970

Anahi Ballent (IESCT/CHI/UNQ/CONICET, Argentina)

O espaço doméstico dos anos 1970

Marinês Ribeiro dos Santos (Dadin-UTFPR)

Local: Casa de Dona Yayá/CPC-USP

14h30  CONFERÊNCIA 3

Imperfeitas mulheres: suburbanização, gênero e domesticidade

Silvana Barbosa Rubino (IFCH-Unicamp)

Local: Casa de Dona Yayá/CPC-USP

SIMPÓSIO DOMESTICIDADE, GÊNERO E CULTURA MATERIAL

COORDENAÇÃO CIENTÍFICA

Profa. Dra. Flávia Brito do Nascimento (FAU-USP)

Profa. Dra. Joana Mello de Carvalho e Silva (FAU-USP)

Prof. Dr. José Tavares Correia de Lira (FAU-USP)

Profa. Dra. Silvana Barbosa Rubino (IFCH-Unicamp)

COMISSÃO ORGANIZADORA

Profa. Dra. Flávia Brito do Nascimento (FAU-USP)

Profa. Dra. Joana Mello de Carvalho e Silva (FAU-USP)

Prof. Dr. José Tavares Correia de Lira (FAU-USP)

Profa. Dra. Silvana Barbosa Rubino (IFCH-Unicamp)

Dra. Sabrina Studart Fontenele Costa (CPC-USP)

Lucimara Vianna (CPC-USP)

INFORMAÇÕES

cpcpublic@usp.br

11 3106-3562 r. 2

facebook.com/cpcusp

Fonte: CPC-USP