Exposição: 88 anos David Libeskind – arquitetura atemporal, no Conjunto Nacional (São Paulo – SP)

expo_libeskind

Idealizada por Marcelo Libeskind e Matteo Gavazzi, com curadoria de Milena Leonel, mostra acontece no projeto mais famoso do arquiteto.

Criada a partir do acervo da família Libeskind, a exposição mostra, por meio de imagens, a vida e obra do arquiteto que desenvolveu, entre outros, o projeto do próprio Conjunto Nacional.

A exposição é dividida entre as variadas facetas de David Libeskind, que além de ser um arquiteto consagrado, foi também pintor, desenhista, designer gráfico e de móveis. A mostra promete uma viagem pelo universo de um dos gênios brasileiros.

Matteo Gavazzi pontua o tempo recorde de montagem da exposição e o carinho com que foi produzida, apenas através de pessoas que abraçaram a causa e colocaram seu empenho para vê-la acontecer. “Quando o Marcelo Libeskind nos convidou para organizar essa exposição em homenagem aos 88 anos do David Libeskind, não duvidamos nem por um segundo em aceitar esse desafio. Foram longos meses de preparação, mas graças à teimosia e profissionalismo de todos os envolvidos conseguimos botar de pé, em tempo recorde, uma belíssima exposição com curadoria da talentosíssima Milena Leonel, sobre esse arquiteto genial”, destaca Matteo.

A exposição conta com cerca de 150 imagens, em formatos variados, que foram cuidadosamente digitalizadas a partir do acervo físico da família. Segundo Milena Leonel, foi uma oportunidade de preservar, digitalmente, uma parte da história da arquitetura brasileira e torná-la visível aos olhos dos demais.

Ficha técnica

exposição
88 anos David Libeskind – arquitetura atemporal

idealização
Marcelo Libeskind e Matteo Gavazzi

curadoria
Milena Leonel

produção
Ana Clara Queiroz e Felipe Grifoni

realização
GAPS Magazine

patrocínio
Refugios Urbanos e Animacasa

88 anos David Libeskind – arquitetura atemporal

acontece de 24/11/2016 a 23/12/2016

Segunda a sábado, das 9h às 22h; domingo, das 12h às 20h

local:

Conjunto Nacional
Av. Paulista, 2073
São Paulo SP Brasil

fonte
Marcelo Libeskind
São Paulo SP Brasil

Fonte: http://www.vitruvius.com.br/jornal/agenda/read/6572

Palestra e lançamento do livro Jayme C. Fonseca Rodrigues Arquiteto

Lançamento do livro dia 17 de novembro de 2016, 19 horas
Rua Ceará, 202, Higienópolis, São Paulo
Casa do arquiteto, com apresentações de Hugo Segawa, Juliana Suzuki, Nilce Aravecchia-Botas e da família

unnamed-1

Este livro não existiria não fosse o zelo de Maria Helena (1910-1989) e Vera Maria (1935-2015) que, desde 1946, preservaram a memória e o acervo técnico do marido e do pai.
JAYME CAMPELLO FONSECA RODRIGUES (1905-1946) foi colega de turma de Oswaldo Bratke, contemporâneo de Eduardo Kneese de Mello e Henrique Mindlin no curso de Arquitetura da Escola de Engenharia Mackenzie.
Até 1946, ele havia realizado projetos de urbanização e habitação social para o IAPC e IAPETC, bem como suas sedes na capital paulista; desenvolveu propostas de paisagismo, prédios de apartamentos e casas, hospitais, arquitetura de interiores, mobiliário, luminárias e objetos. Tinha um conjunto de realizações mais extenso que seus colegas de geração. Provavelmente, ao lado de Rino Levi, mantinha o maior (se não o maior mesmo) escritório de projetos de arquitetura de São Paulo. Por ele passaram arquitetos como Migue Forte, Aníbal Martins Clemente e Oswaldo Corrêa Gonçalves. Mede-se seu prestígio por ter sido fundador e primeiro vice-presidente do IAB/SP.
O livro se organiza em sete partes: “Uma cápsula do tempo” é a narrativa da guarda e resgate de uma documentação conservada pela viúva e filhas: desenhos originais, croquis, memoriais técnicos, fotografias, diários, correspondência de escritório, arquivo técnico que se preservou, quase íntegro, por 70 anos; “Uma viagem de 41 anos” é a biografia e trajetória profissional de JCFR, uma leitura realizada a partir desses documentos e pesquisa de campo; “Um arquiteto emsemblier”, ensaio da Profª Juliana Suzuki (DAU-UFPR) que analisa o design de interiores, projeto de mobiliário e objetos e comunicação visual desenvolvido pelo arquiteto; “Um cinema do ano 2000” narra um episódio da descentralização da Cinelândia carioca, com o projeto do Cine São Luiz, no Catete, Rio de Janeiro; “Não se limitou a erguer paredes lisas” é o registro do projeto e obra da casa do arquiteto na Rua Ceará, 202 e sua vizinha; “Edifícios dignos da importantíssima classe” é o estudo da Profª Nilce Aravecchia-Botas (FAU-USP) sobre os projetos para os IAPs – sedes administrativas e conjuntos habitacionais – que JCFR desenvolveu para o governo Getúlio Vargas; e “Um palácio de sonho debruçado sobre o mar” é a crônica da criação do cult edifício Sobre as Ondas, no Guarujá, que JCFR não chegou a ver construído.
Sua morte, aos 41 anos, interrompeu uma carreira em plena ascensão. O canto do cisne foi o edifício Sobre as Ondas, tombado pelo CONDEPHAAT.
O Sobre as Ondas parecia apontar novos rumos para um arquiteto cujos desenhos se referenciavam na estética dos transatlânticos, no streamline, no gosto art déco. Era um designer que dialogava com Rob Mallet-Stevens, Pierre Patout, Michel Roux-Spitz, Bruno Elkouken, J.-E. Ruhlmann, J.-E. Leleu, Ivan da Silva Bruhns. Antecipando muitos colegas, desde cedo dedicou-se à arquitetura de interiores e projeto de mobiliário, em sintonia com o que se fazia de mais refinado nos Estados Unidos e Europa nos anos 1930/40.
Seu desaparecimento prematuro também o fez desaparecer da História da Arquitetura e do Design. Esta pequena mostra é o início do resgate de uma obra e um personagem que foi um ponto de inflexão na arquitetura paulista e brasileira.
Este livro, fragmento da documentação preservada por Maria Helena e Veria Maria, é lançado aos 111 anos do nascimento, e 70 anos da morte de JCFR.

Hugo Segawa

unnamed-2

Imagem inédita do ateliê de Arquitetura no Mackenzie College, provavelmente em 1929 ou 1930. O professor e alguns alunos estão identificados. Fotos arquivo JCFR.

unnamed-3

JCFR posando junto ao desenho apresentado como projeto de conclusão do curso de Arquitetura, 1930.

unnamed-4Hall de entrada da residência Antônio da Fonseca Rodrigues, 1931.

unnamed-5

Projeto de interiores da ala residencial do Palácio Campos Elíseos, São Paulo. Gabinete do governador Armando de Salles Oliveira, 1935.

unnamed-6Perspectiva de apresentação da fachada principal do Cine São Luiz, na Rua do Catete, Rio de Janeiro. 1933-1937.

unnamed-7

Grande Hall do Cine São Luiz. Rio de Janeiro. 1933-1937.

unnamed-8

Sala de projeção do Cine São Luiz. Rio de Janeiro. 1933-1937.

unnamed-9

Perspectiva de apresentação do edifício-sede do IAPETC São Paulo. 1939-1943.

unnamed-10

Desenho de pormenores de corrimões e gradis do edifício-sede do IAPETC São Paulo. 1939-1943.

unnamed-11Detalhamento do letreiro de concreto do edifício-sede do IAPETC São Paulo. 1939-1943.

unnamed-12

Entrada  do edifício-sede do IAPETC São Paulo. 1939-1943.

EPSON scanner image

Fundação do IAB/SP. Da esquerda para direita: JCFR, Eduardo Kneese de Mello, Hermínio de Andrade Silva, Paulo Camargo de Almeida. 1943.

unnamed-14

Este é um convite para, 79 anos depois da sua inauguração, uma nova visita à moradia projetada para a família do próprio arquiteto. Matéria de jornal de 1937, sem identificação.

Estudantes e professores com identificação poderão usufruir de desconto de 50% no lançamento

Uma publicação BEĨ Editora | edição bilíngue, 264 páginas, 22,7 X 30,0 cm | R$ 120,00

Fonte: E-mail enviado pelo prof. Hugo Segawa.

Workshop Scopus, ScienceDirect e Mendeley na USP

[clique na imagem para ampliá-la]

workshop

Lançamento do livro “Antigos Aldeamentos Jesuíticos: A Companhia de Jesus e os aldeamentos indígenas”

ant-ald-jes

Organizador: Gabriel Frade
Autores: Benedito Lima de Toledo, Maria Helena Flexor, Ney de Souza e Percival Tirapeli
Data: 16 de setembro de 2016, sexta-feira
Horário: 15h
Local: Sala 24 – FAU Maranhão
Endereço: Rua Maranhão, 88, Higienópolis. São Paulo – SP

Resenha:

Este livro é uma contribuição de renomados pesquisadores ao estudo da presença da Companhia de Jesus no Brasil colonial. Particularmente, são oferecidos ao público alguns elementos de leitura sobre os aldeamentos jesuíticos, estruturas antecessoras das famosas Reduções jesuíticas adotadas pelos filhos de Santo Inácio de Loyola em sua estratégia missionária para conduzir os índios à “bandeira” do Cristo.

Fonte: Edições Loyola

IAU recebe nova edição do “Seminário de História da Cidade e do Urbanismo”

O Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU) da USP, em São Carlos, irá sediar entre 13 e 15 de setembro de 2016 o “XIV Seminário de História da Cidade e do Urbanismo (SHCU) – Cidade, Arquitetura e Urbanismo: Visões e revisões do Século XX”.

Criado por iniciativa do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia, o Seminário de História da Cidade e do Urbanismo vem sendo realizado a cada dois anos desde 1990. Anais, livros e coletâneas das 13 edições organizadas por programas de pós-graduação de diferentes instituições no Brasil constituem material de referência e expressam os avanços alcançados e os desafios enfrentados por um número crescente de pesquisadores que, a partir da história, vêm contribuindo para o conhecimento das cidades e do urbanismo.

Ao voltar a acolher o Seminário de História da Cidade e do Urbanismo, 22 anos após a organização de sua 3ª em São Carlos, em 1994, o IAU-USP e seu Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo propõem a reflexão e o debate sobre a história e a historiografia da cidade, da arquitetura e do urbanismo do século XX.

Fonte: Eventos-USP

Seminário: “Flavio Motta – A História da Arte, o Artista”, na FAUUSP

Data: 24/08/2016
Horário: das 14h às 18h30
Local: Sala 807 – FAUUSP
Endereço: Rua do Lago, 876, Cid. Universitária, São Paulo – SP
Organização: Profa. Dra. Ana Lanna e Profa. Dra. Joana Mello

Lançamento do livro: “Michel Arnoult, Design e Utopia”

[clique na imagem para ampliá-la]

arnoult