Habitáculo

habitaculo_2016

 

O terraço da biblioteca foi escolhido pelos alunos Igor Grasser, Leticia de Caroli, Leticia Hein, Pedro Rossi e Pedro Amorim para a montagem do habitáculo projetado por eles.

O trabalho ficará exposto até o fim do mês.

A atividade faz parte da disciplina AUP-0446 – Design do objeto. Os docentes responsáveis são Cristiane Aun Bertoldi, Giorgio Giorgi Junior, Luis Antonio Jorge e Myrna de Arruda Nascimento.

IAU recebe nova edição do “Seminário de História da Cidade e do Urbanismo”

O Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU) da USP, em São Carlos, irá sediar entre 13 e 15 de setembro de 2016 o “XIV Seminário de História da Cidade e do Urbanismo (SHCU) – Cidade, Arquitetura e Urbanismo: Visões e revisões do Século XX”.

Criado por iniciativa do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia, o Seminário de História da Cidade e do Urbanismo vem sendo realizado a cada dois anos desde 1990. Anais, livros e coletâneas das 13 edições organizadas por programas de pós-graduação de diferentes instituições no Brasil constituem material de referência e expressam os avanços alcançados e os desafios enfrentados por um número crescente de pesquisadores que, a partir da história, vêm contribuindo para o conhecimento das cidades e do urbanismo.

Ao voltar a acolher o Seminário de História da Cidade e do Urbanismo, 22 anos após a organização de sua 3ª em São Carlos, em 1994, o IAU-USP e seu Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo propõem a reflexão e o debate sobre a história e a historiografia da cidade, da arquitetura e do urbanismo do século XX.

Fonte: Eventos-USP

Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, na Unesp-Bauru

Inscrições abertas de 1/9 a 4/11 na Unesp de Bauru

A Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Unesp, Câmpus de Bauru, informa que, de 1 de setembro a 4 de novembro de 2016, estão abertas às inscrições para seleção de aluno regular junto ao Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo .

O programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (PPGARQ) tem por objetivo principal a capacitação para a pesquisa e o ensino de nível superior.

Credenciado pela CAPES em 2013, é o primeiro mestrado acadêmico na área de Arquitetura e Urbanismo na Unesp e o terceiro das universidades públicas do Estado de São Paulo.

O PPGARQ tem uma única área de concentração em “Arquitetura e Urbanismo” e duas Linhas de Pesquisa: “Planejamento e avaliação do ambiente construído” e “Teoria, história e projeto”.

Mais informações acesse: http://www.faac.unesp.br/#!/pos-graduacao/mestrado-e-doutorado/arquitetura-e-urbanismo/processo-seletivo2052/

Fonte: Unesp

Curso de Difusão: Caminhos Urbanos – Arquitetura, Cidade e Educação Patrimonial em São Paulo, no CPC-USP

Caminhos Urbanos

 

MÓDULO 1 – A construção do centro de São Paulo (1877-1954)

Cadastro das pré-inscrições de 15 a 28 de agosto de 2016 no link http://goo.gl/forms/OoGNmyzBnkEQDIJq1

O curso tem como objetivo oferecer aos participantes a oportunidade de conhecer a cidade de São Paulo para refletir criticamente sobre a constituição arquitetônica e urbanística do seu centro e sobre os significados de seu patrimônio, procurando entrelaçar as histórias da arquitetura e da cidade com os contextos econômico, político, social e cultural brasileiros.

MINISTRANTES
Ana Claudia Scaglione Veiga de Castro
Doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo e professora do Departamento de História da Arquitetura e Estética do Projeto da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Fundamento Sociais da Arquitetura e Urbanismo.

Joana Mello de Carvalho e Silva
Doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo, professora do Departamento de História da Arquitetura e Estética do Projeto da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP e da Escola da Cidade. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em História e Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo.

PERÍODO
De 12 de setembro a 24 de outubro de 2016, às segundas-feiras, das 18h30 às 20h30 e sábados, 8 e 22 de outubro de 2016, das 9h às 13h.

PÚBLICO-ALVO
Professores da Rede Pública de ensino e funcionários públicos de instituições afins (arquivos, bibliotecas, escolas, etc).

CARGA HORÁRIA: 20h

VAGAS OFERECIDAS: 32

ATIVIDADE GRATUITA

PROGRAMA

12/9 – AULA 1
Compreender a arquitetura, pensar a cidade, reconhecer seu patrimônio I
Parâmetros de compreensão da arquitetura, do urbanismo e do patrimônio, entendidos como parte da história cultural da cidade.

19/9 – AULA 2
A cidade de taipa e sua expansão [meados do século 19]
Em meados do século XIX, notam-se os primeiros impulsos transformadores que alteram a paisagem urbana: a fundação da Academia de Direito (1847), o surgimento da imprensa, a implantação das linhas férreas, a presença de estrangeiros e ex-escravos em busca de seu lugar na cidade. É nesse momento que ocorrem as primeiras reformas classicizantes nas antigas construções de taipa, e se impõe a necessidade de cruzar o Anhangabaú, levando à construção do Viaduto do Chá.

26/9 – AULA 3
Ecletismo como índice da modernidade [fim do século 19, início do 20]
A vontade modernizadora posterior à Independência, à abolição e à proclamação da República se materializa numa arquitetura eclética de inspiração europeia que remodela o centro. O vale do Anhangabaú deixa de ser os fundos da cidade para se tornar um cartão postal, a sua face moderna, com os novos edifícios que o circundam: Teatro Municipal, Palacetes Prates, Edifício dos Correios e Telégrafos, entre outros.

03/10 – AULA 4
Primeira verticalização [décadas de 1920 e 1930]
A necessidade de se intervir num centro já congestionado gera alguns planos e intervenções urbanísticas, como o Perímetro de Irradiação (1924) e a Praça do Patriarca (1926). Nota-se também uma primeira verticalização que se sobrepõe à cidade eclética recém construída, criando novos cartões postais em que os primeiros arranha-céus – Sampaio Moreira, Martinelli, etc – são retratados. Intervenções de maior porte, quando a região da República já é compreendida como centro, culminam no Plano de Avenidas (1930).

08/10 – AULA 5
Caminhos urbanos: arquitetura, cidade e educação patrimonial I
VISITA AO CENTRO VELHO
Percurso pelas bordas da colina histórica, partindo do Pátio do Colégio, em direção a Sé, Carmo, Boa Vista, São Bento, Libero Badaró, Patriarca, São Francisco, São Bento, viaduto Boa Vista e Pátio do Colégio. Visita aos edifícios do Pátio do Colégio e Sampaio Moreira.

10/10 – AULA 6
Segunda verticalização [décadas de 1940 e 1950]
Um segundo período de verticalização é parte do processo de metropolização da cidade, com a expansão e consolidação da mancha urbana, a diversificação das atividades econômicas, a vinda de novos fluxos migratórios e o significativo aumento da população, gerando uma nova face moderna para São Paulo. Edifícios modernistas povoam a paisagem do centro velho e do centro novo, conformando uma nova área de investimentos.

22/10 – AULA 7
Caminhos urbanos: arquitetura, cidade e educação patrimonial II
VISITA AO CENTRO NOVO
Percurso a partir do Viaduto do Chá, Teatro Municipal, São João, Ipiranga, Praça da República, São Luís, Praça Dom José Gaspar, Rua Marconi, Teatro Municipal. Visita ao Teatro Municipal e à Biblioteca Mario de Andrade.

24/10 – AULA 8
Compreender a arquitetura, pensar a cidade, reconhecer seu patrimônio II
Pensar os desafios do patrimônio no centro de uma cidade que congrega diversas camadas, inúmeras imagens e que formulou sua identidade na destruição do passado e no elogio do novo.

CADASTRO DAS PRÉ-INSCRIÇÕES de 15 a 28 de agosto de 2016 no link http://goo.gl/forms/OoGNmyzBnkEQDIJq1

IMPORTANTE: haverá seleção.
O cadastro da pré-inscrição não garante a vaga no curso.
Até o dia 8 de setembro de 2016, selecionados ou não, serão comunicados por email.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO
Ordem de inscrição e análise de justificativa de intenção.

CRITÉRIOS DE APROVAÇÃO
Frequência mínima exigida de 85%, bem como participação nas atividades. Carga horária mínima de 17h para aprovação do aluno. Carga Horária Mínima p/ Aprovação do Aluno (inclusive monografia): 17h.

LOCAL DE REALIZAÇÃO DO CURSO
O curso será realizado no Centro de Preservação Cultural Casa de Dona Yayá CPC-USP, na rua Major Diogo, 353 – Bela Vista – São Paulo – SP

Realização: Centro de Preservação Cultural – USP

Fonte: CPC-USP

Paulo Mendes da Rocha vence Leão de Ouro em Veneza pelo conjunto da obra

Notícia da Folha de S. Paulo

PMR

SILAS MARTÍ
DE SÃO PAULO

Paulo Mendes da Rocha, um dos arquitetos mais celebrados da história do país, acaba de ser anunciado o vencedor do Leão de Ouro pelo conjunto de sua obra na Bienal de Arquitetura de Veneza.

Primeiro brasileiro a vencer o prêmio na mostra italiana, este ano comandada pelo chileno Alejandro Aravena, ele também venceu o Pritzker, maior reconhecimento mundial da arquitetura, há dez anos.

Mendes da Rocha foi escolhido pelos diretores da mostra italiana como homenageado deste ano por sugestão de Aravena, o primeiro arquiteto latino-americano a dirigir uma edição desta que é a maior exposição de arquitetura do mundo.

De acordo com Aravena, o “atributo mais marcante de sua arquitetura é sua atemporalidade”. “Muitas décadas depois de construídos, seus projetos resistem aos avanços do tempo, tanto em aspectos físicos quanto de estilo. Essa consistência estarrecedora é consequência de sua integridade ideológica e sua genialidade estrutural”, diz o chileno. “Ele é um desafiador inconformado ao mesmo tempo que um realista apaixonado.”

Aravena também destacou na justificativa pela escolha de Mendes da Rocha seu papel nos campos político, geográfico e social, além de ele ter servido de exemplo para gerações de arquitetos no Brasil e na América Latina.

Mendes da Rocha, que receberá o prêmio em Veneza em 28 de maio, é um dos maiores nomes da escola paulista de arquitetura, reconhecido pelo estilo brutalista de suas construções, além de um profundo engajamento com ideais de esquerda.

1ª Feira do Livro de Arquitetura, na FAUUSP

[clique na imagem para ampliá-la]

feira de livros

Conferência internacional: “Ambientamento / dissonância: as palavras e as coisas do debate sobre o novo na cidade antiga”, com Andrea Pane

ambientamento

 

ANDREA PANE / Università degli Studi di Napoli Federico II

Arquiteto e doutor em Conservação do Patrimônio Arquitetônico, Andrea Pane é Professor Associado em Restauração do Departamento de Arquitetura da Università degli Studi di Napoli Federico II (Nápolis, Itália). O Professor veio ao Brasil a convite da PUC-Campinas e do Instituto de Arquitetos do Brasil.

A conferência será em italiano. Não haverá tradução simultânea. Participação gratuita, sem necessidade de inscrição prévia.

Data e horário: 10 de maio de 2016, às 19h.
Local: Sala dos Espelhos – FAU-Maranhão.
Endereço: Rua Maranhão, 88, Higienópolis – São Paulo-SP.

Organização: FAU-USP e CPC-USP.

Fonte: CPC-USP