Curso de Difusão: Caminhos Urbanos – Arquitetura, Cidade e Educação Patrimonial em São Paulo, no CPC-USP

Caminhos Urbanos

 

MÓDULO 1 – A construção do centro de São Paulo (1877-1954)

Cadastro das pré-inscrições de 15 a 28 de agosto de 2016 no link http://goo.gl/forms/OoGNmyzBnkEQDIJq1

O curso tem como objetivo oferecer aos participantes a oportunidade de conhecer a cidade de São Paulo para refletir criticamente sobre a constituição arquitetônica e urbanística do seu centro e sobre os significados de seu patrimônio, procurando entrelaçar as histórias da arquitetura e da cidade com os contextos econômico, político, social e cultural brasileiros.

MINISTRANTES
Ana Claudia Scaglione Veiga de Castro
Doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo e professora do Departamento de História da Arquitetura e Estética do Projeto da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Fundamento Sociais da Arquitetura e Urbanismo.

Joana Mello de Carvalho e Silva
Doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo, professora do Departamento de História da Arquitetura e Estética do Projeto da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP e da Escola da Cidade. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em História e Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo.

PERÍODO
De 12 de setembro a 24 de outubro de 2016, às segundas-feiras, das 18h30 às 20h30 e sábados, 8 e 22 de outubro de 2016, das 9h às 13h.

PÚBLICO-ALVO
Professores da Rede Pública de ensino e funcionários públicos de instituições afins (arquivos, bibliotecas, escolas, etc).

CARGA HORÁRIA: 20h

VAGAS OFERECIDAS: 32

ATIVIDADE GRATUITA

PROGRAMA

12/9 – AULA 1
Compreender a arquitetura, pensar a cidade, reconhecer seu patrimônio I
Parâmetros de compreensão da arquitetura, do urbanismo e do patrimônio, entendidos como parte da história cultural da cidade.

19/9 – AULA 2
A cidade de taipa e sua expansão [meados do século 19]
Em meados do século XIX, notam-se os primeiros impulsos transformadores que alteram a paisagem urbana: a fundação da Academia de Direito (1847), o surgimento da imprensa, a implantação das linhas férreas, a presença de estrangeiros e ex-escravos em busca de seu lugar na cidade. É nesse momento que ocorrem as primeiras reformas classicizantes nas antigas construções de taipa, e se impõe a necessidade de cruzar o Anhangabaú, levando à construção do Viaduto do Chá.

26/9 – AULA 3
Ecletismo como índice da modernidade [fim do século 19, início do 20]
A vontade modernizadora posterior à Independência, à abolição e à proclamação da República se materializa numa arquitetura eclética de inspiração europeia que remodela o centro. O vale do Anhangabaú deixa de ser os fundos da cidade para se tornar um cartão postal, a sua face moderna, com os novos edifícios que o circundam: Teatro Municipal, Palacetes Prates, Edifício dos Correios e Telégrafos, entre outros.

03/10 – AULA 4
Primeira verticalização [décadas de 1920 e 1930]
A necessidade de se intervir num centro já congestionado gera alguns planos e intervenções urbanísticas, como o Perímetro de Irradiação (1924) e a Praça do Patriarca (1926). Nota-se também uma primeira verticalização que se sobrepõe à cidade eclética recém construída, criando novos cartões postais em que os primeiros arranha-céus – Sampaio Moreira, Martinelli, etc – são retratados. Intervenções de maior porte, quando a região da República já é compreendida como centro, culminam no Plano de Avenidas (1930).

08/10 – AULA 5
Caminhos urbanos: arquitetura, cidade e educação patrimonial I
VISITA AO CENTRO VELHO
Percurso pelas bordas da colina histórica, partindo do Pátio do Colégio, em direção a Sé, Carmo, Boa Vista, São Bento, Libero Badaró, Patriarca, São Francisco, São Bento, viaduto Boa Vista e Pátio do Colégio. Visita aos edifícios do Pátio do Colégio e Sampaio Moreira.

10/10 – AULA 6
Segunda verticalização [décadas de 1940 e 1950]
Um segundo período de verticalização é parte do processo de metropolização da cidade, com a expansão e consolidação da mancha urbana, a diversificação das atividades econômicas, a vinda de novos fluxos migratórios e o significativo aumento da população, gerando uma nova face moderna para São Paulo. Edifícios modernistas povoam a paisagem do centro velho e do centro novo, conformando uma nova área de investimentos.

22/10 – AULA 7
Caminhos urbanos: arquitetura, cidade e educação patrimonial II
VISITA AO CENTRO NOVO
Percurso a partir do Viaduto do Chá, Teatro Municipal, São João, Ipiranga, Praça da República, São Luís, Praça Dom José Gaspar, Rua Marconi, Teatro Municipal. Visita ao Teatro Municipal e à Biblioteca Mario de Andrade.

24/10 – AULA 8
Compreender a arquitetura, pensar a cidade, reconhecer seu patrimônio II
Pensar os desafios do patrimônio no centro de uma cidade que congrega diversas camadas, inúmeras imagens e que formulou sua identidade na destruição do passado e no elogio do novo.

CADASTRO DAS PRÉ-INSCRIÇÕES de 15 a 28 de agosto de 2016 no link http://goo.gl/forms/OoGNmyzBnkEQDIJq1

IMPORTANTE: haverá seleção.
O cadastro da pré-inscrição não garante a vaga no curso.
Até o dia 8 de setembro de 2016, selecionados ou não, serão comunicados por email.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO
Ordem de inscrição e análise de justificativa de intenção.

CRITÉRIOS DE APROVAÇÃO
Frequência mínima exigida de 85%, bem como participação nas atividades. Carga horária mínima de 17h para aprovação do aluno. Carga Horária Mínima p/ Aprovação do Aluno (inclusive monografia): 17h.

LOCAL DE REALIZAÇÃO DO CURSO
O curso será realizado no Centro de Preservação Cultural Casa de Dona Yayá CPC-USP, na rua Major Diogo, 353 – Bela Vista – São Paulo – SP

Realização: Centro de Preservação Cultural – USP

Fonte: CPC-USP

Anúncios

Faculdade de Saúde Pública recebe seminário sobre mobilidade urbana e saúde

No dia 16 de maio, das 8 às 12h30, o Departamento de Epidemiologia em parceria com o Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP promoverá o I Seminário Caminhos da Cidade: O desafio de discutir mobilidade urbana e saúde.

Nas mesas de debate, serão discutimos temas como a poluição veicular no município de São Paulo, urbanização não planejada, idosos e dificuldade de atravessar as ruas em segurança, além de mobilidade motorizada e seus impactos na saúde.

O evento será gratuito, oferecido a acadêmicos da USP e aberto para toda a comunidade externa. Para participar, basta preencher este formulário eletrônico.

O seminário será transmitido via IPTV e oferecerá Atestados de Participação aos participantes inscritos e aos palestrantes, emitidos pela CCEx – FSP.

Fonte: Eventos USP

Conferência internacional: “Ambientamento / dissonância: as palavras e as coisas do debate sobre o novo na cidade antiga”, com Andrea Pane

ambientamento

 

ANDREA PANE / Università degli Studi di Napoli Federico II

Arquiteto e doutor em Conservação do Patrimônio Arquitetônico, Andrea Pane é Professor Associado em Restauração do Departamento de Arquitetura da Università degli Studi di Napoli Federico II (Nápolis, Itália). O Professor veio ao Brasil a convite da PUC-Campinas e do Instituto de Arquitetos do Brasil.

A conferência será em italiano. Não haverá tradução simultânea. Participação gratuita, sem necessidade de inscrição prévia.

Data e horário: 10 de maio de 2016, às 19h.
Local: Sala dos Espelhos – FAU-Maranhão.
Endereço: Rua Maranhão, 88, Higienópolis – São Paulo-SP.

Organização: FAU-USP e CPC-USP.

Fonte: CPC-USP

Projeto busca estudantes de arquitetura interessados em construir uma cidade para crianças

O projeto “Cidade que Brinca” propõe que o espaço urbano seja visto como uma “plataforma educativa”. Para construir esse sonho, eles estão chamando estudantes de arquitetura de todas as universidades para integrar a rede “Arquitetos Transformadores”. O objetivo? Construir ambientes que facilitem os percursos, atividades e brincadeiras ao ar livre, tornando a cidade mais humana, caminhável, saudável, segura e mais lúdica para as crianças.

“Uma cidade boa para as crianças é boa para todos. Para isso, criamos através de pequenas intervenções nos espaços públicos da cidade circuitos lúdicos com brincadeiras no passeio público, mobiliário urbano, paisagismo, fachadas mais alegres com o uso da cor. Convidamos a comunidade para transformar seus espaços em mutirões e agora convidamos você para se juntar a nós nessa ação”, diz o convite.

A participação é voluntária e gostar de crianças é fundamental. Além disso, ter disponibilidade para oito horas de trabalho dinâmico-teóricas e mais de trabalho de campo. Os interessados em participar devem preencher o formulário da Rede Arquitetos Transformadores .

Fonte: Catraquinha

Palestras: Envelhecimento e Mobilidade Urbana, na FAUUSP

Data: 13/04/2016, quarta-feira
Local: Sala 801 – FAUUSP
Endereço: Rua do Lago, 876, Cid. Universitária, São Paulo – SP

A cidade para o idoso: como garantir?
Adriana Romeiro de Almeida Prado
Horário: das 18h50 às 20h10

Serão apresentados os impactos do envelhecimento da população na vida das cidades.

Adriana é arquiteta e mestre em Gerontologia Social, especialista em Gerontologia e Acessibilidade. Coordenadora da Comissão de Acessibilidade a Edificações e Meio, do Comitê Brasileiro de Acessibilidade, da ABNT. Atua na área de políticas públicas nos áreas de acessibilidade urbana e edilícia e política para o idoso. Co-autora da publicação Desenho Universal: Caminhos da Acessibilidade no Brasil. Ed Annablume, 2010; Acessibilidade nos Municípios: como aplicar o Decreto 5296/04, Cepam 2009 e Município acessível ao cidadão, Cepam, 2001.

Os idosos no Metrô-SP
Cecilia Guedes
Horário: das 20h40 às 22h

O estudo do público idoso no metrô se justifica pelo fato de que na cidade há uma circulação cada vez maior destas pessoas nos transportes públicos. Se antes essa parcela da população estava mais restrita ao lar e à vida familiar, hoje, por uma série de razões, tem uma vida bem mais longa e ativa.

Cecília é graduada e Mestre em Psicologia Social pela USP e doutora em Ciências Sociais pela PUCSP. Trabalha há 28 anos no Metrô-SP e exerce o cargo de Chefe de Departamento de Relacionamento com o Usuário.

V Seminário Pensamento Crítico e Cidade Contemporânea: “Direito à Cidade e a Pertinência Social da Arquitetura”

[clique na imagem para ampliá-la]

0001

Lançamento do livro: “Turismo, arquitetura e cidade”

[clique na imagem para ampliá-la]

turismo arq cidade

Data: 22 de março de 2016
Horário: 18h30
Local: Livraria da Vila
Endereço: Rua Fradique Coutinho, 915, Vila Madalena, São Paulo-SP