Apresentação de slides da palestra: “Como publicar pesquisas hoje? A mudança de paradigma na publicação científica”

I Fórum de Publicações Científicas da FMVZ/USP

Programação

3 de dezembro
9:00-9:30 Abertura
9:30-10:45 Ética na publicação científica – Prof. Dr. Sigmar de Mello Rode – UNESP
10:45-11:00 Intervalo
11:00-12:15 Plágio em publicações científicas – Prof. Dr. Marcelo Krokoscz – FECAP
12:15-14:00 Almoço
14:00-15:15 Mídias sociais e publicações científicas – Profa. Dra. Germana Fernandes Barata – UNICAMP
15:15-15:30 Intervalo
15:30-16:45 Periódicos predatórios – Bibliotecária Camila Molgara Gamba – FMVZ/USP
4 de dezembroCurso de redação científica para pós-graduandos – Prof. Dr. Luis Reynaldo Ferracciu Alleoni – ESALQ/USP
9:00-11:00 Parte 1
11:00-11:15 Intervalo
11:15-12:45 Parte 2
12:45 Encerramento

Local:
Anfiteatro Altino Antunes – FMVZ/USP
Av. Prof Dr. Orlando Marques de Paiva, 87
Cidade Universitária – São Paulo – SP

Informações: spgfmvz@usp.br

Vagas limitadas.

Inscrições AQUI

Palestra: “Como publicar pesquisas hoje? A mudança de paradigma na publicação científica”, com Paola De Marco Lopes dos Santos e Leandro Medrano

[clique na imagem para ampliá-la]

palestra paola medrano

Dicas para a escolha do periódico para publicação de artigos científicos – I

Nos dias de hoje, mais do que conseguir publicar um artigo científico é preciso saber ONDE fazê-lo.  Publicar em uma revista bem “ranqueada” conta muitos pontos para o seu currículo , mas como saber quais são as revistas mais adequadas nesse mar de publicações em que vivemos mergulhados? Para isso existem  sites que ajudam a identificar quais são as revistas  MAIS CITADAS, de acordo com sua área de interesse:

JCR

ISI Web of Knowledge – JCR  (Journal Citation Report) –  pertence à  empresa Thomson Reuters, as métricas são realizadas sobre os registros da base de pesquisa de textos completos Web of Science . Multidisciplinar, é o mais importante indexador  amplamente utilizado pelos órgãos de fomento:

http://admin-apps.webofknowledge.com/JCR/JCR?PointOfEntry=Home&SID=4DHNlhVJ6pQ3X9pTjJB

Deve ser acessada pela rede de pesquisa da USP, ou seja nos campi ou por acesso VPN se estiver fora do campus. Para saber do que se trata siga o link: https://bibfauusp.wordpress.com/biblioteca-virtual/acesso-vpn-virtual-private-network/

SJR

Scimago Journal Rank – pertence à empresa Elsevier, as métricas são realizadas sobre os registros da Base de pesquisa de textos completos Scopus. Multidisciplinar, é mais abrangente que a anterior tem maior cobertura das áreas da FAU. Apesar da base Scopus ser acessada somente pela rede de pesquisa da USP, o SJR tem acesso aberto.

http://www.scimagojr.com/journalrank.php?country=BR

SCIELO

Scientífic Electronic Library Online – Base brasileira de textos completos de artigos de  periódicos tem acesso aberto e é mantida pela FAPESP/ CNPq.  É coleção subsidiária do Web of  Science.

 http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_alphabetic&lng=en&nrm=iso

QUALIS

“… é o conjunto de procedimentos utilizados pela Capes para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas de pós-graduação” (Portal Capes). É usado como indexador apesar de não ser esta a sua real vocação.

https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/veiculoPublicacaoQualis/listaConsultaGeralPeriodicos.jsf

Se tiver dúvidas sobre as bases de dados indexadoras, escolha de periódicos para publicação de artigos e sobre escrita científica entre em contato com Paola pelo e-mail paolasan@usp.br

PAOLA DE MARCO LOPES DOS SANTOS

Comunicação Científica – Biblioteca da FAUUSP

Workshop para Autores e Pesquisadores 2015

workshop

Data: 08 de outubro de 2015
Horário: 10:30 – 14:30
Local: Auditório do INRAD – Instituto de Radiologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP – Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, s/nº – Rua 1 – Cerqueira César – São Paulo, SP. [Mapa: http://bit.ly/MapaInRad]

=== INSCRIÇÃO ===

Inscrição pelo link: http://bit.ly/Workshop_Pesquisadores_2015

=== PROGRAMAÇÃO ===

10h00 – 10h30 | RECEPÇÃO

10h30 – 10h40 | ABERTURA
Stacy Sieck, Gerente de Comunicação, Américas, Taylor & Francis

10h40 – 10h50 | O Brasil no panorama da pesquisa
Vicki Donald, Editora, Taylor & Francis
Esta será uma introdução às demais sessões do workshop.

10h50 – 12h10h | Publicação acadêmica – Parte I                        
Vicki Donald, Editora, Taylor & Francis
Stacy Sieck, Gerente de Comunicação, Américas, Taylor & Francis
a) A perspectiva dos autores (As três coisas que preocupam os autores quando vão publicar um artigo em um periódico)
b) Como escolher onde publicar
c) Como escrever o artigo
d) O que acontece na avaliação por pares

12h10 – 13h00 | ALMOÇO                                    

13h00 – 13h40 | Publicação acadêmica – Parte II    
Vicki Donald, Editora, Taylor & Francis
a) A perspectiva dos editores – Palestrante convidado
b) Como promover o seu artigo após a sua publicação

13h40 – 14h00 | Atualização do White Paper sobre avaliação por pares da Taylor & Francis
Stacy Sieck, Gerente de Comunicação, Américas, Taylor & Francis
Esta sessão irá abordar os benefícios da avaliação por pares de artigos acadêmicos da Taylor & Francis.

14h00 – 14h20 | Tendências futuras da publicação acadêmica    
Vicki Donald, Editora, Taylor & Francis
Esta sessão irá abordar as tendências da publicação acadêmica e apresentar as nossas previsões para o futuro.

14h20 – 14h30 | Encerramento, perguntas e observações finais

Organização e promoção
*Taylor & Francis Group
*Sistema Integrado de Bibliotecas da Universidade de São Paulo – SIBiUSP
*Divisão de Biblioteca e Documentação da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – DBD/FMUSP

 

Fonte: SIBi-USP

Novo número da revista PÓS

pós 37

Já está disponível o número 37, bilíngue, da revista Pós.

Acesse aqui.

Fórum Periódicos Científicos: Estratégias para Expandir e Melhorar a Comunicação com a Sociedade

Data: 26 de agosto 2015
Local: Auditório do Instituto de Psicologia da USP

Inscrições online: http://bit.ly/Fórum_Periódicos_Científicos

Os periódicos científicos estão entre as principais fontes de informação da mídia especializada em ciência e tecnologia. Apesar da crescente participação do Brasil na produção científica mundial, os periódicos científicos brasileiros ainda são bem pouco divulgados pela mídia nacional, ao contrário do destaque que as publicações internacionais recebem. Dentre as razões para esta invisibilidade está a percepção de jornalistas de que as revistas científicas brasileiras não têm qualidade ou credibilidade, o difícil acesso a informações relevantes produzidas por essas publicações.

Os periódicos internacionais, sobretudo os de alto impacto, há tempos já atentaram para a importância da comunicação com jornalistas e com a sociedade para lhes garantir maior visibilidade dentro e fora da academia.

Aproveitar dos ricos canais de comunicação que a USP já possui com a sociedade e a mídia para divulgar os conteúdos publicados pelos periódicos científicos é otimizar o trabalho das publicações, que normalmente se encerra no lançamento de uma nova edição.

A divulgação dos conteúdos das revistas científicas pode ampliar o público leitor, atrair submissões de artigos e gerar visibilidade para as publicações, além de enriquecer a divulgação científica de pesquisas brasileiras, valorizar a pesquisa nacional e dar acesso à população aos debates, resultados e reflexões a cerca da ciência brasileira.

Este evento faz parte do projeto de pesquisa “Os periódicos científicos brasileiros: estratégias para expandir e melhorar a comunicação com a sociedade” financiado pela Fapesp (Processo 2013/10075-8).

Organização: Uma parceria do Sistema Integrado de Bibliotecas (SIBi) da USP e o Laboratório de Estudos Avançados em jornalismo (Labjor) da Unicamp, com financiamento da FAPESP.

Fonte: SIBi-USP

Palestra “Periódicos Científicos Brasileiros: estratégias para expandir e melhorar a comunicação com a sociedade”

[Clique na imagem para ampliá-la]

Palestra

 

Clique aqui para fazer sua inscrição.

 

Fonte: SIBi-USP

Lançado o Portal do Livro Aberto em Ciência, Tecnologia e Inovação

Organizado pelo IBICT, portal reúne publicações oficiais em ciência, tecnologia e inovação

O Portal do Livro Aberto em Ciência, Tecnologia e Inovação foi lançado nesta quarta-feira (15/05), em Brasília, no auditório do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT). O Portal tem o objetivo de reunir, divulgar e preservar as publicações oficiais em ciência, tecnologia e inovação, editadas por órgãos dos Poderes Executivo e Legislativo Federal.

O Portal foi lançado com 527 publicações oficiais. Sua estrutura segue os 18 temas da Estratégia Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovação, dentre Fármacos e Complexo Industrial da Saúde; Petróleo e Gás; Biotecnologia; Nanotecnologia; Biodiversidade; Mudanças Climáticas; Oceanos e Zonas Costeiras; Popularização da C, T & I; Inclusão Produtiva e Social, além de uma coleção sobre Ciência da Informação, área temática do projeto piloto, e uma amostra representativa das obras editadas pelo IBICT, ao longo dos seus quase 60 anos de existência.

Para o coordenador geral das Unidades de Pesquisa, Carlos Oití, representando na ocasião o subsecretário de Coordenação das Unidades de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Arquimedes Ciloni, o lançamento do Portal do Livro Aberto se insere em um programa que o IBICT lançou no Brasil: o Acesso Livre à Informação, do qual se disse fã incondicional.

“Este evento marca mais uma iniciativa de grande valor que deve ser bastante divulgada para que o Ministério e toda a comunidade venham a conhecer este trabalho. Sinto-me honrado por estar aqui, pois admiro muito as iniciativas e o esforço do pessoal do IBICT. Desde 82, eu acompanho este Instituto de perto e me lembro das fases não tão boas e das muito boas, sendo esta uma delas. Nós estivemos meses atrás em um seminário internacional, e tivemos conhecimento das realizações do IBICT nos últimos anos. Isso é surpreendente por dois motivos. O primeiro, que como coordenador das Unidades de Pesquisa do MCTI, eu pensei que soubesse o suficiente, mas verifiquei que não sei. A outra coisa é que, apesar de ter essa quantidade de realizações e eventos, não só eu não conheço, mas o Ministério também não conhece por completo o IBICT. Apenas a comunidade científica mais próxima tem esse conhecimento. Eu fico angustiado por essas realizações não terem o tratamento merecido para a real valorização deste Instituto, que é uma das Unidades de Pesquisa mais importantes do MCTI”, salientou Oiti.

O diretor do IBICT, Emir Suaiden, disse que as revistas eletrônicas são ricas em produção científica e que o Instituto tem investido muito nessa informação. “Desenvolvemos este importante produto com o apoio da Finep, que é uma parceira muito importante para nós. Eu vejo o IBICT como um rato que ruge, ou seja, somos pequenos, temos poucos funcionários e o nosso orçamento não é o ideal, mas graças a esta garra que temos, conseguimos realizar muitos sonhos. Este Portal é um novo sonho muito importante para o nosso País e para a comunidade científica brasileira. Estamos fazendo ressurgir a convicção de que a memória do nosso patrimônio científico cultural precisa ser preservada. Só conseguiremos vencer e convencer quando dermos mais importância a esta memória e apresentarmos programas de grande impacto científico e tecnológico. Parabenizo a equipe do instituto pela devoção e agradeço também à SCUP, que sempre nos apoiou e incentivou nesta caminhada”, ressaltou Suaiden.

Paula Melo, da Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições (FEBAB), acrescentou que “não poderia ser diferente a minha presença em mais uma conquista do IBICT. Estou aqui como representante da UFRJ, membro do CTC, conselheira da CBBU, que é a Comissão Brasileira de Bibliotecas Universitárias, e eu queria destacar a relevância deste novo serviço que o IBICT oferece para o desenvolvimento da ciência brasileira. Que o lançamento desse portal seja realizado com sucesso”, afirmou.

Isa Antunes, da Associação dos Bibliotecários do Distrito Federal (ABDF), agradeceu o IBICT por tomar a iniciativa do Portal, lembrando da obrigação dos profissionais bibliotecários de manter a memória das publicações oficias brasileiras.

A coordenadora geral de Pesquisa e Produtos Consolidados, Maria Carmem Romcy Carvalho, destacou que o Portal é um serviço que se apóia nas diretrizes políticas para o desenvolvimento e a promoção da informação governamental de domínio público, resultado do Simpósio Internacional sobre o Acesso Livre e o Domínio Público de Dados Digitais e Informação para a Ciência, organizado pela Unesco em 2003.

Carmem Romcy explicou que a intenção é a de que a manutenção do Portal seja feita de forma colaborativa, com a participação dos diferentes ministérios, Câmara dos Deputados e Senado Federal. Segundo ela, está em andamento a constituição do Comitê Gestor do Portal, com representantes das instituições publicadoras para orientar seu desenvolvimento.

Logo após a cerimônia de lançamento do Portal, os convidados seguiram para a inauguração do Laboratório de Digitalização, que a partir desta quarta-feira passou a integrar o portfólio de serviços da Biblioteca do Instituto.

Acesse aqui o Portal: http://livroaberto.ibict.br

(Núcleo de Comunicação Social do IBICT)

Ferramenta auxilia a identificar revistas para publicação de artigos

Fonte: Agência FAPESP

Por Elton Alisson

Agência FAPESP – A escolha de um periódico para publicar um trabalho representa a maior dificuldade enfrentada hoje por pesquisadores da China – país que registra uma das maiores taxas de crescimento de produção científica no mundo – durante o processo de preparação de artigos científicos.

A constatação é de uma pesquisa realizada com 333 cientistas chineses que publicam regularmente pela Edanz Group – consultoria que auxilia pesquisadores de países não falantes de língua inglesa a obter a aceitação de publicação de seus textos em revistas internacionais.

Ao serem questionados sobre qual o principal obstáculo que identificam durante a redação de um artigo científico para publicação, 118 pesquisadores chineses responderam que era escolher uma revista científica.

Outros 70 participantes da pesquisa afirmaram ter dificuldade de expressar claramente suas ideias em inglês – a língua “oficial” da ciência. Já 73 pesquisadores chineses indicaram ter problemas para compreender a orientação do periódico para os autores. E 63 disseram ter dificuldade para formatar seus artigos de acordo com as diretrizes para os autores.

“Identificar um periódico para publicar seus artigos ainda representa um problema para pesquisadores não só da China, mas também de outros países”, disse Daniel McGowan, diretor científico da Edanz Group.

McGowan participou, no dia 21 de março, do workshop “How to Write for and Get Published in Scientific Journals – Conselhos práticos de como publicar exitosamente seguindo normas internacionais na área de comunicação científica”, realizado pela FAPESP e pela Springer Brasil.

A fim de facilitar esse processo de identificação de periódicos, a empresa lançou uma ferramenta gratuita, disponível na internet, que identifica boas opções de revistas para publicação de artigos científicos específicos.

Ao digitar o resumo, ou frases-chave (ou amostra do texto no campo principal do programa), ela fornece uma lista de periódicos que publicam em áreas relacionadas ao tema da pesquisa relatada no artigo.

Os usuários do serviço podem refinar os resultados da busca com base em critérios que julgam ser importantes para publicações nas quais gostariam de publicar seu artigo, como frequência de publicação, fator de impacto e modelo de publicação e até acesso aberto.

O programa também fornece informações básicas sobre as publicações indicadas e uma lista de artigos relacionados ao tema pesquisado que a revista científica tenha publicado recentemente.

Com base nesse conjunto de informações, resta ao usuário visitar o site das publicações pelas quais se interessou para sacramentar a decisão de onde apresentar seu artigo.

“Muitos pesquisadores não levam em conta o perfil de leitor de uma determinada publicação ao submeter um artigo, por exemplo, o que é uma questão importante, que pode determinar a aceitação ou rejeição do artigo”, disse McGowan.

Avaliação

Uma das dicas dadas pelo especialista à plateia que lotou o auditório do Espaço Apas, foi basear a seleção de um periódico para publicar em uma avaliação honesta de seu artigo – incluindo aspectos relacionados à novidade apresentada pela pesquisa, à sua relevância e aos possíveis impactos na área.

“É preciso avaliar os reais avanços apresentados por suas pesquisas em comparação com o que já foi publicado”, disse McGowan. Para estimar o apelo da pesquisa, devem ser questionadas quais as reais aplicações da descoberta e se elas se estendem a outras áreas.

“Na área médica, por exemplo, algumas das questões possíveis para avaliar a relevância de um estudo científico são: quão comum é o problema ou a doença pesquisada? Ela atinge uma população específica ou é restrita a uma determinada região geográfica?”, afirmou McGowan.

De acordo com o especialista, parte das razões para a rejeição de um artigo pelas revistas científicas está relacionada a requisitos desconhecidos do periódico, problemas com as citações, fundamentação, objetivo e apresentação de dados da pesquisa, além de gramática e estilo de redação pobre e escolha inapropriada do periódico.