CPC Informa – Março

[clique na imagem para ampliá-la]

cpc

Curso de especialização “Restauro do Patrimônio Arquitetônico e Urbanístico”, na Unisantos

Matrícula AQUI

COORDENADORA
Profª. Drª. Leila Regina Diegoli

CARGA HORÁRIA
486 horas

INÍCIO
Março/2016

TÉRMINO
Junho/2017

HORÁRIO
Sábado, das 9h às 13h e das 14h às 18h

INVESTIMENTO
1ª. Mensalidade: R$ 520,00
Demais mensalidades (2 a 18) têm 10% de desconto sobre o valor integral, se pagas até o 3º dia útil de cada mês: R$ 468,00

LOCAL
Campus Boqueirão

OBJETIVOS
• 
Formação técnica de profissionais especializados para o trabalho com a proteção e preservação dos bens culturais construídos e agregados, assim como conjuntos urbanos tombados ou não.
• Formar especialistas para trabalhar em escritórios ou em órgão públicos, bem como em licitações que exigem formação técnica especializada.

PÚBLICO-ALVO
Profissionais com curso superior que apresentam interesse sobre a pesquisa e a prática da preservação e proteção do chamado patrimônio ambiental urbano. Está voltado principalmente para arquitetos, engenheiros, historiadores, artistas plásticos, advogados, turismólogos, administradores, geógrafos e educadores. Poderá ser admitido o ingresso de alunos portadores de diploma de graduação de cursos tecnológicos.

CONTEÚDOS ESPECÍFICOS (Componentes Curriculares)
• 
Conceitos básicos sobre o patrimônio cultural
• Legislação de salvaguarda do patrimônio
• História da arquitetura tradicional paulista
• Sistemas construtivos da arquitetura brasileira
• Pesquisa histórica e análise de acervos
• Metodologia de inventário do patrimônio ambiental urbano
• Programas de proteção e valorização do patrimônio
• Teoria e história do restauro
• Metodologia de projetos de restauro I
• Arqueologia da Arquitetura
• Patologia das construções
• Metodologia de projetos de Restauro II
• Tecnologia da restauração

Observação: Os discentes contarão com orientação individual para a elaboração e o desenvolvimento do Trabalho de Conclusão de Curso.

CONTATO
pos.arquitetura@unisantos.br

Os cursos de Especialização/MBA da Católica de Santos atendem a normativa vigente sobre os Cursos de Pós-graduação Lato Sensu, a Resolução CNE-CES 1/2007, bem como as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação em Direitos Humanos e para a Educação Ambiental. Eles foram construídos em consonância com as novas políticas públicas nacionais para os Cursos de Pós-graduação Lato Sensu, que visam estabelecer um padrão superior de qualidade para a formação de especialistas.

BENEFÍCIOS
• Bolsa ex-aluno (Cursos de Graduação, Pós-Graduação Lato Sensu ou Stricto Sensu): 15% de desconto para ex-alunos da Católica de Santos (curso concluído), a partir da parcela subsequente à comprovação do vínculo (exceto 1ª. parcela).
• Bolsa convênio: para funcionários de empresas conveniadas, a partir da parcela subsequente à comprovação do vínculo (exceto 1ª. parcela).
Os benefícios não são cumulativos. Para obter qualquer um deles, é necessário que a solicitação seja feita por meio de requerimento na secretaria, até o dia 10 do mês anterior ao vencimento da parcela, anexando-se o documento comprobatório.

Observações
• A Universidade se reserva o direito de alterar o cronograma e o corpo docente.
• Documentação necessária: cópias do RG, CPF, Certidão de Nascimento ou Casamento, diploma (autenticado), comprovante de residência, duas fotos 3×4 e Curriculum Vitae (resumido).
• A matrícula pode ser feita independentemente da entrega dos documentos, mas só será validada depois que eles forem apresentados.
• A inscrição presencial só poderá ser efetuada pelo interessado no curso, ou por pessoa munida de procuração autenticada em cartório.
• A efetivação da matrícula está condicionada ao pagamento do boleto da 1ª. parcela e entrega da documentação exigida.
• Antes do início do curso, o coordenador agendará reuniões (sem caráter seletivo) com cada aluno para exposição do programa e alinhamento do perfil do curso.

Fonte: Unisantos

“Gerenciamento de riscos para acervos culturais”, no Centro de Pesquisa e Formação – Sesc São Paulo

Programa

Acervos culturais estão expostos a vários perigos, desde eventos súbitos e catastróficos como grandes incêndios e inundações até os diferentes processos graduais e acumulativos de deterioração física, química e biológica. As instituições responsáveis por estes acervos são frequentemente confrontadas com a necessidade de estabelecer prioridades para o uso dos recursos disponíveis, tipicamente limitados, no momento de planejar e adotar medidas para sua salvaguarda. O que fazer primeiro? Quais são as prioridades dos acervos em seus contextos específicos? Como otimizar o uso dos recursos disponíveis para maximizar os benefícios do patrimônio cultural ao longo do tempo? O gerenciamento de riscos constitui uma forma eficaz de atender a estes questionamentos. O curso detalhará a metodologia do gerenciamento de riscos para o patrimônio cultural, baseada na norma técnica ABNT NBR ISO 31000:2009. Conceitos e ferramentas pertinentes serão apresentados, discutidos e colocados em prática através de aulas expositivas e interativas, exercícios e estudo de caso utilizando um acervo real. Ao final do curso, os participantes serão capazes de identificar, analisar quantitativamente e priorizar riscos específicos para acervos culturais em um dado contexto. Além disso, estarão aptos a desenvolver opções integradas, com otimizada relação custo-benefício, para a eliminação ou redução destes riscos.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do inicio da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Palestrantes

José Luiz Pedersoli Júnior

Químico especializado em gestão de riscos para o patrimônio cultural e na ciência dos materiais aplicada à conservação de bens culturais. Ampla experiência nacional e internacional na capacitação de profissionais do setor patrimonial para uso da metodologia de gestão de riscos em acervos culturais.

Pré-requisito

É desejável que os participantes sejam profissionais ou estudantes envolvidos com a gestão e/ou a conservação (preventiva) de acervos culturais.

Data

30/11/2015 a 04/12/2015

Dias e Horários

Segunda a sexta, 10h às 18h (com intervalo entre 13h e 14h).

Local

Valores

R$ 36,00 – credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 60,00 – pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 120,00 – inteira

Oficinas Fotográficas 2015

[clique na imagem para ampliá-la]

of fau

Curso Livre “Arquitetura e Pré-Fabricação: projeto e montagem de obras com utilização de componentes pré-fabricados”, na Escola da Cidade

1. APRESENTAÇÃO

No Brasil, a indústria da pré-fabricação de estruturas industrializadas vem nos últimos anos ganhando interesse pelo setor da construção e por este motivo tem se tornado um mercado promissor para os profissionais da arquitetura e engenharia, que podem desenvolver atividades na área de elaboração de projetos, na produção, e na montagem destas estruturas.

2. OBJETIVOS

Capacitar os participantes para o desenvolvimento de projetos em concreto pré-fabricado, argamassa armada, aço e madeira, como também atualização e ampliar conhecimentos de profissionais que já atuam na área. 3. PÚBLICO-ALVO: Arquitetos, Técnicos Especializados, Engenheiros e demais profissionais ligados à prática da construção civil. Estudantes de graduação em etapas finais de seu curso

4. CARGA HORÁRIA

O curso está estruturado em 12 h, com 4 aulas de 3 horas cada.

5. DIAS E HORÁRIOS DO CURSO

As aulas ocorrerão Quintas e Sextas-feiras, das 18 às 21h, nos dias 16 e 17 / 23 e 24 de Julho de 2015

6. ORGANIZAÇÃO

Valdemir Lúcio Rosa arquiteto e urbanista, graduação pela PUC CAMPINAS. Professor da Grade de Tecnologia e do curso eletivo, PRÉ-FABRICAÇÃO E CONCEPÇÃO ARQUITETONICA no 6º Ano no curso de Arquitetura e Urbanismo da Escola da cidade. Desde 1983 pesquisa pré-fabricação com Argamassa Armada, Gerenciamento de Fábrica de Pré-Fabricados para Escolas em Campinas (SP), com coordenação do arquiteto João Filgueiras Lima, Lelé, (1991/1993). Palestras e workshop em várias Escolas de arquitetura, Membro de conselhos gestores de Meio ambiente, Projeto de recuperação de área de ocupação em Brasília, 1999. Sócio e Diretor de Fabrica de Pré-Fabricados em Paulínia (2003/2010), Estudos de Habitação para o Haiti, Estudos para implantação de sistemas Pré-Fabricados para Nigéria (2013). Sócio/Diretor da VLR ARQUITETURA E URBANISMO, desde 1999 até o momento.

7. CUSTO

R$ 430,00

R$ 380,00 Alunos, ex-alunos e professores da Escola da Cidade

Fonte: Escola da Cidade

Curso de Difusão “Proteção de Bens Culturais: concepções e práticas”, no CPC-USP

proteção

 

Ministrante: Profa Dra Marly Rodrigues

Pré-inscrições até 12 de julho.

Diante da crescente ampliação do conceito de patrimônio cultural, vem se tornando cada vez mais necessário divulgar e discutir sua importância enquanto vetor de memórias sociais e o desempenho dos órgãos de preservação na constituição desse universo de representações culturais. O objetivo do curso é apresentar e discutir o desenvolvimento da ideia de proteção aos bens culturais a partir do conjunto de bens tombados e/ou protegidos por meio de outros instrumentos legais pelo poder público, entre as décadas de 1930 e 2000, com destaque para os momentos de transformações conceituais e metodológicas que influíram nos resultados obtidos.

PROGRAMA
Encontro 1 – A PRESENÇA DO PASSADO NO COTIDIANO
Observação das práticas cotidianas: a sociedade e o lugar de seus diversos passados.
Os passados representados no universo de bens protegidos pelo poder público.
O sentido social da construção de passados.
Passados e cultura material: os significados individuais e coletivos.

Encontros 2 e 3 – A INSTITUCIONALIZAÇÃO DE UM PASSADO COLETIVO: IDEIAS E PRÁTICAS, 1930 – 1970
Contextos histórico-culturais.
Contornos de um campo específico de conhecimento: a preservação de bens materiais.
A nação brasileira como protagonista da preservação.

Encontro 4 e 5 – A INSTITUCIONALIZAÇÃO DE UM PASSADO COLETIVO: IDEIAS E PRÁTICAS, 1970 – 1990
Contextos histórico-culturais.
Novas questões: memória e ambiente.
Outro personagem, a cidade: preservação, funções e re-apropriação dos espaços públicos.
Mundialização de valores culturais particulares.

Encontro 6: A INSTITUCIONALIZAÇÃO DE UM PASSADO COLETIVO: IDEIAS E PRÁTICAS, 1990 – 2010
A ampliação do universo conceitual e a prática preservacionista em São Paulo.
Entes administrativos brasileiros e as responsabilidades de proteção aos bens culturais.
Preservação e políticas públicas.

Encontros 7 e 8 – DOS ARTEFATOS AOS FAZERES
As representações imateriais e a preservação de bens culturais.
Os atuais instrumentos legais de proteção aos bens culturais.
Desafio: redesenho de competências; gestão.

Público-alvo: amplo, de interessados, profissionais e estudantes

Período: 4 a 27/8, terças e quintas-feiras, das 18 às 21h.

Carga horária: 24h

Pré-inscrições até 12/7/2015 no link http://goo.gl/forms/kODyHkVuai

Total de vagas oferecidas: 40

Taxa de inscrição: R$ 180,00 (inscrição + envio do certificado pelos Correios)

Vagas gratuitas: 5
Docente: 1
Discente: 1
Funcionário: 1
Terceira idade: 1
Outros/Comunidade: 1

Política de Isenções
Serão vistos caso a caso, pela Diretoria do CPC, sendo os critérios: 1) ordem de solicitação no ato do envio da ficha de pré-inscrição. 2) sócio-econômico – que possibilitará beneficiar aqueles que não tenham condições de pagar a taxa de inscrição.
IMPORTANTE: manifestar intenção pela isenção da taxa.

Critérios de Seleção
Análise de justificativa de intenção.

Critérios de aprovação
Frequência mínima exigida de 85%, bem como participação nas atividades. Carga horária mínima de 21h para aprovação do aluno.

Fonte: CPC-USP

Curso de difusão “Educação, Cidade, Patrimônio: Conteúdos, Metodologias, Práticas”, no CPC-USP – Inscrições até 14 de junho

cpc

 

Curso de difusão
EDUCAÇÃO, CIDADE, PATRIMÔNIO:
CONTEÚDOS, METODOLOGIAS, PRÁTICAS

Este curso pretende estabelecer um espaço de partilha de saberes e experiências entre educadores de diferentes perfis interessados na discussão das relações possíveis entre os campos do patrimônio cultural e da educação — e especialmente nas possibilidades e desafios do estabelecimento de experiências educativas no espaço urbano, em meio à rica trama de práticas, representações e objetos que constitui o patrimônio cultural urbano. Nos debates a serem promovidos ao longo do processo, os participantes serão também estimulados a discutir suas práticas e os contextos nos quais atuam, bem como as potencialidades de tais espaços para a relação entre a educação e o patrimônio cultural.

Programa
MÓDULO 1. Teoria por detrás de uma trajetória. Em paralelo à discussão das relações entre educação e patrimônio, os participantes serão estimulados a explorarem a Casa de Dona Yayá e a promoverem uma reflexão sobre as atividades educativas aí promovidas.
27/6, sábado
29/6, segunda-feira
30/6, terça-feira
1/7, quarta-feira

MÓDULO 2. Cidade como lugar de educação. Discussão da temática da “educação fora da sala de aula”, em busca da experiência urbana como eixo de aprendizado, abordando desde a escola peripatética dos gregos às experiências anarquistas, bem como a construção da recente ideia de “cidade educadora”.
2/7, quinta-feira
3/7, sexta-feira
4/7, sábado

MÓDULO 3. Práticas. Os participantes compartilharão experiências e serão estimulados a construírem propostas de educação articuladas à questões de patrimônio e experiência urbana.
6/7, segunda-feira
7/7, terça-feira
8/7, quarta-feira

Curso de difusão
30 horas.

Datas e horários
27 de junho a 8 de julho, das 9h às 12h.

Inscrições
Entre os dias 1º e 14/06, por meio da página http://bit.ly/1BruYS5

Atividade gratuita

Vagas limitadas
30 pessoas

MINISTRANTE
Arq.ª Samira Bueno Chahin
Arquiteta e Urbanista (FAU-USP), especialista em Gestão do Patrimônio Cultural (Universidade da Salamanca) e mestre em História e Fundamentos da Arquitetura e do Urbanismo (FAU-USP) com pesquisa sobre os lugares das práticas educativas nas Escolas Modernas, anarquistas, de São Paulo e Barcelona. Atualmente segue com as investigações sobre as concepções de cidade presentes em discursos educacionais.

Fonte: CPC-USP