CPC Informa – Março

[clique na imagem para ampliá-la]

cpc

Curso de especialização “Restauro do Patrimônio Arquitetônico e Urbanístico”, na Unisantos

Matrícula AQUI

COORDENADORA
Profª. Drª. Leila Regina Diegoli

CARGA HORÁRIA
486 horas

INÍCIO
Março/2016

TÉRMINO
Junho/2017

HORÁRIO
Sábado, das 9h às 13h e das 14h às 18h

INVESTIMENTO
1ª. Mensalidade: R$ 520,00
Demais mensalidades (2 a 18) têm 10% de desconto sobre o valor integral, se pagas até o 3º dia útil de cada mês: R$ 468,00

LOCAL
Campus Boqueirão

OBJETIVOS
• 
Formação técnica de profissionais especializados para o trabalho com a proteção e preservação dos bens culturais construídos e agregados, assim como conjuntos urbanos tombados ou não.
• Formar especialistas para trabalhar em escritórios ou em órgão públicos, bem como em licitações que exigem formação técnica especializada.

PÚBLICO-ALVO
Profissionais com curso superior que apresentam interesse sobre a pesquisa e a prática da preservação e proteção do chamado patrimônio ambiental urbano. Está voltado principalmente para arquitetos, engenheiros, historiadores, artistas plásticos, advogados, turismólogos, administradores, geógrafos e educadores. Poderá ser admitido o ingresso de alunos portadores de diploma de graduação de cursos tecnológicos.

CONTEÚDOS ESPECÍFICOS (Componentes Curriculares)
• 
Conceitos básicos sobre o patrimônio cultural
• Legislação de salvaguarda do patrimônio
• História da arquitetura tradicional paulista
• Sistemas construtivos da arquitetura brasileira
• Pesquisa histórica e análise de acervos
• Metodologia de inventário do patrimônio ambiental urbano
• Programas de proteção e valorização do patrimônio
• Teoria e história do restauro
• Metodologia de projetos de restauro I
• Arqueologia da Arquitetura
• Patologia das construções
• Metodologia de projetos de Restauro II
• Tecnologia da restauração

Observação: Os discentes contarão com orientação individual para a elaboração e o desenvolvimento do Trabalho de Conclusão de Curso.

CONTATO
pos.arquitetura@unisantos.br

Os cursos de Especialização/MBA da Católica de Santos atendem a normativa vigente sobre os Cursos de Pós-graduação Lato Sensu, a Resolução CNE-CES 1/2007, bem como as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação em Direitos Humanos e para a Educação Ambiental. Eles foram construídos em consonância com as novas políticas públicas nacionais para os Cursos de Pós-graduação Lato Sensu, que visam estabelecer um padrão superior de qualidade para a formação de especialistas.

BENEFÍCIOS
• Bolsa ex-aluno (Cursos de Graduação, Pós-Graduação Lato Sensu ou Stricto Sensu): 15% de desconto para ex-alunos da Católica de Santos (curso concluído), a partir da parcela subsequente à comprovação do vínculo (exceto 1ª. parcela).
• Bolsa convênio: para funcionários de empresas conveniadas, a partir da parcela subsequente à comprovação do vínculo (exceto 1ª. parcela).
Os benefícios não são cumulativos. Para obter qualquer um deles, é necessário que a solicitação seja feita por meio de requerimento na secretaria, até o dia 10 do mês anterior ao vencimento da parcela, anexando-se o documento comprobatório.

Observações
• A Universidade se reserva o direito de alterar o cronograma e o corpo docente.
• Documentação necessária: cópias do RG, CPF, Certidão de Nascimento ou Casamento, diploma (autenticado), comprovante de residência, duas fotos 3×4 e Curriculum Vitae (resumido).
• A matrícula pode ser feita independentemente da entrega dos documentos, mas só será validada depois que eles forem apresentados.
• A inscrição presencial só poderá ser efetuada pelo interessado no curso, ou por pessoa munida de procuração autenticada em cartório.
• A efetivação da matrícula está condicionada ao pagamento do boleto da 1ª. parcela e entrega da documentação exigida.
• Antes do início do curso, o coordenador agendará reuniões (sem caráter seletivo) com cada aluno para exposição do programa e alinhamento do perfil do curso.

Fonte: Unisantos

“Gerenciamento de riscos para acervos culturais”, no Centro de Pesquisa e Formação – Sesc São Paulo

Programa

Acervos culturais estão expostos a vários perigos, desde eventos súbitos e catastróficos como grandes incêndios e inundações até os diferentes processos graduais e acumulativos de deterioração física, química e biológica. As instituições responsáveis por estes acervos são frequentemente confrontadas com a necessidade de estabelecer prioridades para o uso dos recursos disponíveis, tipicamente limitados, no momento de planejar e adotar medidas para sua salvaguarda. O que fazer primeiro? Quais são as prioridades dos acervos em seus contextos específicos? Como otimizar o uso dos recursos disponíveis para maximizar os benefícios do patrimônio cultural ao longo do tempo? O gerenciamento de riscos constitui uma forma eficaz de atender a estes questionamentos. O curso detalhará a metodologia do gerenciamento de riscos para o patrimônio cultural, baseada na norma técnica ABNT NBR ISO 31000:2009. Conceitos e ferramentas pertinentes serão apresentados, discutidos e colocados em prática através de aulas expositivas e interativas, exercícios e estudo de caso utilizando um acervo real. Ao final do curso, os participantes serão capazes de identificar, analisar quantitativamente e priorizar riscos específicos para acervos culturais em um dado contexto. Além disso, estarão aptos a desenvolver opções integradas, com otimizada relação custo-benefício, para a eliminação ou redução destes riscos.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do inicio da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Palestrantes

José Luiz Pedersoli Júnior

Químico especializado em gestão de riscos para o patrimônio cultural e na ciência dos materiais aplicada à conservação de bens culturais. Ampla experiência nacional e internacional na capacitação de profissionais do setor patrimonial para uso da metodologia de gestão de riscos em acervos culturais.

Pré-requisito

É desejável que os participantes sejam profissionais ou estudantes envolvidos com a gestão e/ou a conservação (preventiva) de acervos culturais.

Data

30/11/2015 a 04/12/2015

Dias e Horários

Segunda a sexta, 10h às 18h (com intervalo entre 13h e 14h).

Local

Valores

R$ 36,00 – credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 60,00 – pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 120,00 – inteira

Oficinas Fotográficas 2015

[clique na imagem para ampliá-la]

of fau

Curso Livre “Arquitetura e Pré-Fabricação: projeto e montagem de obras com utilização de componentes pré-fabricados”, na Escola da Cidade

1. APRESENTAÇÃO

No Brasil, a indústria da pré-fabricação de estruturas industrializadas vem nos últimos anos ganhando interesse pelo setor da construção e por este motivo tem se tornado um mercado promissor para os profissionais da arquitetura e engenharia, que podem desenvolver atividades na área de elaboração de projetos, na produção, e na montagem destas estruturas.

2. OBJETIVOS

Capacitar os participantes para o desenvolvimento de projetos em concreto pré-fabricado, argamassa armada, aço e madeira, como também atualização e ampliar conhecimentos de profissionais que já atuam na área. 3. PÚBLICO-ALVO: Arquitetos, Técnicos Especializados, Engenheiros e demais profissionais ligados à prática da construção civil. Estudantes de graduação em etapas finais de seu curso

4. CARGA HORÁRIA

O curso está estruturado em 12 h, com 4 aulas de 3 horas cada.

5. DIAS E HORÁRIOS DO CURSO

As aulas ocorrerão Quintas e Sextas-feiras, das 18 às 21h, nos dias 16 e 17 / 23 e 24 de Julho de 2015

6. ORGANIZAÇÃO

Valdemir Lúcio Rosa arquiteto e urbanista, graduação pela PUC CAMPINAS. Professor da Grade de Tecnologia e do curso eletivo, PRÉ-FABRICAÇÃO E CONCEPÇÃO ARQUITETONICA no 6º Ano no curso de Arquitetura e Urbanismo da Escola da cidade. Desde 1983 pesquisa pré-fabricação com Argamassa Armada, Gerenciamento de Fábrica de Pré-Fabricados para Escolas em Campinas (SP), com coordenação do arquiteto João Filgueiras Lima, Lelé, (1991/1993). Palestras e workshop em várias Escolas de arquitetura, Membro de conselhos gestores de Meio ambiente, Projeto de recuperação de área de ocupação em Brasília, 1999. Sócio e Diretor de Fabrica de Pré-Fabricados em Paulínia (2003/2010), Estudos de Habitação para o Haiti, Estudos para implantação de sistemas Pré-Fabricados para Nigéria (2013). Sócio/Diretor da VLR ARQUITETURA E URBANISMO, desde 1999 até o momento.

7. CUSTO

R$ 430,00

R$ 380,00 Alunos, ex-alunos e professores da Escola da Cidade

Fonte: Escola da Cidade

Curso de Difusão “Proteção de Bens Culturais: concepções e práticas”, no CPC-USP

proteção

 

Ministrante: Profa Dra Marly Rodrigues

Pré-inscrições até 12 de julho.

Diante da crescente ampliação do conceito de patrimônio cultural, vem se tornando cada vez mais necessário divulgar e discutir sua importância enquanto vetor de memórias sociais e o desempenho dos órgãos de preservação na constituição desse universo de representações culturais. O objetivo do curso é apresentar e discutir o desenvolvimento da ideia de proteção aos bens culturais a partir do conjunto de bens tombados e/ou protegidos por meio de outros instrumentos legais pelo poder público, entre as décadas de 1930 e 2000, com destaque para os momentos de transformações conceituais e metodológicas que influíram nos resultados obtidos.

PROGRAMA
Encontro 1 – A PRESENÇA DO PASSADO NO COTIDIANO
Observação das práticas cotidianas: a sociedade e o lugar de seus diversos passados.
Os passados representados no universo de bens protegidos pelo poder público.
O sentido social da construção de passados.
Passados e cultura material: os significados individuais e coletivos.

Encontros 2 e 3 – A INSTITUCIONALIZAÇÃO DE UM PASSADO COLETIVO: IDEIAS E PRÁTICAS, 1930 – 1970
Contextos histórico-culturais.
Contornos de um campo específico de conhecimento: a preservação de bens materiais.
A nação brasileira como protagonista da preservação.

Encontro 4 e 5 – A INSTITUCIONALIZAÇÃO DE UM PASSADO COLETIVO: IDEIAS E PRÁTICAS, 1970 – 1990
Contextos histórico-culturais.
Novas questões: memória e ambiente.
Outro personagem, a cidade: preservação, funções e re-apropriação dos espaços públicos.
Mundialização de valores culturais particulares.

Encontro 6: A INSTITUCIONALIZAÇÃO DE UM PASSADO COLETIVO: IDEIAS E PRÁTICAS, 1990 – 2010
A ampliação do universo conceitual e a prática preservacionista em São Paulo.
Entes administrativos brasileiros e as responsabilidades de proteção aos bens culturais.
Preservação e políticas públicas.

Encontros 7 e 8 – DOS ARTEFATOS AOS FAZERES
As representações imateriais e a preservação de bens culturais.
Os atuais instrumentos legais de proteção aos bens culturais.
Desafio: redesenho de competências; gestão.

Público-alvo: amplo, de interessados, profissionais e estudantes

Período: 4 a 27/8, terças e quintas-feiras, das 18 às 21h.

Carga horária: 24h

Pré-inscrições até 12/7/2015 no link http://goo.gl/forms/kODyHkVuai

Total de vagas oferecidas: 40

Taxa de inscrição: R$ 180,00 (inscrição + envio do certificado pelos Correios)

Vagas gratuitas: 5
Docente: 1
Discente: 1
Funcionário: 1
Terceira idade: 1
Outros/Comunidade: 1

Política de Isenções
Serão vistos caso a caso, pela Diretoria do CPC, sendo os critérios: 1) ordem de solicitação no ato do envio da ficha de pré-inscrição. 2) sócio-econômico – que possibilitará beneficiar aqueles que não tenham condições de pagar a taxa de inscrição.
IMPORTANTE: manifestar intenção pela isenção da taxa.

Critérios de Seleção
Análise de justificativa de intenção.

Critérios de aprovação
Frequência mínima exigida de 85%, bem como participação nas atividades. Carga horária mínima de 21h para aprovação do aluno.

Fonte: CPC-USP

Curso de difusão “Educação, Cidade, Patrimônio: Conteúdos, Metodologias, Práticas”, no CPC-USP – Inscrições até 14 de junho

cpc

 

Curso de difusão
EDUCAÇÃO, CIDADE, PATRIMÔNIO:
CONTEÚDOS, METODOLOGIAS, PRÁTICAS

Este curso pretende estabelecer um espaço de partilha de saberes e experiências entre educadores de diferentes perfis interessados na discussão das relações possíveis entre os campos do patrimônio cultural e da educação — e especialmente nas possibilidades e desafios do estabelecimento de experiências educativas no espaço urbano, em meio à rica trama de práticas, representações e objetos que constitui o patrimônio cultural urbano. Nos debates a serem promovidos ao longo do processo, os participantes serão também estimulados a discutir suas práticas e os contextos nos quais atuam, bem como as potencialidades de tais espaços para a relação entre a educação e o patrimônio cultural.

Programa
MÓDULO 1. Teoria por detrás de uma trajetória. Em paralelo à discussão das relações entre educação e patrimônio, os participantes serão estimulados a explorarem a Casa de Dona Yayá e a promoverem uma reflexão sobre as atividades educativas aí promovidas.
27/6, sábado
29/6, segunda-feira
30/6, terça-feira
1/7, quarta-feira

MÓDULO 2. Cidade como lugar de educação. Discussão da temática da “educação fora da sala de aula”, em busca da experiência urbana como eixo de aprendizado, abordando desde a escola peripatética dos gregos às experiências anarquistas, bem como a construção da recente ideia de “cidade educadora”.
2/7, quinta-feira
3/7, sexta-feira
4/7, sábado

MÓDULO 3. Práticas. Os participantes compartilharão experiências e serão estimulados a construírem propostas de educação articuladas à questões de patrimônio e experiência urbana.
6/7, segunda-feira
7/7, terça-feira
8/7, quarta-feira

Curso de difusão
30 horas.

Datas e horários
27 de junho a 8 de julho, das 9h às 12h.

Inscrições
Entre os dias 1º e 14/06, por meio da página http://bit.ly/1BruYS5

Atividade gratuita

Vagas limitadas
30 pessoas

MINISTRANTE
Arq.ª Samira Bueno Chahin
Arquiteta e Urbanista (FAU-USP), especialista em Gestão do Patrimônio Cultural (Universidade da Salamanca) e mestre em História e Fundamentos da Arquitetura e do Urbanismo (FAU-USP) com pesquisa sobre os lugares das práticas educativas nas Escolas Modernas, anarquistas, de São Paulo e Barcelona. Atualmente segue com as investigações sobre as concepções de cidade presentes em discursos educacionais.

Fonte: CPC-USP

Oficinas Fotográficas 2015: “Fotografar é…”

[clique na imagem para ampliá-la]

foto

O Desenho de Croqui e sua Poética Arquitetônica – com Rodrigo Prata e Caio Marçon, no MuBE

croqui

Sábados
30 de maio a 27 de junho de 2015

Turma da manhã, das 10h às 12h
Turma da tarde, das 14h às 16h

Apresentação:
Este curso tem como principal objetivo o estudo prático da linguagem artística arquitetônica, através de um elemento como observação e estudos de casos, como desenhos técnicos e plantas, elevações, cortes e perspectivas arquitetônicas.
Os estudantes e arquitetos estão cada vez mais se distanciando da sensibilidade prática da conversa com o papel, estamos caminhando para uma nova era de tecnologia de construção civil, e com isso, perde-se a noção plástica e artística do elemento em estudo.
A partir de 5 aulas práticas a finalidade do curso é fazer com que alunos de Arquitetura e Urbanismo e demais interessados expressem e valorizem melhor suas ideias através do desenho a mão livre.

Público-alvo
Interessados em representação gráfica de arquitetura  à mão livre de modo geral.

Orientadores:
Rodrigo Prata é arquiteto e urbanista formado pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, tendo recebido uma bolsa por mérito devido ao desempenho em notas a partir do 4 semestre.
Participou de oito bancas de Trabalhos finais de Graduação no Centro Universitário Belas, Artes como arquiteto convidado. Realizou concursos ligados a Fecomercio como estudante. Convidado pela Belas Artes para ministrar a importância do desenho em croqui em três salas de aula. Ministra cursos livres sobre o desenvolvimento do desenho arquitetônico através de croquis em arquitetura. Fez cursos ligados à ilustração de arquitetura com o Arquiteto Eduardo Bajzek e cursou ilustração de arquitetura em aquarela com a Arquiteta Fernanda Vaz de Campos.

Caio Marçon é formado pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo e pós graduado em Urbanismo na Escola da Cidade. Estudou ilustração de projetos com o arquiteto Eduardo Bajzek, cursou o modulo de aquarela aplicada a arquitetura com a Arquiteta Fernanda Vaz de Campos, e se especializou com o curso REVIT 2014 aplicado ao desenho arquitetônico e autoCAD 2d na escola INCAD.

Inscrição
Inscreva-se através do e-mail: cursos@mube.art.br

Informe: Nome completo, RG, e-mail, telefone para contato, nome do curso e como soube do curso.

Para mais informações, entrar em contato através do telefone: 11 2594-2601 ramal 12

Fonte: MuBE

Curso Livre: Artes integradas no Patrimônio Arquitetônico, no Museu de Arte Sacra

Museu de Arte Sacra de São Paulo promove um Curso Livre sobre o tema “Artes integradas no Patrimônio Arquitetônico e os ambientes decorativos civis em Portugal e no Brasil”, com Prof. Doutor Gonçalo de Vasconcelos e Sousa, professor catedrático da Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa. Autor de diversos livros sobre Artes Decorativas; leccionou dezenas de cursos livres sobre temáticas ligadas às Artes e Ambientes Decorativos Históricos.

O curso tem como objetivo abordar um dos temas mais sedutores da arquitetura civil em Portugal e no Brasil, que prende-se com a formação dos ambientes decorativos domésticos e outros espaços civis desde o século XVIII até às primeiras décadas do século XX. Baseado em abundante documentação visual, muita dela inédita, será apresentada uma perspectiva de como se articularam as artes nos diversos tipos de ambientes civis das elites econômicas e sociais de diversas zonas de Portugal e do Brasil, bem como os modelos de inspiração que os foram influenciando.

Clique aqui  para baixar o programa.

Período: de 8 a 12 de junho
Aulas: 19h30 às 21h30
Carga horária: 10 horas
Valor: R$ 300 (VAGAS LIMITADAS)
Inscrições: mfatima@museuartesacra.org.br
Informações: (11) 5627.5393
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo
Endereço: Avenida Tiradentes, 676, Luz. Metro Tiradentes.
Estacionamento (ou alternativa de acesso): Rua Jorge Miranda, 43

Fonte: Museu de Arte Sacra