Projeto busca estudantes de arquitetura interessados em construir uma cidade para crianças

O projeto “Cidade que Brinca” propõe que o espaço urbano seja visto como uma “plataforma educativa”. Para construir esse sonho, eles estão chamando estudantes de arquitetura de todas as universidades para integrar a rede “Arquitetos Transformadores”. O objetivo? Construir ambientes que facilitem os percursos, atividades e brincadeiras ao ar livre, tornando a cidade mais humana, caminhável, saudável, segura e mais lúdica para as crianças.

“Uma cidade boa para as crianças é boa para todos. Para isso, criamos através de pequenas intervenções nos espaços públicos da cidade circuitos lúdicos com brincadeiras no passeio público, mobiliário urbano, paisagismo, fachadas mais alegres com o uso da cor. Convidamos a comunidade para transformar seus espaços em mutirões e agora convidamos você para se juntar a nós nessa ação”, diz o convite.

A participação é voluntária e gostar de crianças é fundamental. Além disso, ter disponibilidade para oito horas de trabalho dinâmico-teóricas e mais de trabalho de campo. Os interessados em participar devem preencher o formulário da Rede Arquitetos Transformadores .

Fonte: Catraquinha

Anúncios

Lançamento do livro: “Em busca das categorias da produção do espaço”, de Csaba Deák

[clique na imagem para ampliá-la]

csaba

Seminário Internacional “Justiça Espacial e o Direito à Cidade”, na FFLCH-USP

São Paulo – 7 a 10 de dezembro de 2015

Anfiteatro de Geografia – Prédio de Geografia e História da USP

Avenida Professor Lineu Prestes, 338 – Cidade Universitária, São Paulo-SP

Realização:

Grupo de Geografia Urbana Crítica Radical (GESP), Programa de Pós-graduação em Geografia Humana (PPGH-FFLCH-USP) e Instituto de Estudos Avançados (IEA-USP).

Coordenação:

Ana Fani Alessandri Carlos e

Glória Anunciação Alves.

Organizado pelo GESP e pelo Programa de Pós Graduação em Geografia Humana, com coparticipação do Instituto de Estudos Avançados da USP, o Seminário Internacional conta com o apoio do Departamento de Geografia da USP, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP (FFLCH-USP), da FAPESP e da CAPES. Dentre as atividade podemos contar com:

  1. Duas conferências:
    • a conferência de abertura, “La justice spatiale, expériences et pistes de recherche“, proferida pelo Prof. Dr. Philippe Gervais-Lambony, coordenador da revista Justice spatiale/spatial justice, da Université de Paris Ouest Nanterre la Défense (França); e
    • a conferência de encerramento, a ser proferida pela professora Nuria Benach, da Universitat de Barcelona (Espanha);
  2. Cinco mesas redondas e quatro sessões temáticas, contemplando temas que perpassam as reflexões em torno da temática da Justiça Espacial e o Direito à Cidade, sendo:
    • a crise urbana e a reprodução do econômico;
    • a segregação socioespacial e o direito à cidade;
    • as formas de resistência e a luta pelo urbano;
    • as políticas públicas e a justiça espacial; e
    • a justiça espacial e justiça ambiental na cidade.

Das mesas redondas, contabilizando um total de 20 trabalhos, participarão somente convidados. Dentre estes podemos contar com pesquisadores estrangeiros e brasileiros de outras instituições, participantes de movimentos sociais urbanos e membros do GESP autores de capítulos do livro “Justiça espacial e o direito à cidade”, que está em preparação e com lançamento previsto para o período do evento.

Quatro sessões temáticas que contarão com 35 trabalhos selecionados pela comissão científica e alguns painéis. O seminário envolverá no conjunto de suas atividades pesquisadores das áreas de sociologia, arquitetura, engenharia, direito, antropologia, geografia e filosofia.

Convidados:

Núria Benach (Universidade de Barcelona – Espanha); Philippe Gervais-Lambony (Universidade de Paris/Nanterre – França); Alysson Mascaro (Faculdade de Direito – USP); Análida Rincón Patiño (Universidad Nacional de Colombia – Medellín); Ângelo Serpa (UFBA); Arlete M. Rodrigues (Unicamp); Blanca Ramires (Universidad Autónoma Metropolitana-Xochimilco – México); Cibele Rizek (IA-USP); Edvânia Tôrres Gomes (UFPE); Francisco Comaru (UFABC); Guilherme Boulos (MTST); Jorge Luis Barbosa (UFF); Naxheli Ruiz (UNAM); Paul van der Lindert (Utrecht University – Holanda).

Inscrições:

  • O pagamento das inscrições deverá ser realizado via depósito bancário na conta do evento (Banco do Brasil – 001; ag: 7068-8; c/c: 6.870-5);
  • Após o pagamento da inscrição, o envio do comprovante de depósito para o email do evento (justicaespacial@gmail.com) confirmará a inscrição;
  • Para envio de comprovante e inscrição identifique no assunto do email o seu propósito com o título “comprovante de pagamento”;
  • Caso a inscrição esteja vinculada a autor de proposição de trabalho, identifique no corpo do email o nome do autor e o título do trabalho vinculado.

Professores e profissionais

R$ 150,00

R$ 250,00

Alunos de pós-graduação

R$ 100,00

R$ 170,00

Alunos de graduação

R$ 50,00

R$ 80,00

Valores

Até o dia 01/11

No colóquio

Contato:

  • Email: justicaespacial@gmail.com;

Comissão organizadora:

1. Rafael Faleiros de Pádua – UFMT

2. Cesar Simoni Santos – FFLCH/USP

3. Simone Scifoni – FFLCH/USP

4. Isabel Alvarez – FFLCH/USP

5. Danilo Volochko – UFPR

Comissão Científica

Prof Dr . Angelo Serpa – UFBA

Prof Dr Ariovaldo umbelino de Oliveira – FFLCH-USP

Prof Dr  Daniel Sanfelici- UFF

Prof Dra Edivânia Torres A. Gomes- UFPE

Prof Dra Ester Limonad – UFF

Prof Dr Jorge Luis Barbosa – UFF

Prof Dr Manoel Rodrigues Alves – IA-USP

Prof Dra Mariana Z. Albuquerque – UFRPE

Prof Dra Nelba Penna – UNB

Prof Dr Paul van der Lindert U. UU-Utrecht/Holanda

Prof Ricardo Alvarez – Centro Universitário Santo André

Prof Dra Rita C. C.Gomes – UFRN

Prof Dr Sant Clair Trindade Jr – UFPA

Prof Dra Silvana Pintaudi- UNESP-RC

Prof Dra Vera Pallamin – FAU/USP

Secretaria

Denys Silva Nogueira; e

Genovan Pessoa de Morais Ferreira

Fonte: Site do Evento

Palestra “La Ciudad Neoliberal”, com o Prof. Dr. Rodrigo Hidalgo Dattwyler, na FAU Maranhão

Prof. Dr. Rodrigo Hidalgo Dattwyler – Instituto de Geografia – PUC-Chile
Data: 02 de dezembro de 2015, quarta-feira
Horário: 15.00h
Local: Sala 12 – Fau Maranhão
Endereço: Rua Maranhão, 88, Higienópolis. São Paulo – SP

Disciplina AUH5708 Produção e apropriação do espaço metropolitano
Professores: Paulo Cesar Xavier Pereira e Beatriz Rufino

Oficina de intervenção: “Trafegar pelos rios do Bixiga”

of interv traf rios bixiga

 

Convidamos a todos os interessados nos rios que se escondem sob o asfalto do bairro do Bixiga em participar da nova edição da oficina Trafegar pelos rios do Bixiga, na qual navegaremos nestes rios em um barquinho sobre rodas, construído coletivamente.

Oferecida pela primeira vez em 2013, quando foi ministrada pelo Coletivo Mapa Xilográfico, a oficina propõe aos participantes a criação e execução de uma intervenção urbana por meio da construção de um barquinho sobre rodas. Esta nova edição será ministrada pelo Bloco Fluvial do Peixe Seco, coletivo de intervenção urbana formado pelos participantes da oficina original de 2013. Navegando pelos rios de asfalto, buscaremos explicitar sua presença ausente no espaço urbano, promovendo encontros entre pessoas, memórias, lugares e vestígios.

Programa
22/11, das 9h às 18h. Durante a manhã, ocorrerá a apresentação dos participantes e uma conversa em roda sobre os rios e o trabalho do Bloco. Durante a tarde, serão elaborados os trabalhos de preparação para a intervenção. Para esta atividade, as vagas serão limitadas.

29/11, das 14h às 18h. Em atividade aberta ao público, o barquinho produzido pelos participantes, a partir do original em exibição na exposição “Trafegar pelos rios do Bixiga”, percorrerá os rios do Bixiga acompanhado dos participantes da oficina e de todos os demais interessados.

HIDROFAIXAS: RIOS VISÍVEIS DO BIXIGA
A oficina constitui atividade paralela à exposição Hidrofaixas: rios visíveis do Bixiga, que ficará em cartaz entre 26 de novembro de 2015 e 14 de fevereiro de 2016.

ATIVIDADE GRATUITA
Vagas limitadas: 30 participantes

As inscrições serão realizadas até o dia 15 de novembro de 2016 por meio da página http://bit.ly/1PkBoh5

A seleção será realizada por meio de sorteio, sendo reservadas metade das vagas para moradores da região da Bela Vista.

Datas e horários
Domingos:
22/11, das 9h às 18h (com pausa para almoço às 13h)
29/11, das 14h às 18h

Ministrante:
Bloco Fluvial do Peixe Seco
Coletivo de intervenção urbana constituído de forma autônoma pelos participantes e entusiastas da primeira edição da oficina “Trafegar pelos rios do Bixiga”, em 2013. Desde então, o grupo promove ações poéticas e políticas no espaço urbano, ocupando-o e questionando-o.

Fonte: CPC-USP

Lançamento do livro “Arte, cultura e cidade: Aspectos estético-políticos contemporâneos”

[clique na imagem para ampliá-la]

arte, cultura e cidade

Revisada, norma técnica de acessibilidade em edificações pode ser baixada gratuitamente

Notícia do site CONSTRUNORMAS

Normativa da ABNT também estabelece requisitos para mobiliário, espaços e equipamentos urbanos

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) publicou recentemente a revisão da NBR 9050:2015 – Norma Técnica de Acessibilidade a Edificações, Mobiliário, Espaços e Equipamentos Urbanos, que entrará em vigor no dia 11 de outubro. Por decisão da Secretaria dos Direitos Humanos do Ministério da Justiça, por Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) celebrado com o Ministério Público Federal (MPF), todas as normas técnicas de acessibilidade poderão ser baixadas gratuitamente.

O texto revisado estabelece requisitos e parâmetros técnicos a serem observados para a elaboração de projeto, construção, instalação e adaptação do meio urbano e de edificações em conformidade com as condições de acessibilidade. Todo projeto universal é contemplado pela norma, que visa facilitar a superação dos obstáculos pelas pessoas com deficiência.

De acordo com a arquiteta coordenadora da Comissão de Acessibilidade a Edificações e ao Meio (CE 01) do Comitê Brasileiro de Acessibilidade (CB 40), Adriana Romero de Almeida Prado, o que motivou a atualização foi a colocação de barra de apoio em bacia com caixa acoplada. “Com essa mudança, haverá uma barra acima da caixa e uma barra articulada ao lado”, explicou, destacando que, a partir deste tema, começaram a surgir outras demandas para o texto.

Clique aqui para fazer o download da nova NBR 9050 e todas as outras 20 normas de acessibilidade da ABNT.