Projeto busca estudantes de arquitetura interessados em construir uma cidade para crianças

O projeto “Cidade que Brinca” propõe que o espaço urbano seja visto como uma “plataforma educativa”. Para construir esse sonho, eles estão chamando estudantes de arquitetura de todas as universidades para integrar a rede “Arquitetos Transformadores”. O objetivo? Construir ambientes que facilitem os percursos, atividades e brincadeiras ao ar livre, tornando a cidade mais humana, caminhável, saudável, segura e mais lúdica para as crianças.

“Uma cidade boa para as crianças é boa para todos. Para isso, criamos através de pequenas intervenções nos espaços públicos da cidade circuitos lúdicos com brincadeiras no passeio público, mobiliário urbano, paisagismo, fachadas mais alegres com o uso da cor. Convidamos a comunidade para transformar seus espaços em mutirões e agora convidamos você para se juntar a nós nessa ação”, diz o convite.

A participação é voluntária e gostar de crianças é fundamental. Além disso, ter disponibilidade para oito horas de trabalho dinâmico-teóricas e mais de trabalho de campo. Os interessados em participar devem preencher o formulário da Rede Arquitetos Transformadores .

Fonte: Catraquinha

Lançamento do livro: “Em busca das categorias da produção do espaço”, de Csaba Deák

[clique na imagem para ampliá-la]

csaba

Seminário Internacional “Justiça Espacial e o Direito à Cidade”, na FFLCH-USP

São Paulo – 7 a 10 de dezembro de 2015

Anfiteatro de Geografia – Prédio de Geografia e História da USP

Avenida Professor Lineu Prestes, 338 – Cidade Universitária, São Paulo-SP

Realização:

Grupo de Geografia Urbana Crítica Radical (GESP), Programa de Pós-graduação em Geografia Humana (PPGH-FFLCH-USP) e Instituto de Estudos Avançados (IEA-USP).

Coordenação:

Ana Fani Alessandri Carlos e

Glória Anunciação Alves.

Organizado pelo GESP e pelo Programa de Pós Graduação em Geografia Humana, com coparticipação do Instituto de Estudos Avançados da USP, o Seminário Internacional conta com o apoio do Departamento de Geografia da USP, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP (FFLCH-USP), da FAPESP e da CAPES. Dentre as atividade podemos contar com:

  1. Duas conferências:
    • a conferência de abertura, “La justice spatiale, expériences et pistes de recherche“, proferida pelo Prof. Dr. Philippe Gervais-Lambony, coordenador da revista Justice spatiale/spatial justice, da Université de Paris Ouest Nanterre la Défense (França); e
    • a conferência de encerramento, a ser proferida pela professora Nuria Benach, da Universitat de Barcelona (Espanha);
  2. Cinco mesas redondas e quatro sessões temáticas, contemplando temas que perpassam as reflexões em torno da temática da Justiça Espacial e o Direito à Cidade, sendo:
    • a crise urbana e a reprodução do econômico;
    • a segregação socioespacial e o direito à cidade;
    • as formas de resistência e a luta pelo urbano;
    • as políticas públicas e a justiça espacial; e
    • a justiça espacial e justiça ambiental na cidade.

Das mesas redondas, contabilizando um total de 20 trabalhos, participarão somente convidados. Dentre estes podemos contar com pesquisadores estrangeiros e brasileiros de outras instituições, participantes de movimentos sociais urbanos e membros do GESP autores de capítulos do livro “Justiça espacial e o direito à cidade”, que está em preparação e com lançamento previsto para o período do evento.

Quatro sessões temáticas que contarão com 35 trabalhos selecionados pela comissão científica e alguns painéis. O seminário envolverá no conjunto de suas atividades pesquisadores das áreas de sociologia, arquitetura, engenharia, direito, antropologia, geografia e filosofia.

Convidados:

Núria Benach (Universidade de Barcelona – Espanha); Philippe Gervais-Lambony (Universidade de Paris/Nanterre – França); Alysson Mascaro (Faculdade de Direito – USP); Análida Rincón Patiño (Universidad Nacional de Colombia – Medellín); Ângelo Serpa (UFBA); Arlete M. Rodrigues (Unicamp); Blanca Ramires (Universidad Autónoma Metropolitana-Xochimilco – México); Cibele Rizek (IA-USP); Edvânia Tôrres Gomes (UFPE); Francisco Comaru (UFABC); Guilherme Boulos (MTST); Jorge Luis Barbosa (UFF); Naxheli Ruiz (UNAM); Paul van der Lindert (Utrecht University – Holanda).

Inscrições:

  • O pagamento das inscrições deverá ser realizado via depósito bancário na conta do evento (Banco do Brasil – 001; ag: 7068-8; c/c: 6.870-5);
  • Após o pagamento da inscrição, o envio do comprovante de depósito para o email do evento (justicaespacial@gmail.com) confirmará a inscrição;
  • Para envio de comprovante e inscrição identifique no assunto do email o seu propósito com o título “comprovante de pagamento”;
  • Caso a inscrição esteja vinculada a autor de proposição de trabalho, identifique no corpo do email o nome do autor e o título do trabalho vinculado.

Professores e profissionais

R$ 150,00

R$ 250,00

Alunos de pós-graduação

R$ 100,00

R$ 170,00

Alunos de graduação

R$ 50,00

R$ 80,00

Valores

Até o dia 01/11

No colóquio

Contato:

  • Email: justicaespacial@gmail.com;

Comissão organizadora:

1. Rafael Faleiros de Pádua – UFMT

2. Cesar Simoni Santos – FFLCH/USP

3. Simone Scifoni – FFLCH/USP

4. Isabel Alvarez – FFLCH/USP

5. Danilo Volochko – UFPR

Comissão Científica

Prof Dr . Angelo Serpa – UFBA

Prof Dr Ariovaldo umbelino de Oliveira – FFLCH-USP

Prof Dr  Daniel Sanfelici- UFF

Prof Dra Edivânia Torres A. Gomes- UFPE

Prof Dra Ester Limonad – UFF

Prof Dr Jorge Luis Barbosa – UFF

Prof Dr Manoel Rodrigues Alves – IA-USP

Prof Dra Mariana Z. Albuquerque – UFRPE

Prof Dra Nelba Penna – UNB

Prof Dr Paul van der Lindert U. UU-Utrecht/Holanda

Prof Ricardo Alvarez – Centro Universitário Santo André

Prof Dra Rita C. C.Gomes – UFRN

Prof Dr Sant Clair Trindade Jr – UFPA

Prof Dra Silvana Pintaudi- UNESP-RC

Prof Dra Vera Pallamin – FAU/USP

Secretaria

Denys Silva Nogueira; e

Genovan Pessoa de Morais Ferreira

Fonte: Site do Evento

Palestra “La Ciudad Neoliberal”, com o Prof. Dr. Rodrigo Hidalgo Dattwyler, na FAU Maranhão

Prof. Dr. Rodrigo Hidalgo Dattwyler – Instituto de Geografia – PUC-Chile
Data: 02 de dezembro de 2015, quarta-feira
Horário: 15.00h
Local: Sala 12 – Fau Maranhão
Endereço: Rua Maranhão, 88, Higienópolis. São Paulo – SP

Disciplina AUH5708 Produção e apropriação do espaço metropolitano
Professores: Paulo Cesar Xavier Pereira e Beatriz Rufino

Oficina de intervenção: “Trafegar pelos rios do Bixiga”

of interv traf rios bixiga

 

Convidamos a todos os interessados nos rios que se escondem sob o asfalto do bairro do Bixiga em participar da nova edição da oficina Trafegar pelos rios do Bixiga, na qual navegaremos nestes rios em um barquinho sobre rodas, construído coletivamente.

Oferecida pela primeira vez em 2013, quando foi ministrada pelo Coletivo Mapa Xilográfico, a oficina propõe aos participantes a criação e execução de uma intervenção urbana por meio da construção de um barquinho sobre rodas. Esta nova edição será ministrada pelo Bloco Fluvial do Peixe Seco, coletivo de intervenção urbana formado pelos participantes da oficina original de 2013. Navegando pelos rios de asfalto, buscaremos explicitar sua presença ausente no espaço urbano, promovendo encontros entre pessoas, memórias, lugares e vestígios.

Programa
22/11, das 9h às 18h. Durante a manhã, ocorrerá a apresentação dos participantes e uma conversa em roda sobre os rios e o trabalho do Bloco. Durante a tarde, serão elaborados os trabalhos de preparação para a intervenção. Para esta atividade, as vagas serão limitadas.

29/11, das 14h às 18h. Em atividade aberta ao público, o barquinho produzido pelos participantes, a partir do original em exibição na exposição “Trafegar pelos rios do Bixiga”, percorrerá os rios do Bixiga acompanhado dos participantes da oficina e de todos os demais interessados.

HIDROFAIXAS: RIOS VISÍVEIS DO BIXIGA
A oficina constitui atividade paralela à exposição Hidrofaixas: rios visíveis do Bixiga, que ficará em cartaz entre 26 de novembro de 2015 e 14 de fevereiro de 2016.

ATIVIDADE GRATUITA
Vagas limitadas: 30 participantes

As inscrições serão realizadas até o dia 15 de novembro de 2016 por meio da página http://bit.ly/1PkBoh5

A seleção será realizada por meio de sorteio, sendo reservadas metade das vagas para moradores da região da Bela Vista.

Datas e horários
Domingos:
22/11, das 9h às 18h (com pausa para almoço às 13h)
29/11, das 14h às 18h

Ministrante:
Bloco Fluvial do Peixe Seco
Coletivo de intervenção urbana constituído de forma autônoma pelos participantes e entusiastas da primeira edição da oficina “Trafegar pelos rios do Bixiga”, em 2013. Desde então, o grupo promove ações poéticas e políticas no espaço urbano, ocupando-o e questionando-o.

Fonte: CPC-USP

Lançamento do livro “Arte, cultura e cidade: Aspectos estético-políticos contemporâneos”

[clique na imagem para ampliá-la]

arte, cultura e cidade

Revisada, norma técnica de acessibilidade em edificações pode ser baixada gratuitamente

Notícia do site CONSTRUNORMAS

Normativa da ABNT também estabelece requisitos para mobiliário, espaços e equipamentos urbanos

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) publicou recentemente a revisão da NBR 9050:2015 – Norma Técnica de Acessibilidade a Edificações, Mobiliário, Espaços e Equipamentos Urbanos, que entrará em vigor no dia 11 de outubro. Por decisão da Secretaria dos Direitos Humanos do Ministério da Justiça, por Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) celebrado com o Ministério Público Federal (MPF), todas as normas técnicas de acessibilidade poderão ser baixadas gratuitamente.

O texto revisado estabelece requisitos e parâmetros técnicos a serem observados para a elaboração de projeto, construção, instalação e adaptação do meio urbano e de edificações em conformidade com as condições de acessibilidade. Todo projeto universal é contemplado pela norma, que visa facilitar a superação dos obstáculos pelas pessoas com deficiência.

De acordo com a arquiteta coordenadora da Comissão de Acessibilidade a Edificações e ao Meio (CE 01) do Comitê Brasileiro de Acessibilidade (CB 40), Adriana Romero de Almeida Prado, o que motivou a atualização foi a colocação de barra de apoio em bacia com caixa acoplada. “Com essa mudança, haverá uma barra acima da caixa e uma barra articulada ao lado”, explicou, destacando que, a partir deste tema, começaram a surgir outras demandas para o texto.

Clique aqui para fazer o download da nova NBR 9050 e todas as outras 20 normas de acessibilidade da ABNT.

Itinerários urbanos – Vestígios da Modernidade – dias 20 e 27/09/2015

CPC

 

20/09, domingo, 14h Praça da Bandeira – grátis
27/09, domingo, 14h Parque do Ibirapuera – grátis
Sem necessidade de inscrição.

Os Itinerários urbanos constituem um programa em implantação pelo CPC voltado à promoção de percursos temáticos pelo espaço urbano que potencializem sua fruição e percepção, bem como a interação com os personagens e cenários que compõem a experiência urbana. Neste mês de novembro, os itinerários terão como tema os vestígios da modernidade em São Paulo e são promovidos por jovens pesquisadores da FAUUSP.

Programa
Os itinerários da Praça da Bandeira e do Ibirapuera constroem a memória de seus trajetos de maneira não convencional. São abordadas — para além das presenças atuais — as inúmeras camadas de motivações, interesses e projetos ocorridos nos locais em questão. Tratam-se de lugares que foram palcos de diferentes negociações no passado, mas que hoje apresentam uma configuração urbana à primeira vista consolidada, que pouco evidencia de suas complexas memórias.

PRAÇA DA BANDEIRA
Ministrante: Gustavo Marques dos Santos
20/09
Este percurso aborda as sucessivas transformações dessa territorialidade no decorrer da história paulistana, evidenciando, através dos inúmeros projetos idealizados, concluídos ou interrompidos realizados para lá, a imagem urbana que a cidade de São Paulo (e seus atores e agentes) já pretenderam para si. Distanciando-se da simplificação recorrente de considerá-la um espaço remanescente junto ao Vale do Anhangabaú, o percurso pelo entorno do Terminal Bandeira e, principalmente, pelas passarelas que o acessam, propõe-se como um instigante exercício de apropriação e reflexão coletiva desse espaço; que ocupa uma posição urbanística privilegiada no Centro da cidade.

IBIRAPUERA
Ministrante: Karoline Andrade Barros
27/09
Este itinerário propõe-se a entender o contexto da criação do Parque, sua história e os objetivos colocados na época. Uma negociação entre o que São Paulo era e o que viria a ser, entre o passado e o futuro da cidade, que conseguiram coexistir em um único projeto. Certos aspectos do Ibirapuera se modificaram com o tempo, o itinerário recupera a memória de alguns deles.

ATIVIDADE GRATUITA
Não há necessidade de inscrição prévia: basta comparecer nos pontos de encontro nos horários abaixo indicados.

DURAÇÃO
3h, das 14 às 17h.

PONTOS DE ENCONTRO
As saídas ocorrem às 14h: solicitamos aos interessados comparecer nos pontos de encontro com pelo menos 15 min de antecedência (13h45)

20/09: Largo São Francisco, em frente à Faculdade de Direito
27/09: Área em frente ao Obelisco do Ibirapuera

ORIENTAÇÕES
Recomendamos que os interessados levem roupas e calçados confortáveis, bem como acessórios para sol e chuva (bonés, chapéus, óculos escuros, guarda-chuvas, etc). Em caso de chuva, os itinerários NÃO ficam automaticamente cancelados.

Fonte: CPC-USP

Seminário “Arquitetura [In]sustentável”: Encontros França-América Latina

[Clique na imagem para ampliá-la]

arq insust

Seminário do Ministère de la Culture e de la Communication e do Instituit Français na X Bienal de Arquitetura de São Paulo.

Renomados arquitetos e pensadores do espaço urbano debaterão o habitat precário em São Paulo na primeira edição do Seminário Arquitetura Insustentável.
Franceses e Latinoamericanos discutirão os modos de fazer e de usar as cidades na França, no México, na Venezuela, na Colômbia, no Haiti e no Brasil.

20 estudantes poderão participar também das visitar de campo e da preparação da publicação-síntese do evento.
Para se inscrever, envie CV para arquiteturainsustentavel@gmail.com até o dia 25 de outubro e procure a secretaria para mais informações. Os estudantes que participarem de todas as atividades receberão certificado.

Acesse www.arquiteturainsustentavel.wordpress.com e conheça os participantes e os territórios que serão objeto dos ateliers e visitas.

Conferências abertas ao público*
30.OUT
19h30
abertura
Prof. Dr. Marcelo Romero

Diretor FAUUSP

Arq. José Armênio Brito Cruz

Presidente do IAB/SP

M. Damien Loras

Cônsul Geral da França em SP

Sylviane Tarsot Gillery

Diretora do Instituit Français

Jean-François Parent

Presidente do Laboratorie International pour L’Habitat Populaire

conferência Arquiteto Frédéric Druot
Auditório Ariosto Mila
FAUUSP

31.OUT
14h
Conjunto de conjuntos: Cidade Tiradentes
Rose May Guignard

Haiti

Francesco Orsini e Felipe Targa
Colômbia

MU Architecture e Olivier Mongin
França

mediação: Guilherme Wisnik (X Bienal)

Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes
Avenida Inácio Monteiro, 6900 – Cidade Tiradentes

01.NOV
14h
Habitar no Centro: Bom Retiro
Nelson Rodriguez

Venezuela

Jean-François Parent e Michel Lussault
França

mediação: Prof. Dr. João Whitaker (FAUUSP)

Escola da Cidade
Rua General Jardim, 65, 6º andar – Vila Buarque

02.NOV
14h
Nas Margens da Cidade: Favela da Linha
Arturo Ortiz Struck

México

Phelippe Panerai e Frédéric Druot
França

mediação: Prof. Ruben Otero (Escola da Cidade)

Instituto Acaia
Rua Dr. Avelino Chaves, 80 – Vila Leopoldina

03.NOV
14h
encerramento
Perspectivas para as novas edições dos encontros (Colômbia, Venezuela, Haiti e México)
Mônica Lebrão Sendra

Instituit Français

Fernando de Mello Franco

Secretário de Desenvolvimento Urbano do Município de Sâo Paulo

conferência Olivier Mongin
CCSP – Centro Cultural São Paulo
Rua Vergueiro, 1000 – Bela Vista

* Entrada gratuita, sujeita à lotação da sala
Fonte: Eventos-FAU

O Direito à Cidade em Rede: Redes Digitais e o Espaço Urbano

Com a onipresença das redes digitais, o modo de habitar o espaço urbano está mudando. O crescente uso de dispositivos móveis e a disponibilidade em ‘tempo real’ de informações locais permitiram novas formas de comunicação e interação entre os indivíduos. Juntamente com novas capacidades para a microcoordenação da atividade social pessoal, vemos a rápida expansão da geração de dados por meio de práticas diárias. Ao passo em que as interações em rede se tornam uma dimensão cotidiana de negociação do espaço público contemporâneo, há uma necessidade urgente de pensar em como essa trajetória transforma as mais antigas geometrias de poder da cidade.

Em 1968, Henri Lefebvre publicou seu livro seminal Le droit à la ville (O direito à cidade). Ao contrário do ethos top-down que dominou urbanismo moderno, Lefebvre argumentou que a capacidade dos habitantes de uma cidade em se apropriar ativamente do tempo e do espaço ao seu redor foi uma dimensão crítica da moderna democracia. Neste seminário, os expositores argumentarão sobre a necessidade de revisão desta agenda: como devemos pensar sobre o direito à cidade em rede?

Na abertura do encontro, Massimo Canevacci abordará o tema “Metrópole comunicacional e subjetividades onipresentes”. Já Scott McQuire, baseando-se em uma série de projetos atuais, buscará analisar políticas contemporâneas de “mídia participativa” e investigar como a mídia em rede pode ser utilizada para facilitar o “espaço público participativo”.

Inscrições

Através do e-mail leila.costa@usp.br

Organização

IEA

Apoio

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Programação

Abertura
Massimo Canevacci (Professor Visitante, IEA)
Tema: “Metrópole comunicacional e subjetividades onipresentes”
Exposição em português.

Exposição
Scott McQuire (The University of Melbourne, Austrália)
Tema: “Redes digitais e o espaço urbano”
Exposição em inglês, haverá tradução simultânea para o português.

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Data: 30/09/2013
Horário: 9h-12h
Local: Sala de Eventos do IEA
Endereço: Rua Praça do Relógio, 109, bl. K, 5º andar, Cidade Universitária, São Paulo-SP

 

Fonte: IEA-USP