Simpósio Internacional sobre Rankings Universitários e Impacto Acadêmico na Era do Acesso Aberto

Evento comemorativo da XV Semana do Livro e da Biblioteca na USP
e Semana Internacional do Acesso Aberto

Nos últimos anos, rankings universitários internacionais adquiriram grande importância, influenciando a percepção da qualidade e produtividade das universidades. Por outro lado, o movimento de acesso aberto vem ganhando força ao proporcionar maior visibilidade à produção intelectual das universidades. Frente a essas percepções, é mister discutir o papel dos sistemas de ranqueamento universitário na era de acesso aberto e as mudanças projetadas sobre as atividades científicas e acadêmicas desenvolvidas nas universidades.

Objetivos:

– Discutir os desafios projetados pelos sistemas de ranqueamento universitários internacionais sobre as universidades latino-americanas e, particularmente, as universidades brasileiras
– Explorar o movimento de acesso aberto e o impacto gerado pelo aumento na visibilidade e acesso à produção intelecutal (científica, tecnológica e artística) das universidades, a partir de uma visão multidimensional

DATA: 22 de outubro de 2012
LOCAL: Auditório da Faculdade de Administração, Economia e Contabilidade – Universidade de São Paulo – Auditório FEA 5. Av. Prof. Luciano Gualberto, 908 – Cidade Universitária – São Paulo/SP

PÚBLICO ALVO: pesquisadores, reitores, docentes, administradores universitários, profissionais e estudantes em geral interessados nas questões referentes a indicadores científicos e institucionais, qualidade acadêmica, ranqueamento universitário, movimento do acesso aberto à informação e à produção científica

TOTAL DE ASSENTOS DISPONÍVEIS: 240 (será respeitada a ordem de inscrição, caso se exceda o limite)

INSCRIÇÕES: http://bit.ly/Simposio_SIBiUSP_2012

PROGRAMAÇÃO

8h30min – Recepção e café da manhã

9h00min – Abertura
Hélio Nogueira da Cruz – Vice-Reitoria da USP
9h15min – Lançamento do Portal de Revistas da USP

9h30min – 12h – Mesa 1 – Sistemas internacionais de ranqueamento universitário – desafios projetados às universidades latino-americanas
Metodologias, indicadores e mensuração da qualidade
Internacionalização e participação da comunidade universitária
Universidade Classe Mundial
Moderador:
Adnei Melges de Andrade, Vice-Reitoria de Relações Internacionais USP

Palestrantes:
Felix de Moya, SCImago Institutions Rankings (SIR)
Elizabeth Gibney, Times Higher Education
Isidro Aguillo, Webometrics
12h – Almoço

14h – Lançamento da Biblioteca Digital de Produção Intelectual da USP

14h15min às 17h – Mesa 2 – Visão multidimensional sobre a pesquisa, produção intelectual e acesso à informação
Pesquisa, excelência e produção científica
Novas métricas baseadas em Social Web – Altmetrics
Acesso à informação e produção intelectual
Moderador:
Marco Antonio Zago, Pró-Reitoria de Pesquisa USP

Palestrantes:
Gregg Gordon, Social Science Research Network (a confirmar)
Altmetrics – palestrante (a confirmar)
Sueli Mara Ferreira, Sistema Integrado de Bibliotecas USP
17h – Recomendações e Encerramento

Guilherme Ary Plonski, Escola Técnica de Gestão USP
17h20min – Café de encerramento e Confraternização

Maiores informações: divulgacao@sibi.usp.br

Fonte: SIBi-USP

II Seminário Serviços de Informações em Museus

Nos dias 26 e 27 de setembro será realizado, no SESC Consolação, o II Seminário Serviços de Informação em Museus, parceria entre o SESC São Paulo e a Pinacoteca do Estado de São Paulo.
Voltado a profissionais, pesquisadores e interessados nas variadas implicações e desafios apresentados pelo trabalho com informação em instituições culturais, pretende ser um espaço de troca de experiências em relação ao tema.
Na primeira edição do Seminário Serviços de Informação em Museus, organizada pela Pinacoteca do Estado de São Paulo, em novembro de 2010, os trabalhos e os debates tiveram foco em duas frentes consideradas fundamentais para a reflexão e a discussão a respeito da produção, circulação e disseminação de informação em museus e instituições culturais: delinear teórica e conceitualmente o significado e a abrangência da informação na perspectiva de instituições museológicas; trazer experiências com a construção de metodologias, sistemas e ferramentas que partissem do uso e distribuição da informação em instituições de cultura.
Nesta segunda edição o programa possui três áreas de concentração temática independentes, mas inter-relacionadas, constituídas por três eixos principais: reflexão conceitual da informação no contexto específico, experiências com a sistematização e distribuição de informação e preservação digital. A partir dessa organização pretende-se discutir uma variada gama de questões centrais para o entendimento contemporâneo e futuro de ações e atividades que envolvem a noção de serviço de informação em museus e instituições culturais e patrimoniais em geral.

INSCRIÇÕES A PARTIR DO DIA 20/08. Vagas limitadas.

INSCRIÇÕES ONLINE AQUI
As inscrições devem ser realizadas utilizando os navegadores: Internet Explorer ou Google Chrome

PELO PORTAL SESCSP
[Pagamento somente com cartões de crédito: cartões de crédito Diners, Mastercard e Visa]

PESSOALMENTE
Nas Centrais de Atendimento das Unidades do SESC (Capital e Interior)
Informe-se sobre os horários de atendimento e endereços das Unidades no Portal SESCSP
[pagamento em dinheiro, cartões Diners, Mastercard, AMEX, Aura e Visa, ou cheque]
vagas limitadas

Taxas de Inscrição *
R$ 15,00 [trabalhadores no comércio de bens e serviços matriculados e dependentes]
R$ 30,00 [usuários inscritos e dependentes, maiores de 60 anos, estudantes com comprovante, professores e servidores da rede pública]
R$ 60,00 [inteira]
* Valor único para participação no seminário.CONDIÇÕES PARA PARTICIPAÇÃO
– No credenciamento serão exigidos: documento que comprove a condição de estudante, maior de 60 anos, servidores da rede pública, professor, trabalhador do comércio de bens e serviços matriculado e dependentes ou usuário inscrito, se for o caso.

Informações:
Por e-mail: conferencia@consolacao.sescsp.org.br
ou por telefone: [11] 3234.3054
SESC Consolação
Rua Dr. Vila Nova, 245 – São Paulo SP – Brasil

Fonte: SESCSP

Folha põe na internet 90 anos de história em 1,8 milhão de páginas

Fonte: http://migre.me/3V30e

No dia em que comemora seus 90 anos, a Folha coloca na internet a versão fac-similar das suas edições desde 1921. São cerca de 1,8 milhão de páginas, incluindo as edições da “Folha da Noite”, da “Folha da Manhã” e da “Folha de S.Paulo”.

A Folha é o primeiro dos grandes jornais brasileiros a digitalizar seu acervo integral e a colocá-lo à disposição dos leitores.

O processo demorou cerca de um ano. Envolveu dezenas de pessoas do jornal e a contratação da empresa Digital Pages. O custo estimado foi da ordem de R$ 3 milhões, o que inclui a digitalização, o armazenamento e o espaço em servidores capazes de suprir a demanda que será criada na internet.

Nesta fase inicial, qualquer pessoa poderá ter acesso gratuito por meio do site http://acervo.folha.com.br.

“Após um período de degustação aberto a todos, o acesso gratuito será mantido só para assinantes do jornal. É uma ferramenta poderosa para pesquisas e uma vantagem a mais para o leitor fiel da Folha”, afirma Antonio Manuel Teixeira Mendes, superintendente do jornal.

BUSCAS

“Todas as páginas receberam OCR, a tecnologia que permite o reconhecimento de caracteres nas imagens. Com isso, será possível fazer pesquisas simples ou sofisticadas sobre os textos do acervo de forma intuitiva. E, com enorme volume de páginas, a interface foi desenhada para que a busca traga resultados contextualizados visualmente em poucos cliques”, diz Ana Busch, diretora-executiva da Folha.com.

O trabalho foi quase todo feito a partir de microfilmes do jornal. Em 1982, a Folha começou a microfilmar suas edições desde a década de 1920. “Embora existam as coleções em papel, o microfilme é importante para preservar o material. A vida estimada de um livro em papel de jornal é de cem anos. Em microfilme, dura cerca de 500 anos”, afirma Carlos Kauffmann, gerente do Banco de Dados da Folha e um dos coordenadores do projeto.

Ainda hoje a Folha continua sendo microfilmada. Para efeitos legais, só cópias a partir desse meio são aceitas em processos na Justiça.

“O fato de o jornal na década de 1980 ter decidido microfilmar seus exemplares antigos facilitou bastante o processo. No ano passado, a digitalização começou a partir dos microfilmes. Mesmo os das edições mais velhas estão em boa qualidade”, explica Kauffmann.
A partir de agosto de 2003, os arquivos em pdf (imagens digitais das páginas) do jornal foram usados para o atual projeto de colocar na internet todo o acervo.

O projeto de digitalização e apresentação das páginas na web privilegia o acesso amplo dos leitores. Ao fazer a busca de um texto, o interessado chegará à página correspondente e terá a possibilidade de folhear a edição do jornal daquele dia ou até de um período mais longo.

Nesse sistema, o trabalho de pesquisa se torna mais rico. Por exemplo, numa busca sobre a Segunda Guerra Mundial, ao chegar ao artigo específico, o interessado também poderá ler as reportagens publicadas na mesma página e em outras partes da edição naquela data.

Em breve, outros jornais do Grupo Folha também terão seus acervos digitalizados. Entre eles, o “Notícias Populares”, que circulou de 15 de outubro de 1963 a 20 de janeiro de 2001, e a “Folha da Tarde”, criada em 1949.

GRANDES REPORTAGENS

Nesta e nas próximas páginas deste caderno especial, o jornal relaciona 90 grandes reportagens –como o caso do mensalão (2005)– e fotos publicadas ao longo de todas as suas edições.

Esse índice pode servir de guia para quem deseja fazer uma viagem histórica pelas páginas do jornal nas últimas nove décadas.