Lançamento do livro “MASP: estrutura, proporção, forma”, de Alexandra Cárdenas

A Editora da Cidade, da Escola da Cidade, e o Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, promovem o lançamento do livro “MASP: estrutura, proporção, forma”, de autoria da arquiteta Alexandra Silva Cárdenas e revisão técnica e adaptação de Marcelo Suzuki e Roberto Rochlitz, no dia 18 de novembro (quarta-feira) às 19h, com entrada gratuita. A publicação aprofunda, a partir de novos desenhos técnicos, fotografias e modelagem eletrônica, a análise do projeto da arquiteta Lina Bo Bardi para o Masp, enfatizando o projeto estrutural do engenheiro Figueiredo Ferraz

“MASP: estrutura, proporção, forma”, que integra a Coleção Obras Fundamentais, é patrocinado pelo CAU-SP e foi desenvolvido sob coordenação dos professores da Escola da Cidade Anderson Freitas, Fabio Valentim e José Paulo Gouvêa, em parceria com a arquiteta Alexandra Cárdenas, os arquitetos Marcelo Suzuki, Marcelo Ferraz e o engenheiro Roberto Rochlitz. No lançamento no MCB, a equipe do livro estará presente para uma mesa-redonda.

“Este livro inaugura uma coleção que pretende, de forma didática, elucidar para estudantes, profissionais e diletantes de arquitetura construções que inegavelmente contribuíram para a evolução do pensamento arquitetônico. Obras que não se restringiram a responder a demanda exigida pelo programa, mas acabaram por se tornar verdadeiros manifestos da sociedade contemporânea no Brasil para o mundo”, afirma o professor e editor Anderson Freitas. “Com o intuito de esclarecer objetivamente intricados sistemas estruturais e construtivos através de desenhos esquemáticos e textos, esta coleção acaba por também resgatar fatos importantes que contextualizam o momento histórico que precederam estas obras”.

“A futura sede do Museu de Arte de São Paulo encontra em sua estrutura um dos pontos altos da atual técnica de engenharia. (…) ponto central desta arquitetura, ela alcança a simplicidade em uma grandiosidade pura, tanto pelas suas dimensões como pela clareza da solução. (…) Em resumo, o exposto é a síntese desta estrutura que resiste a esforços surpreendentes, procurando expressar com fidelidade o que a arquitetura comunica estética e funcionalmente”, escreveu Lina Bo Bardi nos anos 1960. “Acho que no MASP eliminei o esnobismo cultural tão querido pelos intelectuais (e os arquitetos de hoje), optando pelas soluções diretas, despidas”.

“Como se poderá conferir no livro, o extraordinário vão deste importante museu da cidade de São Paulo não é resultado de um mero capricho projetual de Lina Bo Bardi. Suas razões extrapolam a questão técnica, ou melhor, é justamente a excelência técnica em relação ao concreto armado já empregada no Brasil em larga escala naquele momento que permitiu a existência deste complexo equipamento, de maneira a preservar a relação visual existente e também já consolidada pelo uso público na Av. Paulista”, conclui Anderson Freitas.

Sobre a Coleção Obras Fundamentais

O livro “MASP: estrutura, proporção, forma” inaugura a Coleção Obras Fundamentais, tendo como objeto de estudo o prédio desenhado por Lina Bo Bardi no final dos anos 1950 e inaugurado em 1968. O livro inclui uma ampla análise do complexo sistema estrutural desenvolvido para viabilizar a construção do edifício. Em 2016, o segundo volume desta coleção será sobre o edifício da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, do arquiteto João Batista Vilanova Artigas, organizado pelo também professor e arquiteto Antonio Carlos Barossi.

Sobre a Editora da Cidade

A Editora da Cidade surgiu em 2010 vinculada à Escola da Cidade, com a proposta de contribuir, por meio de suas publicações, com a reflexão no campo da cultura e, em especial, em relação à arquitetura, construindo um repertório coletivo. Editou, inicialmente, a Coleção Arquiteturas, -em um primeiro momento em parceria com a Editora Hedra e depois independente-, livros monográficos com a obra de arquitetos importantes no cenário da Arquitetura Latino-Americana e que, até então, não tinham publicações específicas. A Editora lança agora a coleção Outras Palavras, com autores de outras áreas, como história, filosofia e psicanálise, e que contribuíram com seu saber nas atividades da Escola da Cidade. Os primeiros três autores são Antonio Risério, Margareth Rago e Tales Ab’Saber, abordando temas relacionados à cidade e ao modo de vida contemporâneo. Este ano, a Editora da Cidade inicia, ainda, uma parceria de coedição e distribuição com a Editora WMF Martins Fontes, ampliando o alcance das publicações.

Sobre o Museu da Casa Brasileira

O Museu da Casa Brasileira se dedica às questões da cultura material da casa brasileira. É o único do país especializado em design e arquitetura, tendo se tornado uma referência nacional e internacional nesses temas. Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design Museu da Casa Brasileira, realizado desde 1986, e o projeto Casas do Brasil, que promove um inventário sobre as diferentes tipologias de morar no país.

FICHA TÉCNICA

 “MASP: estrutura, proporção e forma”

Texto: Alexandra Silva Cárdenas

Adaptação e revisão técnica: Marcelo Suzuki e Roberto Rochlitz

Edição: Marcelo Carvalho Ferraz

Produção editorial: Marina Rago Moreira

Tradução: Beatriz Rahal Castro

Revisão: Thais Rimkus

Projeto gráfico e diagramação: Três Design

Desenhos técnicos e modelagem eletrônica: Alexandra Silva Cárdenas, Marcelo Suzuki e Vitor da Silva Costa

(Esta publicação ocorre no âmbito das comemorações do centenário de nascimento da arquiteta Lina Bo Bardi)

EDITORA DA CIDADE

Coordenação editorial: Anderson Freitas, José Paulo Gouvêa, Fabio Valentim

Editora executiva: Marina Rago Moreira

editoradacidade@escoladacidade.edu.br

SERVIÇO:

Lançamento do livro “MASP: estrutura, proporção e forma”
18 de novembro às 19h – Entrada gratuita

Mesa-redonda

Com Alexandra Silva Cárdenas (autora), Marcelo Suzuki, Roberto Rochlitz e Marcelo Ferraz (editor, mediador da mesa)

18 de novembro às 20h – Entrada gratuita

Local: Museu da Casa Brasileira (11) 3032.3727
Av. Brig. Faria Lima, 2705 – Jd. Paulistano

Fonte: Escola da Cidade

“Casas Modernas: Preservação, Restauro, Visitação”, na Casa de Vidro

lina

Lina em Casa: Percursos inova com programação especial que acontece no espaço expositivo em quatro sábados  até o final da exposição.

Serão quatro rodadas de encontros, iniciando em 09 de maio, com a proposta de discutir os eixos que norteiam a narrativa dos 27 painéis que revelam o pensamento e o modo de vida de Lina Bo Bardi na Casa de Vidro.

13/06
Casas Modernas: Preservação, Restauro, Visitação
Ruth Verde Zein e Sonia Guarita Amaral

O Instituto Lina Bo e P.M. Bardi convida para o terceiro evento do programa Lina em Casa: Encontros, que acontece no próximo dia 13 de junho, às 16h, no Casa de Vidro no Morumbi.

O tema “Casas Modernas: Preservação, Restauro, Visitação” será debatido por Ruth Verde Zein, Professora da UPM e Presidente do Docomomo SP e Sonia Guarita Amaral, Coordenadora Regional do CECA/ICOM América Latina.

13/06 às 16h
Casa de Vidro – Morumbi
Rua General Almério de Moura, 200
05690-080, São Paulo / SP

Inscrições

Fonte: Instituto Lina Bo Bardi

Aula Aberta da Disciplina “Metrópole e Vanguarda”, na FAU Maranhão

Aula aberta com o Professor Zeuler R. Lima (Washington University)
Tema: Lina Bo Bardi: Vida e obra

Data: 28/05/2015
Horário: 16h
Local: FAU Maranhão
Endereço: Rua Maranhão, 88, Higienópolis. São Paulo-SP

Colóquio “Lina Bo Bardi em São Carlos”, no IAU-USP

[clique na imagem para ampliá-la]

Lina

A dimensão política da obra arquitetônica de Lina Bo Bardi

Em comemoração ao centenário de nascimento da arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi, o Grupo de Pesquisa Política Ambiental do IEA realiza dia 25 de novembro, das 10 às 17 horas, na Sala de Eventos do Instituto, o seminário A Poética em Lina Bardi: Uma Gramática Política. Sob coordenação de Eda Tassara, coordenadora do grupo e professora do Instituto de Psicologia (IP) da USP, o encontro discutirá a dimensão política da obra e do pensamento da projetista, considerada precursora da Teoria Crítica Pós-Colonial.

www.iea.usp.br — iea@usp.br — (+ 55 11) 3091-3922

Para ver neste final de semana

Celebrando o centenário da arquiteta, artista plástica, designer e professora Lina Bo Bardi, quatro exposições trazem trabalhos seus a São Paulo. Metade delas está no Sesc Pompeia, cujos traços são da própria Lina: “A Arquitetura Política de Lina Bo Bardi” e “Lina Gráfica”.

O Museu da Casa Brasileira retoma o trabalho da artista com “Maneiras de Expor – Arquitetura Expositiva de Lina Bo Bardi”, que reconstitui os famosos cavaletes de vidro da arquiteta. Por último, a Casa de Vidro (desenhada por Lina) recebe, a partir de 18 de outubro, a mostra “O Mobiliário de Lina Bo Bardi”, que retoma móveis com design da professora.

Lina

http://guia.folha.uol.com.br/exposicoes/2014/10/1526089-lina-bo-bardi-4-exposicoes-em-sp-resgatam-obra-multidisciplinar-da-artista.shtml

Para setembro de 2012: Casa de Vidro terá exposição de star architects e artistas internacionais na residência de Lina Bo Bardi

Obras de Rem Koolhaas, Sanaa, Cildo Meireles e Paulo Mendes da Rocha, entre outros, irão compor a exposição na casa onde moraram Lina Bo e Pietro Maria Bardi

Por Bianca Antunes, da revista AU

 Ao adquirir sua agenda de 2012, anote: de setembro a janeiro de 2013 tem exposição na Casa de Vidro, de Lina Bo Bardi, em São Paulo. Pode ser uma chance única de entrar na casa modernista da arquiteta – atualmente, a visitação é extremamente restrita. A exposição terá curadoria do holandês Hans Ulrich Obrist e produção de Isabela Mora em colaboração com o Instituto Lina Bo Bardi. 

 

 Casa de Vidro, de Lina Bo Bardi

O evento para divulgação da exposição, dia 25/09, contou com a presença do arquiteto holandês Rem Koolhaas, que fez uma palestra sobre sua trajetória de trabalho e respondeu perguntas da plateia no teatro Sesc Pompeia.

Koolhaas será um dos arquitetos a criar obras para a exposição. A ideia do curador é combinar obras diversas no ambiente residencial de Lina Bo Bardi, de autores como Cildo Meireles (Brasil), Paulo Mendes da Rocha (Brasil), Rem Koolhaas (Holanda) e Kazuyo Sejima e Ryue Nishizawa, do Sanaa (Japão). Muitas obras serão criadas especialmente para o espaço.

“Pela exposição de trabalhos individuais, irá emergir uma reconfiguração temporária da Casa de Vidro, o ponto focal da exposição”, conta o curador. “Fiz a curadoria de uma série de exposições em antigos espaços domésticos que desde então se tornaram casas-museus lidando com a ideia de exposição não apenas como algo que ocupa um espaço, mas como um evento que ocorre ao longo do tempo”, afirma.

Concluída em 1951, a Casa de Vidro foi a primeira obra arquitetônica integralmente construída de Lina Bo Bardi. Foi tombada em 1987 pelo Condephaat, como patrimônio histórico, e hoje abriga a sede do Instituto Lina Bo e P.M. Bardi, responsável pela catalogação da obra de Lina, pela organização e conservação da coleção de arte, dos objetos e dos móveis que conviviam com o casal e ali permanecem intactos.

Fonte: PINIweb