Dedalus inacessível – de 03 a 08 de junho de 2015

Aviso do SIBi-USP:

Prezados(as) colegas,

Comunicamos que devido à necessidade de reindexação do banco de dados bibliográfico Dedalus, este permanecerá inacessível, incluindo a interface web, durante o feriado prolongado de Corpus Christi, das 22h do dia 3 de junho até às 7h do dia 8 de junho de 2015.

Adicionalmente, informamos que o Portal de Busca Integrada estará acessível para buscas, no entanto as seguintes funcionalidadeestarão desativadaslogin para acesso ao histórico do usuárioreserva de obrasrenovação de obras; e verificação da disponibilidade do item (emprestado ou disponível).

Agradecemos de antemão a compreensão e a divulgação desse comunicado aos usuários de nossas bibliotecas.

Atenciosamente,

Anderson de Santana
Chefe Técnico de Divisão
Divisão de Gestão de Des
envolvimento e Inovação (DGDI)
Departamento Técnico
Sistema Integrado de Bibliotecas
Universidade de São Paulo
http://www.bibliotecas.usp.br
atendimento@sibi.usp.br

Dra. Maria Fazanelli Crestana
Chefe Técnica de Departamento
Sistema Integrado de Bibliotecas
Universidade de São Paulo
http://www.bibliotecas.usp.br
atendimento@sibi.usp.br

Dedalus e outras bases do SIBi-USP indisponíveis no período de 17 a 23 de janeiro de 2015

ATENÇÃO: Ofício do SIBi/DT/OF.CIRC.012/2015

Desde o início de 2014,  o CeTI-SP (na época denominado DTI/USP) está realizando no datacenter USP do campus Butantã uma ampla reforma para readequação de suas instalações aos padrões e normas vigentes de construção e administração de datacenters. Como consequência dessa reforma, os equipamentos hospedados em suas dependências estão sendo remanejados, reposicionados e, também, reorganizados em diferentes arranjos na nova planta e infraestrutura.

Como os equipamentos de produção das aplicações do SIBiUSP são hospedados nas dependências daquele datacenter, para minimizar o impacto à comunidade de usuários das aplicações, as atividades necessárias para sua movimentação e reorganização foram divididas em três etapas, tendo sido as duas primeiras realizadas no decorrer do 3o. e 4o.  trimestres de 2014, com mínima interrupção nos serviços oferecidos.

A terceira e última etapa programada, entretanto, implicará numa obrigatória interrupção prolongada dos serviços, pois demandará uma radical modificação na organização das conexões dos equipamentos afetados. Em função das reduzidas disponibilidades de agenda entre todos os atores envolvidos, conseguiu-se fechar e programar uma janela de manutenção, conforme especificações a seguir.

Período: de 17.01 a 23.01.2015

Sistemas  indisponíveis:

Dedalus,

Busca Integrada

BDPI –  Biblioteca da Produção Intelectual da USP

Portal de Revistas da USP

BOREH – Biblioteca Digital de Obras Raras Especiais e Históricas da USP

Repositório da Produção Científica CRUESP

Portal SIBinet

Wikis das aplicações SIBiUSP (área técnica)

Vocabulário Controlado da USP

Banco de Aquisição

Caso a operação programada seja concluída antes do final do prazo previsto, informaremos sobre o restabelecimento das aplicações e serviços.

Atenciosamente,

Mariza Leal de Meirelles Do Coutto

Respondendo pelo expediente do Departamento Técnico

4a. Conferência Luso-Brasileira sobre Acesso Aberto – CONFOA

[Clique na imagem para ampliá-la]

CONFOA 2013_Chamada de Trabalhos

 

Em 2013 a Conferência Luso-Brasileira sobre Acesso Aberto acontecerá na Universidade de São Paulo, de 6 a 9 de outubro, com a coordenação do Sistema Integrado de Bibliotecas (SIBi).

As submissões para apresentação de trabalhos (comunicações e resumos) estão abertas até o dia 3 de maio. Mais informações estão disponíveis no site http://sibi.usp.br/confoa2013. Acompanhe também o evento pela pela página da Conferência no Facebook.

USP negociará com revistas científicas acesso aberto às suas pesquisas

Notícia publicada no Estadão.com.br

USP negociará com revistas científicas acesso aberto às suas pesquisas

Artigos que descrevem os estudos dos cientistas da Universidade de São Paulo serão publicados em biblioteca digital

Mariana Lenharo – O Estado de S. Paulo

Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) que publicam artigos em revistas científicas devem passar a negociar com as editoras contratos que permitam que o material fique disponível gratuitamente em uma página da instituição. Hoje, muitas vezes instituições públicas financiam pesquisas e, quando os resultados são publicados, as próprias universidades têm de pagar para acessá-los.

A determinação do reitor João Grandino Rodas foi oficializada com a resolução n.º 6.444, publicada em 22 de outubro. As pesquisas serão publicadas na Biblioteca Digital da Produção Intelectual da USP (BDPI), recém-inaugurada (www.producao.usp.br). A iniciativa faz parte de um movimento global pelo acesso aberto à ciência. Unesp e Unicamp planejam estratégia semelhante e outras, como a Universidade de Brasília (UnB) e as federais de Santa Catarina (UFSC) e do Rio Grande do Sul (UFRGS), já têm seus repositórios, como são chamadas essas bibliotecas online.

Segundo a diretora do Sistema Integrado de Bibliotecas da USP (Sibi), Sueli Mara Soares Pinto Ferreira, a decisão já vinha sendo discutida havia alguns anos. “Dessa forma, a USP dá um retorno maior, trazendo para a sociedade o que ela investiu e, ao mesmo tempo, aumentando a visibilidade do que é produzido.”

Tudo o que é publicado na nova biblioteca digital, que já tem 30 mil registros, aparece no Google Acadêmico. “Quanto maior a presença na internet, maior a visibilidade da universidade e sua posição nos rankings. Com tanta tecnologia, há rankings que medem a presença dos estudos nas redes sociais, por exemplo”, diz Sueli. Entra na BDPI toda a produção acadêmica, exceto teses e dissertações, que já vinham sendo publicadas em acesso aberto em teses.usp.br.

O Instituto Brasileiro de Informação de Ciência e Tecnologia (IBICT) tem projeto para fornecer kits tecnológicos para universidades desenvolverem suas bibliotecas digitais. A USP foi uma das contempladas. Em três anos, foram implementados 39 repositórios institucionais. “Nossa ideia é estender essa ação para todas as universidades brasileiras”, diz Bianca Amaro, coordenadora do Laboratório de Tecnologia da Informação do IBICT.

Unesp e Unicamp começam o processo de abrir o acesso às suas pesquisas em projeto com a USP e com a Fapesp. A meta é que a publicação comece em 2014. “Temos responsabilidade de liderar esse movimento no Brasil”, diz o pró-reitor de Pesquisa da Unicamp, Ronaldo Aloise Pilli. “Pretendemos que gradativamente essa cultura se implemente e, quando o pesquisador for escolher uma revista, a recomendação seria optar por aquela que permita o acesso aberto.”

Pilli pondera que os cientistas não deixarão de publicar em revistas importantes, caso não deem acesso aberto, “para que algo maior não seja sacrificado”.

Segundo Flávia Maria Bastos, coordenadora-geral das bibliotecas da Unesp, a instituição já começou o levantamento dos trabalhos científicos produzidos a partir de 2010 para a publicação em livre acesso. Ela observa que, na situação atual, “a universidade não tem direito de armazenar sua própria produção científica e depende da autorização das editoras para dar visibilidade à sua produção”.

A pesquisadora Helena Nader, presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), observa que a pressão pelo acesso livre não deve ser feita por pesquisadores isolados, mas por grandes representações, como a própria SBPC e sua similar americana, a American Association for the Advancement of Science (AAAS).

Ela destaca que, no Brasil, o acesso às publicações internacionais já é privilegiado, graças à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que há 12 anos assina e libera as principais revistas científicas para os programas de pós-graduação.

O SIBiUSP na USPiTec 2012 – I Feira de Inovação & Empreendedorismo

O Sistema Integrado de Bibliotecas da Universidade de São Paulo – SIBiUSP – participará ativamente da I USPiTec – Feira USP de Inovação e Empreendedorismo. Em um estande de 18m2, estruturado em dois ambientes, o SIBiUSP procurará disseminar os projetos inovadores de gestão de conteúdos online desenvolvidos por seu Departamento Técnico; divulgar o acervo digital e impresso que a Universidade de São Paulo possui individualmente ou em parceria com CAPES, UNESP e UNICAMP; bem como desenvolver atividades educativas que busquem propiciar melhorias nas competências informacionais dos visitantes .

Ao longo dos três dias do evento, o SIBiUSP oferecerá quatro minioficinas, em quatro horários diferentes (às 13h30min, 15h, 16h30min e 18h). Veja a programação completa:

1. A pesquisa muito além do Google (Portal de Busca Integrada da USP)

23.agosto – 13h30min  l  24.agosto – 15h  l  25.agosto – 16h30min

2. Descubra se sua ideia é realmente inovadora – patentes (Derwent, Google Patents e INPI)

23.agosto – 18h   l   24.agosto – 13h30min   l   25.agosto – 15h

3. Como organizar sua pesquisa (EndNote Web e dicas)

23.agosto – 16h30min   l   24.agosto – 18h   l   25.agosto – 13h30min

4. Descobrindo potenciais parceiros (Scopus – mapa de colaborações, patentes e ciência)

23.agosto – 15h   l   24.agosto – 16h30min   l   25.agosto – 18h

Visite o estande, conheça os projetos e participe das minioficinas!

Exposição da USP na Bienal Internacional do Livro conta a história do conhecimento

A Exposição “Conhecimento: custódia & acesso” — a primeira exposição sobre bibliotecas depois da revolução da internet — está na 22a Bienal Internacional do Livro em São Paulo, de 9 a 19 de agosto. Com a curadoria do professor Marcos Galindo, a mostra conta a história do conhecimento humano, desde a criação do homem retratada por Michelangelo à informação digitalizada. A exposição, elaborada para comemorar os 30 anos do Sistema Integrado de Bibliotecas (Sibi) da USP, ocupará cerca de 300 metros quadrados na entrada da Bienal.

O objetivo da exposição é promover o resgate, a preservação e o acesso ao conhecimento, sem deixar de refletir sobre os desafios impostos pela internet e pela sensação de que tudo que se quer está a um clique. “A biblioteca não trabalha só com a busca, mas também com a concepção do conhecimento”, afirma a professora Sueli Ferreira, diretora do Sibi da USP.

O professor Marcos Galindo conta que o pano de fundo da mostra é o papel das bibliotecas e o mundo transformado pela tecnologia da informação. “Decidimos contar a história desde o início e por isso abrimos com a cena da criação do homem, quando Deus faz um ‘upload’ do conhecimento”, diz.

Segundo Galindo, quem for ao local poderá ver como o conhecimento passou de restrito e sagrado a cada vez mais popular e acessível conforme surgiram as universidades e a imprensa. Toda essa história é contada por meio de fotos, retratos, projeções e utensílios atuais e antigos usados no manuseio da informação. “Centramos no conhecimento, mas queremos criar uma experiência sensorial, com mais questões do que respostas.”

Entre os destaques dos três módulos da exposição, o visitante poderá conferir entrevistas com ex-alunos como Fernando Henrique Cardoso, Marcelo Tas e Mayana Zatz sobre o papel das bibliotecas. Segundo a professora Sueli, a mostra trará “desde as primeiras expressões da escrita, surgida na baixa Antiguidade na Mesopotâmia, até os avanços permitidos pelos novos instrumentos da inteligência, as tecnologias de informação e comunicação que moldam na argila de um tablet as interfaces digitais entre o conhecimento e a vida social”.

“A ideia foi discutir o papel das bibliotecas na construção do fenômeno social do conhecimento e motivar a reflexão sobre os instrumentos técnicos e as práticas sociais que permitiram tornar a informação acessível e fortalecê-la como matéria-prima básica para a construção de novas formas de conhecimento”, comenta a professora Sueli.

Atenção especial recebem a Semana de Arte Moderna de 1922, Mário de Andrade e Rubens Borba de Moraes – bibliotecário que foi figura central na Semana e na criação da biblioteca municipal. O público poderá ver obras raras do acervo da USP, incluindo uma edição original da revista Klaxon – ícone da época -, e folheá-la em um computador. Os visitantes podem fazer o download da revista e de outros conteúdos da exposição por meio do código QR – aplicativo de dados para celular.

Visitantes com baixa visão, dislexos, cegos e surdos cegos poderão recorrer a computadores preparados para leitura em Braille e áudio dos textos referente aos painéis e acompanharam os vídeos também por legenda, além de usufruir mapa e piso tátil. Em todos os espaços, a altura dos painéis e máquinas, os corredores de passagem e os pontos de acesso foram definidos em conformidade com os padrões internacionais de acessibilidade.

Também estará disponível um portal que reúne um acervo de mais de dois milhões de livros, dez mil títulos de periódicos eletrônicos e 100 mil teses defendidas na USP. A exposição fica aberta das 10h às 22h todos os dias durante a Bienal Internacional do Livro. A entrada na exposição é gratuita.

Exposição “Conhecimento: custódia & acesso”

Data – 9 a 19 de agosto

Pavilhão de Exposições do Anhembi

Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana – São Paulo

Horário – 10 às 22 horas

Com acesso a deficientes

Mais informações para a imprensa
Irani de Souza – MTb 15.635
Ana Paula Giorgetti – MTb 37.501
Singular Comunicação
Tels. (11) 5090-0590 / 5093-0226
singularcomunicacao@singularcomunicacao.com

Fonte: Divulgação

Exposição – Conhecimento: Custódia e Acesso, no Museu da Língua Portuguesa

[Clique na imagem para ampliá-la]

Sistema Integrado de Bibliotecas
Universidade de São Paulo

Exposição: CONHECIMENTO: CUSTÓDIA E ACESSO

Período: 13 de março a 30 de abril
Terça a Domingo das 10 às 18h

Museu da Língua Portuguesa
Estação da Luz, s./n. – Portão 01
(antiga sala da Livraria da Imprensa Oficial – São Paulo – SP)

Entrada Gratuita

http://www.sibi.usp.br/30anos

Contato: dtsibi@usp.br

Realização: SIBiUSP

Apoio:
Universidade de São Paulo
Museu da Língua Portuguesa
Governo do Estado de São Paulo – Secretaria da Cultura

Patrocínio: Dot.Lib – informação profissional