Recursos da Biblioteca 24 h / dia (VPN)

Além dos livros e outros materiais disponíveis na biblioteca, um universo de informações científicas estão à disposição da comunidade USP.

Nos computadores dos campi da Universidade o acesso a tais recursos é livre. Entretanto, para utilizá-los fora da USP é preciso ter o VPN.

Saiba mais:

O serviço Virtual Private Network (VPN) fornece acesso à rede USP a partir de computadores conectados à internet, mesmo que você não esteja no campus. Esse serviço, restrito aos docentes, funcionários e alunos de graduação e pós-graduação, permite o acesso às bases de dados, revistas e e-books assinados pela USP.

Para configurar o VPN no sistema operacional Windows, acesse:  <https://atendimento-prod.sti.usp.br/otrs/public.pl?Action=PublicFAQZoom;ItemID=15>

Para outros sistemas operacionais, acesse: <https://atendimento-prod.sti.usp.br/otrs/public.pl?Action=PublicFAQExplorer;CategoryID=12>.

Seu nome de usuário é seu número USP. A senha é a senha única utilizada para os sistemas da USP. Caso não possua, cadastre no link: https://uspdigital.usp.br/wsusuario/

Fonte: http://cetisp.sti.usp.br/

Design e Arquitetura estão entre os 20 cursos mais concorridos da Fuvest 2016

A Fuvest divulgou, na última terça-feira (10/11/2015), o número de inscritos e a relação candidatos/vaga para o vestibular 2016.

Abaixo, os cursos mais concorridos:

  1. Medicina – Ribeirão Preto – 71,93
  2. Psicologia –  59,80
  3. Medicina –  58,75
  4. Relações Internacionais – 43,08
  5. Curso Superior do Audiovisual – 38,60
  6. Psicologia – Ribeirão Preto – 37,66
  7. Artes Cênicas – Bacharelado – 36,20
  8. Publicidade e Propaganda – 34,52
  9. Engenharia Civil – São Carlos – 33,63
  10. Jornalismo – 33,53
  11. Medicina Veterinária – 33,28
  12. Artes Visuais – 32,50
  13. Ciências Biomédicas – 31,15
  14. Arquitetura – São Carlos – 27,36
  15. Engenharia Aeronáutica – São Carlos – 26,30
  16. Design – 26,08
  17. Engenharia de Produção – Lorena — 26,03
  18. Arquitetura – FAU – 24,70
  19. Direito – 24,47
  20. Fisioterapia – 23,76

18a. Semana do Livro e da Biblioteca na USP, de 23 a 29 de outubro de 2015

18a._Semana_do_Livro_e_da_Biblioteca_V2

 

Programação da Biblioteca da FAUUSP – Graduação – para a Semana do Livro e da Biblioteca:

1- Distribuição de livros e outras publicações sobre arquitetura, urbanismo e design
Local – Entrada da Biblioteca da FAU na Cidade Universitária
Período – de 23 a 29 de outubro de 2015

2- Memórias de minhas velhas Bibas tristes: exposição fotográfica
Nessa exposição estarão reunidas imagens da BIBA desde sua criação até os dias de hoje.
O manequim BIBA é um personagem criado em 2005 pela funcionária Rejane Alves (Seção de Atendimento) para a divulgação de comunicados e eventos da Biblioteca. Desde o seu “nascimento” BIBA assumiu diversas personalidades que interagem com os usuários da Biblioteca. Suas instalações são aguardadas pela comunidade FAU, que a acompanha presencialmente ou pela sua página no Facebook. http://facebook.com/bibafauusp.

Nova versão do aplicativo móvel “Bibliotecas​ USP​”

​Em dezembro de 2014 foi ao ar a primeira versão do aplicativo móvel do SIBiUSP, intitulado Bibliotecas USP.

Desde então, as equipes da Superintendência de Tecnologia da Informação e do DT/SIBi, coordenadas pelo Prof. Dr. Jun Okamoto Junior, da Escola Politécnica (EPUSP)​ vêm trabalhando no desenvolvimento de uma nova versão do aplicativo.

Na próxima segunda-feira, dia 10 de agosto,​ entra na AppStore da Apple e na Google Play a versão 2.0 do aplicativo Bibliotecas USP.

Essa versão traz inúmeras novidades, a principal delas é a integração com a senha única da USP (https://uspdigital.usp.br/​). Confira a lista de novas funcionalidades:

  • ​Login via Sistemas USP;
  • Reservar itens emprestados;
  • Renovar itens emprestados;
  • Visualizar Lista de empréstimos ativos;
  • Visualizar Histórico de empréstimos;
  • Visualizar e gerenciar a Lista de reservas;
  • Visualizar mensagens enviadas pela biblioteca.​​

​​No intuito de explorar essas novas possibilidades, o DT/SIBi desenvolveu dois tutoriais de uso para os aparelhos móveis da Apple (sistema operacional IOS) e para aqueles que utilizam o sistema operacional Android.

O DT/SIBi está à disposição para receber sugestões de correções e melhorias​ que​ poderão ser enviadas para atendimento@sibi.usp.br​.

Fonte: DT/SIBi

Palestra: Como montar o memorial descritivo no processo da licitação para a conservação dos acervos bibliográficos

Palestrantes: Lisely Salles de Carvalho Pinto (FAU/USP) e Maíra Cunha de Souza Maria (FD/USP)

Local: Auditório do Departamento Técnico do SIBiUSP
Rua da Biblioteca, s/n – Complexo Brasiliana – Embasamento (Subsolo)

Data: 05 de Agosto de 2015
Horário: 9-16h30min. Intervalo das 12h-14h.

Resumo: Troca de experiências na execução do memorial descritivo nas práticas de conservação nas Bibliotecas da USP. A palestra visa à promoção do diálogo com os especialistas conservadores-restauradores na decisão dos tratamentos, montagem do memorial descritivo conforme as especificações técnicas e acompanhamento dos setores administrativos das unidades nos serviços de conservação.

Inscrições AQUI

Vagas de estágio na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin

Clique AQUI para ver a relação de vagas de estágio disponíveis na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, para alunos de Arquitetura, Artes Plásticas, Biblioteconomia, Ciências Sociais, Comunicação Social, Editoração, Filosofia, Geografia, História e Letras.

Exposição “Recortes de Apropriação: Patrimônio Cultural da USP”, no CPC-USP

[clique na imagem para ampliá-la]

recortes

Fonte: CPC-USP

Dedalus inacessível – de 03 a 08 de junho de 2015

Aviso do SIBi-USP:

Prezados(as) colegas,

Comunicamos que devido à necessidade de reindexação do banco de dados bibliográfico Dedalus, este permanecerá inacessível, incluindo a interface web, durante o feriado prolongado de Corpus Christi, das 22h do dia 3 de junho até às 7h do dia 8 de junho de 2015.

Adicionalmente, informamos que o Portal de Busca Integrada estará acessível para buscas, no entanto as seguintes funcionalidadeestarão desativadaslogin para acesso ao histórico do usuárioreserva de obrasrenovação de obras; e verificação da disponibilidade do item (emprestado ou disponível).

Agradecemos de antemão a compreensão e a divulgação desse comunicado aos usuários de nossas bibliotecas.

Atenciosamente,

Anderson de Santana
Chefe Técnico de Divisão
Divisão de Gestão de Des
envolvimento e Inovação (DGDI)
Departamento Técnico
Sistema Integrado de Bibliotecas
Universidade de São Paulo
http://www.bibliotecas.usp.br
atendimento@sibi.usp.br

Dra. Maria Fazanelli Crestana
Chefe Técnica de Departamento
Sistema Integrado de Bibliotecas
Universidade de São Paulo
http://www.bibliotecas.usp.br
atendimento@sibi.usp.br

USP está entre as 50 melhores do mundo em 8 áreas, segundo QS Ranking

Notícia da USP – Sala de Imprensa

A USP ficou entre as duzentas melhores universidades do mundo em 35 das 36 áreas de concentração avaliadas pelo QS World University by Subject, divulgado hoje, dia 29 de abril

Elaborado pela Quacquarelli Symonds, organização britânica de pesquisa em educação, especializada em instituições de ensino superior, o ranking avaliou 3.551 universidades do mundo inteiro, em 36 áreas de concentração.

Em 8 áreas de concentração, a Universidade ficou entre as 50 melhores do mundo: Agricultura e Silvicultura (24ª posição); Arte e Design (34ª); Filosofia (37ª); Arquitetura (33ª); Engenharia Civil (47ª); Odontologia (12ª); Ciência Veterinária (36ª); Farmácia e Farmacologia (46ª).

A USP foi classificada na posição entre a 51ª e a 100ª melhores do mundo em 21 áreas de concentração. Em cinco áreas, a USP ficou entre as 150 melhores e, em uma delas, entre as 200 melhores do mundo.

As listas foram divididas em cinco grandes áreas: Artes e Humanidades, Engenharia e Tecnologia, Ciências da Vida e Medicina, Ciências Naturais e Ciências Sociais e Administração. Confira, na tabela a seguir, as classificações obtidas pela Universidade nas 35 áreas de concentração.

Veja, na tabela abaixo, as classificações da USP em cada uma das áreas.

Artes e Humanidades
Arquitetura 33ª
Arte e Design 34ª
Filosofia 37ª
História 51-100ª
Língua Inglesa e Literatura 201-250ª
Línguas Modernas 51-100ª
Linguística 101-150ª
Engenharia e Tecnologia
Ciências da Computação e Sistemas de Informação 51-100ª
Engenharia Civil 47ª
Engenharia Elétrica e Eletrônica 51-100ª
Engenharia Química 51-100ª
Engenharia Mecânica, Aeronáutica e de Produção 51-100ª
Ciências da Vida e Medicina
Agricultura e Silvicultura 24ª
Ciência Veterinária 36ª
Ciências Biológicas 101-150ª
Farmácia e Farmacologia 46ª
Medicina 101-150ª
Odontologia 12ª
Psicologia 101-150ª
Ciências Naturais
Ciências Ambientais 51-100ª
Ciências da Terra e do Mar 51-100ª
Ciências dos Materiais 51-100ª
Física e Astronomia 51-100ª
Geografia 51-100ª
Matemática 51-100ª
Química 51-100ª
Ciências Sociais e Administração
Administração 51-100ª
Contabilidade e Finanças 51-100ª
Comunicação e Estudos Midiáticos 51-100ª
Direito 51-100ª
Economia e Econometria 101-150ª
Educação 51-100ª
Estatística e Pesquisa Operacional 51-100ª
Política e Estudos Internacionais 51-100ª
Sociologia 51-100ª

Artigo “A USP é tudo isso?”, do reitor Marco Antonio Zago

Artigo publicado na Folha de S. Paulo, em 29/03/2015.

Marco Antonio Zago: A USP é tudo isso?

Pela quarta vez consecutiva, a Universidade de São Paulo foi reconhecida no ranking de reputação da organização britânica Times Higher Education –principal avaliação internacional de instituições de ensino superior– como uma das cem melhores universidades do mundo. Precisamente, a USP está entre as 60 primeiras.

Nessas classificações internacionais, concorremos com instituições que foram criadas há mais de 300 anos e que estão situadas em países com muito mais bagagem histórica em matéria de cultura e de geração de conhecimento.

Sem essa tradição é, no mínimo, bastante improvável que uma universidade alcance a excelência. Ninguém faz uma instituição desse porte e com esse nível de reputação da noite para o dia. Causa surpresa, portanto, que uma universidade localizada abaixo da linha do Equador, como é o caso da USP, alcance uma posição de tanto destaque.

Para que o leitor tenha uma ideia aproximada do que representa essa conquista, vale registrar que Itália, Espanha e Portugal possuem muito mais tradição em pesquisa, cultura e inovação e, não obstante, nenhum desses países tem uma representante na lista das cem melhores do mundo.

Não é só isso. Nenhuma universidade do mundo de cultura e língua latinas –abrangendo cerca de um bilhão de pessoas da Europa Ocidental, América Latina e Caribe– está em melhor posição que a USP. Há, porém, duas francesas na mesma posição (51ª a 60ª).

Somos a única universidade da América do Sul a registrar o nome no ranking da Times Higher Education por quatro anos seguidos.

É claro que isso alegra a todos. Uma instituição que tem 90 mil alunos, oferece 11 mil vagas no vestibular e forma 2.000 doutores a cada ano, situada a milhares de quilômetros dos grandes centros americanos e europeus, certamente precisa contar com muitas virtudes para chegar aonde chegou.

Mas, além do júbilo, que lição devemos tirar desse feito? Neste momento, devemos ter a maturidade de constatar que essa lição é a do trabalho, da autonomia universitária e do espírito público.

A USP se tornou o que é graças ao trabalho dedicado, qualificado e persistente de milhares de docentes, servidores e estudantes que procuram trilhar os caminhos do conhecimento em benefício da nossa gente e da humanidade.

O método com que trabalhamos não é menos determinante. Esse método ensina que o arrojo administrativo e a grandeza de propósitos não devem ser postos, jamais, como princípios opostos aos da transparência, da impessoalidade e da economicidade. A autonomia é indispensável ao desenvolvimento da ciência e à natureza diversa de uma universidade pujante e livre.

Ao mesmo tempo, a responsabilidade no trato dos recursos públicos, que são recursos de todos os cidadãos, deve ser um imperativo prioritário.

São valores como esses que nos trouxeram até aqui. Deles, não podemos nos desviar. A USP é um patrimônio de São Paulo, instalada atualmente na capital paulista e em outras sete regiões do Estado: Piracicaba, Ribeirão Preto, São Carlos, Bauru, Pirassununga, Lorena e Santos. Acima disso, ela é um patrimônio do Brasil e, cada vez mais, vem sendo valorizada pelo mundo acadêmico em todos os continentes, acima das fronteiras nacionais.

Buscando o melhor do ensino, da pesquisa e da extensão de suas atividades, a comunidade da USP tem todos os motivos para se sentir gratificada, mas deve estar consciente de que quer mais –e será mais.
Podemos nos orgulhar do que já alcançamos, sem fugir ao dever de saber que temos tudo para ser ainda melhores.

MARCO ANTONIO ZAGO, 68, é reitor da USP. Professor titular da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, foi pró-reitor de pesquisa e presidente do CNPq – Conselho Nacional do Desenvolvimento Científico e Tecnológico